Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 28 Mai 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

Belém 404 anos: confira a programação de comemoração ao aniversário da capital paraense

Belém 404 anos: confira a programação de comemoração ao aniversário da capital paraense
Neste domingo (12), a cidade de Belém, no Pará, completa 404 anos de fundação. Em 1916, Francisco Caldeira Castelo Branco lançou os alicerces da cidade no lugar hoje chamado de Forte do Castelo. Em seu interior, foi construída uma capela, sendo consagrada a Nossa Senhora da Graça. Ao redor do forte começou a formar-se o povoado, que recebeu então a denominação de Feliz Lusitânia, sob a invocação de Nossa Senhora de Belém.
Foto:Divulgação/IBGE
A história segue e o povoado cresce. No decorrer dos anos houveram guerras, em decorrência do processo de colonização através da escravização das tribos indígenas e da invasão dos holandeses, ingleses e franceses. E o processo de ocupação avança em meio à floresta. A abertura da navegação dos rios Amazonas, Tocantins, Tapajós, Madeira e Negro também contribuiu para o desenvolvimento da capital paraense. E a partir do século XIX, o grande avanço na cidade de Belém que foi o Ciclo da Borracha, mas também o movimento dos cabanos, conhecido como Cabanagem.


A Cabanagem foi um uma revolta popular que ocorreu entre 1835 e 1840. Com as péssimas condições de vida dos pobres que moravam em cabanas nas beiras dos rios da região e o descontentamento de comerciantes e fazendeiros com o governo geral, a revolta ganhou força e o objetivo era conquistar a independência da Província do Grão-Pará. De um lado, os cabanos buscando qualidade de vida, do outro os comerciantes e fazendeiros querendo participação nas decisões políticas e administrativas da província seguiram e ocuparam a capital. Segundo historiadores, os cinco anos de revolta renderam pelo menos 30 mil mortes, e só em 1840, o governo conseguiu reprimir a revolta, que terminou sem os objetivos alcançados.


Belém tem hoje, uma população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 1.492.745 pessoas. Cerca de 29,7 % da população é ocupada. O salário médio mensal dos trabalhadores formais é de 3,4 salários mínimos.  E o percentual da população com rendimento nominal mensal per capital de até 1/2 salário mínimo é de 39% dos belenenses.


Na comemoração dos 404 anos da conhecida "cidade das mangueiras", a equipe do Portal Amazônia separou as principais programações de aniversário.


Bolo no Ver-O-Peso


Imagine um bolo feito com recheio de goiabada, mousse de maracujá, doce de leite e baunilha, com cobertura de glacê mesclado, com chocolate, frutas cristalizados e naturais e vinho do porto é de dar água na boca, né? Pois é assim que será o bolo de 20 metros que está sendo preparado para comemorar os 404 anos de Belém. A hora de cantar parabéns, apagar as velinhas e degustar essa delícia será às 10 horas deste domingo (12), na feira do Ver-o-Peso.
Foto:Divulgação/Prefeitura de Belém


Como parte da programação gratuita em comemoração aos 404 anos de história da capital paraense, a Prefeitura de Belém por meio da Companhia de Turismo de Belém (Belemtur), com apoio da panificadora Versailles e dos moinhos de trigo Ocrim e Cruzeiro do Sul, que produzem as farinhas de trigo Mirella e Rosa Branca, organizou a tradicional festa do bolo, para milhares de pessoas que devem comparecer ao Ver-o-Peso, no próximo dia 12 para cantar parabéns a Belém.


"Esse momento é uma retribuição para a população e para que eles participem da festa. É muito importante a participação da população na hora de cantar parabéns e cortar o bolo em comemoração ao aniversário da cidade. Em todos os anos, nós pedimos ajuda aos patrocinadores para realizar este momento da festividade e partilhamos desse bolo delicioso", explicou o coordenador da Belemtur, Victor Cunha.


Ingredientes - Seis pessoas da panificadora Versailles estão trabalhando nesse bolo especial, utilizando 1.560 ovos, 100 quilos de trigo, 100 quilos de açúcar, 35 litros de leite, 90 quilos de doce de leite, 15 quilos de glacê, 10 quilos de frutas cristalizadas, 30 quilos de manteiga e, acima de tudo, muito amor.


Confira a programação realizada pela prefeitura em comemoração aos 404 anos de Belém:
  • Às 8 horas - Missa em Ação de Graças, na igreja da Sé (Catedral de Belém)
  • Às 9h30 - Abraço de Gratidão e Oração pelos 404 anos, promovido pela Assembleia de Deus, no entorno do palácio Antônio Lemos, no bairro da Cidade Velha
  • Das 8h às 13h - Prefeitura no Ver-o-Peso (prestação de serviços)
  • Às 10 horas - Parabéns a Belém, com bolo de aniversário, em tenda armada na feira do Ver-o-Peso
  • Às 11 horas - Visita de inspeção final às obras concluídas do Pronto Socorro Municipal Humberto Maradei Pereira (Pronto Socorro do Guamá)
  • Às 15h30 - Inauguração da Unidade de Pronto Atendimento Senador João Menezes (UPA João Menezes), localizada na rua Maravalho Belo, s/n (ao lado da caixa d’água da Cosanpa), no bairro da Marambaia
  • Às 17h30 - Culto Evangélico na Igreja Central Assembleia de Deus (travessa 14 de Março, esquina com avenida Governador José Malcher)
  • Às 19 horas - Solenidade de Imposição da Medalha do Mérito Francisco Caldeira de Castelo Branco a diversas personalidades, no salão de eventos do hotel Sagres, no bairro de São Brás
  • Das 18 horas à meia-noite - apresentações de grupos musicais, no Portal da Amazônia, com entrada gratuita


Estação das Docas


Também marcando as comemorações dos 404 anos de Belém. Neste domingo (12), a Estação das Docas, em parceria com a Associação dos Grupos de Danças Folclóricas de Belém do Pará promove uma grande roda de carimbó, a partir das 16h, na orla do Armazém 3, do complexo.
Foto:Divulgação/Agência Pará

Entre os diversos grupos que irão participar estão: Pará Caboclo, Carimbó do Seu Nezinho, Frutos do Pará, Iaçá, Associação Mururé, Encantos do Curió e Mistura Regional.


A proposta é fazer uma celebração do aniversário ao som do ritmo que é Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Todos estão convidados a participarem desta festa. A programação é gratuita.


Mangal das Garças


O Mangal das Garças completa 15 anos de funcionamento no domingo (12). A data, que também marca os 404 de fundação de Belém, será comemorada com uma programação especial, que contará com apresentação de carimbó e educação ambiental para crianças. Os participantes poderão levar para casa mudas de plantas doadas no local. A programação começará às 10 h, com entrada franca, ao lado do Borboletário.


Os visitantes serão recebidos pelo grupo Carimbó de Maria. Além de músicas autorais, o show terá um repertório com composições de diversos artistas paraenses, como Dona Onete, Lia Sophia e Mestre Verequete.


As crianças desfrutarão do Momento Ecozoo, que apresentará quatro espécies encontradas no Parque, com informações e curiosidades sobre iguana, marreca, guará e papagaio-do-mangue. O projeto visa estimular o interesse das crianças pela natureza regional.


Quem for participar da programação ainda poderá levar uma muda de planta, fruto de uma parceria com o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-Bio).
Foto:Divulgação/Agência Pará


Reconhecimento – Inaugurado em 2005, no aniversário de 389 anos de Belém, o Mangal se mantém como um importante presente à população da capital e aos turistas que visitam o local, já incluído entre os principais cartões postais da capital paraense.


Com várias espécies de flora e fauna, o Parque atrai mais de 250 mil visitantes ao ano. Atualmente, abriga 258 animais, distribuídos entre 55 espécies de aves, peixes, répteis e insetos, além de animais de vida livre, como garça, iguana, marreca, biguá, quero-quero, sabiá, curió, entre tantos outros atraídos pela possibilidade de alimentação e refúgio reprodutivo.


Muitas árvores brasileiras - seringueira, cedro, mogno, ipế, ucuuba da várzea (espécie ameaçada de extinção), palmeiras diversas, vitória-régia, morcegueira, samaúma, paricá, pau-brasil, chuva de ouro, açacuzeira e abricó-de-macaco. Várias árvores frutíferas e espécies exóticas também podem ser observadas nos 40 mil metros quadrados de área de preservação do parque.


Referência - O Parque Mangal das Garças se consolida como uma referência na reprodução em cativeiro de algumas espécies nativas, como pavãozinho-do-Pará. O Parque também já é referência em todo o Brasil na reprodução de guarás, sendo solicitado por instituições e universidades a ceder animais para reintrodução na natureza, como ocorre no Rio de Janeiro, por exemplo, por meio do Projeto “Volta Guará”, da Reserva Biológica de Guaratiba.


“Esses trabalhos de reprodução são de grande importância para a biodiversidade brasileira, tanto em nível de produção científica para novas tentativas, por parte de outras instituições, como para a criação de um banco genético, em vista à crise ambiental”, informa Antonio Basílio, biólogo do Mangal.


O Mangal das Garças também é um espaço de parcerias com diversas instituições e universidades para a promoção de ensino e pesquisa, entre as quais a Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade da Amazônia (Unama) e Escola Superior da Amazônia (Esamaz).


“Além dos benefícios para o ensino e a pesquisa, essas parcerias são importantes por fomentarem equipes multidisciplinares a realizar um trabalho conjunto no cenário paraense, visando à conservação e ao aproveitamento sustentável dos nossos recursos naturais, assim como a conscientização da população residente e visitante”, ressalta o biólogo.


Educação ambiental – Antonio Basílio também informa que em 2020 serão executados alguns projetos voltados à educação ambiental, que incluem o adestramento de alguns animais do plantel, como tuiuiú, guarás e aves de rapina, a fim de realizar apresentações para o público.


“Esse trabalho irá possibilitar uma maior sensibilização do público em relação à educação ambiental, fortalecendo a mensagem de respeito pela natureza e de conhecimento da riqueza que possuímos, assim como um maior bem-estar para os animais do Parque”, afirma.


Museu de Arte de Belém (Mabe)


Além do aniversário da capital paraense, também é dia de cantar parabéns para o Museu de Arte de Belém (Mabe), que no próximo domingo (12), completa 26 anos de inauguração. Para celebrar a data, o público pode visitar a exposição "Olhares Sobre a Amazônia - Acervo Mabe", gratuitamente, das 9h às 12h, com visitas mediadas e oficinas de elaboração de cartões.
Foto:Divulgação/Agência Belém


Com a sede no palácio Antônio Lemos, localizado na praça Dom Pedro II, no bairro da Cidade Velha, o museu foi inaugurado 1994, após uma grande reforma no palácio, um prédio em estilo neoclássico erguido na segunda metade do século XIX. Atualmente, o Mabe tem duas salas temporárias no térreo do prédio, abriga mais de mil peças, entre telas, esculturas, mobiliário, tapeçaria e lustres. Além das visitações, o Mabe oferece um serviço de ações educativas voltadas para o público estudantil.   


Programação - No domingo, 12, é o aniversário da cidade e também do Mabe, que foi um presente para a capital e tem uma importância grandiosa para a cidade, sendo uma fonte de conhecimentos sobre a nossa história. “Ele conta a história de uma Belém, no período áureo da borracha. Por isso, neste domingo, preparamos uma programação composta de visitas mediadas, e o museu estará aberto das 9 horas ao meio dia. Vamos oferecer também uma oficina de elaborações de cartões, no qual a população é convidada a escrever mensagens para o museu. A entrada é gratuita", explicou a diretora do Museu de Arte de Belém, Janice Lima.


Exposição - "Olhares Sobre a Amazônia - Acervo Mabe" é uma exposição sobre a Amazônia dentro da história da arte, passando por vários períodos, desde os pré-coloniais até a arte contemporânea.


A exposição, que é uma iniciativa da Prefeitura de Belém por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), é resultado de pesquisa e concepção da Divisão de Curadoria do Mabe, visando a proporcionar conhecimento sobre a riqueza da Amazônia em seus aspectos naturais, culturais, sociais, místicos e históricos, por meio das coleções do expressivo acervo do Museu, que tem uma longa trajetória de ações em pesquisa, aquisição, restauro, conservação, difusão do conhecimento e fomento da produção artística.


"Essa exposição fala de uma Amazônia profunda, com suas florestas ainda intactas, mas fala também dessa Amazônia que vem sendo degradada pela mão humana. É muito interessante que o público venha conferir", aconselhou Janice.


O Museu de Arte de Belém (Mabe) fica localizado no palácio Antônio Lemos. A visitação ocorre de terça à sexta-feira, das 9h às 17h. A entrada é gratuita. Agendamentos de visita em grupo podem ser combinados pelo e-mail [email protected] e pelo telefone (91) 98415-2558.


Bosque Rodrigues Alves


Ainda como parte da programação cultural do aniversário de Belém, o Jardim Zoobotânico da Amazônia Bosque Rodrigues Alves terá uma programação especial, com exposições e plantio de mudas.
Foto:Divulgação/Agência Belém


Das 9 horas ao meio dia, os visitantes poderão visitar a exposição de sementes e a mostra sobre a nutrição dos animais que vivem no Bosque, com essas atividades sendo desenvolvidas próximas ao recinto da arara azul.


Já às proximidades da entrada do portão principal do Bosque, o público poderá conferir a exposição de fotos da fauna e flora do Bosque. Às 10h30, no Canteiro 110, haverá o plantio simbólico de mudas de espécies vegetais.


O Jardim Zoobotânico da Amazônia Bosque Rodrigues Alves, fica localizado na avenida Almirante Barroso, 2305. Crianças até seis anos e idosos acima dos 60 anos não pagam entrada, os demais pagam um valor simbólico de R$ 2,00.


Ação de Cidadania


O Programa Ação Cidadania, da Fundação Parapaz, que leva serviços públicos gratuitos, aproveita as comemorações do aniversário de Belém para dar início às ações de 2020.
Foto:Divulgação/Agência Pará


A primeira Ação Cidadania do ano ocorrerá neste fim de semana, em pontos turísticos da capital paraense. No sábado (11) será no Ver-o-Peso e no domingo (12), na Praça da República. Sempre de 8h até às 14h.


“A Ação Cidadania é um braço da ação social do governo, desenvolvido pelo Parapaz, com o objetivo de articular serviços, fazer a máquina pública chegar mais perto da população. Porque o Estado oferece muitos serviços e isso facilita a vida das pessoas, que muitas vezes não usufruem porque não tem conhecimento, não tem acesso”. Ray Tavares, presidente da Fundação Parapaz.


Os atendimentos vão desde orientação jurídica, atendimento médico, vacinação, teste rápidos para doenças sexualmente transmissíveis, emissão gratuita de documentos (Identidade e Certidão de Nascimento) e negociação de débitos com a Cosanpa. Também tem espaço para atrações culturais e um espaço de beleza para homens e mulheres. A integração entre os vários órgãos do Estado tem rendido muitos resultados positivos.


“O diretor do Hemopa disse que a partir do Ação Cidadania, foi possível aumentar em 30% as doações de medula óssea. Fiquei muito feliz com isso. Então, a gente vê o sucesso, pois as pessoas procuram os serviços. Foram 27 ações no ano passado e neste ano queremos dobrar a quantidade de ações no Estado”, reforça Ray Tavares.


Os feirantes do mercado do Ver - O - Peso aguardam ansiosos a ação para aproveitar os serviços gratuitos. Dorilene Guedes, que trabalha no setor de lanchonetes, diz que chega 4h no mercado e sai no fim da tarde, por isso não tem tempo para ir atrás de uma consulta médica, por exemplo.


“Vai ajudar bastante, porque o nosso tempo é muito corrido, nós não temos tempo pra mais nada. A folga é só no domingo, quando tá tudo fechado. Eu pretendo fazer uma limpeza nos dentes, fazer consultas. A gente vai se revezar aqui no box para atender os clientes e participar da ação”, disse Dorilene.
Foto:Divulgação/Agência Pará


Dona Coló, erveira conhecida no ponto turístico, também se prepara para a programação de aniversário de Belém. “Eu estou com a sobrancelha grande, não cuidei nas férias. Vou aproveitar o espaço de beleza. E digo mais: Venha! Chegou esse dia especial, ainda mais de graça, procura aqui o Ver - o - Peso. A hora é essa”, diz a erveira que, animada, convida a população a participar.


Cássio Wendell que também trabalha na feira, elogia a ação da Parapaz que, já foi realizada no ano passado durante as comemorações do aniversário do mercado.


“Essa ação social ajudou bastante os feirantes aqui tiram uma hora para aproveitar. Principalmente para retirar os documentos e receber atendimentos na área de saúde. Foi muito bom. Gostei.”, disse o feirante.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 28 Mai 2020
No Internet Connection