Manaus 30º • Nublado
Domingo, 19 Setembro 2021

Terra Firme: sem água potável, como sobreviver?

A comunidade de Terra Firme, constituída por 26 famílias, não possuí acesso à água potável, energia elétrica, ou seja, demandas básicas essenciais à subsistência humana.

O rio Madeira na vazante: saberes locais, riscos e impactos

É uma época de intenso calor, queimadas, cerração e insegurança na navegação.

Acessibilidade improvisada nos barrancos do Madeira

A mobilidade e acessibilidade devem ser discutidas nas comunidades e no âmbito das políticas públicas para a implementação de ações efetivas nesse espaço geográfico.

As mãos talentosas que produzem arte vazada

Os profissionais, oriundos de diversos lugares da Amazônia, dedicam-se aos trabalhos artísticos, sendo um deles a arte vazada, técnica em entalhe feita na madeira, e produzida com excelência pelo artesão Evandro Pires.

Barco Hospital atracado à margem do Distrito de Nazaré/ Fonte: Emídio Oliveira,2021.

O barco hospital retorna à navegação e para os ribeirinhos

A esperança entre os ribeirinhos e profissionais da navegação era imensa para ver o retorno desse barco no rio Madeira e atender com qualidade a população amazônica.

O dilema do acesso à água potável na Amazônia

A população ribeirinha da Amazônia convive com a falta de acesso à água potável, a qual é essencial para a sobrevivência humana e garantia da qualidade de vida na região amazônica.

Da pescaria à garimpagem de ouro: desafios no cotidiano ribeirinho

Esse cenário relembra o "boom" da garimpagem de ouro na década de 1980 no rio Madeira, estado de Rondônia.

Causas históricas de naufrágios no olhar dos profissionais da navegação

O barco continua sendo o principal meio de transporte utilizado na Amazônia

Jiboias: encantos e curiosidades

A jiboia, por muitos anos, teve sua morada em porões das embarcações para evitar entrada de roedores e proteção das cargas alimentícias transportadas nos diversos rios amazônicos.

Narrativas orais no viver ribeirinho

As comunidades ribeirinhas na Amazônia produzem um espaço rico em narrativas orais, imaginários, experiências e os conteúdos dessas narrativas evidenciam muito do viver ribeirinho.

A ausência do barco hospital na pandemia

A Coluna Amazônia Ribeirinha prioriza a divulgação de produções científicas e conteúdos sobre populações tradicionais na Amazônia, com ênfase às populações ribeirinhas na perspectiva de olhar Amazônia com pertencimento e justiça social.

Os medos atuais no espaço ribeirinho

Atualmente, existem dois medos que fazem parte do cotidiano das populações ribeirinhas: pandemia da Covid-19 e enchente.

Práticos do Rio Madeira: Um olhar significante

A contribuição dos Práticos ribeirinhos tem sido significante e essencial nos diversos segmentos de transporte no rio Madeira.