Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quarta, 12 Mai 2021

Prefeitura lança licitação para manutenção da Ponta Negra em Manaus


MANAUS - A Prefeitura de Manaus abriu licitação para a contratação de serviços de manutenção no Complexo Turístico Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. A licitante vencedora fica responsável pela execução das obras e serviços. A licitação é do tipo menor preço para pessoas jurídicas. O edital é disponibilizado de forma gratuita no Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), no bairro Compensa, Zona Oeste da cidade. A sessão para abertura das propostas deve ocorrer no dia 23 de dezembro, a partir das 9h, na sede da pasta.

Greve dos rodoviários chega ao fim após acordo com Prefeitura de Manaus

MANAUS - A paralisação dos rodoviários do transporte público de Manaus chegou ao fim na tarde desta quarta-feira (9). A greve durou três dias. A decisão foi tomada após acordo realizado na sede da Prefeitura de Manaus. Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, 58% do salário referente ao mês de novembro foi depositado à categoria. O prefeito informou que até quinta (10), serão depositados os 42% dos salários. O débito é referente ao valor mensal de R$ 1,3 milhão, em atraso há cinco meses. A dívida completa deve ser paga até janeiro de 2016.

Verticalização urbana de Manaus é uma necessidade, diz presidente da Ademi

MANAUS - A verticalização das cidades com construção de edifícios é uma necessidade das grandes metrópoles e Manaus se encaixa nesse perfil, segundo o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM), Romero Reis. O tema foi abordado durante entrevista à Rádio Amazonas FM, na manhã desta quarta-feira (9). Leis, parâmetros urbanísticos existentes, agilidade na liberação de documentos e outros pontos foram destacados pelo presidente da Ademi.

Emendas ao Plano de Mobilidade Urbana para Manaus serão aceitas até dia 11

MANAUS - A comissão especial de análise do Plano de Mobilidade Urbana vai receber até o dia 11 deste mês as emendas ao projeto, de acordo com a Câmara Municipal de Manaus (CMM). Na última audiência, os pontos mais discutidos foram a falta de grandes corredores viários e a necessidade de novos eixos para ligar as vias entre si, além da preservação dos igarapés nas futuras intervenções na cidade.

No AM, indígenas em situação vulnerável devem reivindicar moradias em seminário

MANAUS - Associações do Amazonas vão promover, dia 11 deste mês, em Parintins, a 369 km de Manaus, o 1º Seminário da Região Norte sobre moradia dos povos em situação vulnerável, como os  pescadores, indígenas, ribeirinhos, quilombolas e refugiados. Segundo Janderlei Vieira, um dos coordenadores do evento, entidades envolvidas com a questão habitacional, como o Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal, estarão presentes no evento. Em entrevista à Rádio Amazonas FM, na manhã desta quarta-feira (9), a indígena Bia Kokama, representante da etnia Kokama, situada em Santo Antônio do Içá, interior do Amazonas, afirmou que a etnia vai reivindicar moradia do projeto Minha Casa Minha Vida para os indígenas da comunidade.

Prefeitura está 'em dia com subsídio', diz Arthur Neto sobre greve dos rodoviários

MANAUS - A greve dos rodoviários já atinge, somente na manhã desta quarta-feira (9), cerca de 40 mil usuários do sistema público de transporte em Manaus. A informação é do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). Segundo o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, a paralisação da categoria ocorreu, oficialmente, nesta quarta. A principal causa para a ação do trabalhadores é a falta de pagamento de salários. Conforme Arthur, a Prefeitura está "em dia com o pagamento do subsídio" às empresas, para que não ocorra o aumento da tarifa cobrada à população.

Três empresas do transporte público têm 100% da frota paralisada em Manaus

MANAUS - Nesta quarta-feira (9), terceiro dia de paralisação de rodoviários em Manaus, cerca de 40 mil são prejudicados, conforme informações do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). Participam do movimento rodoviários das empresas Líder, Vegas e Via Verde, que paralisaram 100% dos trabalhos nesta quarta.Segundo o diretor do Sindicado dos Rodoviários, Bruno Oliveira, o motivo da paralisação é o atraso no pagamento dos trabalhadores. Ainda de acordo com Oliveira, a paralisação seguirá por tempo indeterminado ou até que a situação do pagamentos seja resolvida.

Quadrilha especializada em assalto a bancos é presa em Manacapuru, no AM

MANAUS - Três homens foram presos suspeitos de integrar uma quadrilha interestadual especializada em assaltos a bancos, na madrugada desta quarta-feira (9), na cidade de Manacapuru, a 84 km de Manaus. De acordo com a polícia, dois suspeitos são do Paraná e um de Santa Catarina, no Sul do país. A prisão aconteceu após tentativa de assalto à uma agência do Banco do Brasil no município, que teve a parede perfurada pelos assaltantes. Nada foi levado pelo grupo.

Garimpo ilegal em Rondônia financiado por investigados da Lava Jato

Garimpo está localizado nas terras dos índios Cinta-Larga, em Rondônia. Foto: Reprodução/Funai
BRASÍLIA - O monitoramento realizado pela Polícia Federal de dois envolvidos na Operação Lava Jato, mostrou que eles financiavam a retomada do Garimpo Lage, mais conhecido como 'Garimpo de Roosevelt', em uma das maiores jazidas de diamantes do mundo. O garimpo está localizado nas terras dos índios Cinta-Larga, em Rondônia.
Segundo a Polícia Federal, para cada R$ 1 milhão financiado por eles, dinheiro que era usado na compra de máquinas e combustíveis e no pagamento de funcionário e indígenas, obtinha-se um retorno de R$ 6 milhões. “Ou seja, em seis meses, o potencial de retorno era R$ 12 milhões. Como isso vem sendo feito desde 2013, os valores podem chegar a R$ 48 milhões. Mas esse é um número a ser confirmado”, disse o delegado Bernardo Guidali Amaral, da Superintendência da PF em Rondônia. Ele é um dos responsáveis pela Operação Crátons, deflagrada nesta terça-feira(8).
Até o meio do ano, havia cerca de 700 garimpeiros trabalhando no local. “Só com o que foi extraído de madeira no último ano, visando ao funcionamento do garimpo, contabilizamos mais de R$ 1 milhão, valor que já está estipulado como dano mínimo ambiental”, informou o delegado. “O rasgo do garimpo na mata cresceu 30% desde 2013, o que comprova que a atividade vinha sendo exercida a pleno vapor, em uma das maiores jazidas do mundo, com diamantes de ótima qualidade”. A PF trabalha ainda com a hipótese de que algumas das pedras obtiveram certificação falsa, como se tivessem sido extraídas de garimpos legais.Nomes protegidos
Os nomes dos envolvidos não foram publicados para evitar prejuízos às investigações. “Duas pessoas monitoradas na Lava Jato, em Brasília, tiveram interceptação de ligações e e-mails. No decorrer das investigações, vimos que eles estavam envolvidos com o financiamento da atividade dentro do garimpo, adquirindo máquinas e contratando funcionários. Depois de retirados, os diamantes eram enviados ao grupo que financiou a atividade.”
A partir dessa constatação, os investigadores conseguiram identificar empresários locais e alguns indígenas – entre eles caciques – que participaram do esquema. Onze mandados de prisão estão sendo cumpridos pela PF, todos em Rondônia. Cinco dos envolvidos são empresários do garimpo e seis, indígenas. Nos demais estados, foram feitas buscas ou condução de pessoas suspeitas de envolvimento. Em Brasília, os policiais cumpriram mandados em residências e salas dos responsáveis pelo financiamento da extração do garimpo. “Há ligações muito fortes entre empresários e cooperativas e associações indígenas”, informou Amaral. Até o início da tarde, sete pessoas foram presas.
Outros inquéritos já haviam sido instaurados porque garimpos ilegais são problema crônico em Rondônia. Em 2004, 24 garimpeiros foram assassinados pelos índios, por estarem praticando a atividade irregularmente em Roosevelt. Por esse motivo, alguns caciques chegaram a ser presos na época.
“No início de 2014, recebemos informação da Funai [Fundação Nacional do Índio] de que havia garimpo no local. Fizemos, então, sobrevoo e constatamos, entre abril e maio, a atividade. A partir de então, instauramos inquéritos. Mas foi no meio do ano passado que teve início o compartilhamento de provas com a Lava Jato”, informou o delegado. Segundo ele, as investigações trabalham com a hipótese de que as pedras tenham sido usadas para lavagem de dinheiro.
Apesar de a investigação ter começado em 2014, foi comprovado que, desde 2013, havia a participação dos financiadores, envolvidos também na Lava Jato. O garimpo na região começou a ser intensamente explorado em 2000. Ao longo dos anos, em diversos momentos, o garimpo foi fechado a partir de atuações da PF, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Funai. “Mas elas eram pontuais, visando apenas ao fechamento do garimpo. A grande dificuldade está em mantê-lo fechado”, acrescentou o delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Cairo Costa Duarte.

Operação Crátons combate exploração de diamantes em Rondônia, Mato Grosso e Pará

BRASÍLIA - Como parte da Operação Lava Jato, a Polícia Federal iniciou nesta terça-feira (8), a 'Operação Crátons', em combate à exploração e comercialização ilegal de diamantes das terras dos índios cinta-larga, em Rondônia. Cerca de 220 policiais federais dão cumprimento a 90 mandados judiciais, sendo 11 de prisão preventiva, 41 de busca e apreensão, 35 de conduções coercitivas, além de 3 intimações para comparecimento a oitivas. Os mandados são cumpridos em Mato Grosso e Pará, além do Distrito Federal e nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia. A Justiça Federal também determinou o sequestro de um imóvel, bem como do dinheiro encontrado nas contas dos principais investigados para o ressarcimento dos danos ambientais praticados.
Colaboração 
A investigação apurou que uma organização criminosa, formada por empresários, advogados, comerciantes, garimpeiros e até indígenas, era responsável por financiar, gerir e promover a exploração de diamantes no chamado “Garimpo Lage”, localizado no interior da Reserva Indígena Parque do Aripuanã e de usufruto dos indígenas da etnia Cinta Larga.Indígenas da etnia Cinta Larga colaboravam com a extração e comércio das pedra. Foto: Reprodução/Shutterstock
A PF também identificou a participação de uma cooperativa e de uma associação indígena na extração ilegal dos diamantes. Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de extração de recursos minerais sem autorização do órgão competente, dano a unidade de conservação, usurpação de bem da união, receptação, organização criminosa, associação criminosa e lavagem de dinheiro.
O nome dado à operação faz referência às estruturas geológicas que dão origem à formação dos diamantes, chamadas de “crátons”.
Confira a lista de discriminação dos mandados:
Rondônia: nas cidades de Porto Velho (1 Condução e 1 busca), Ariquemes (1 condução e 1 intimação), Ouro Preto do Oeste (1 condução e 1 busca), Machadinho do Oeste (1 condução), Espigão do Oeste (8 prisões, 3 conduções, 15 buscas e 1 intimação) e Cacoal (3 prisões, 6 conduções, 8 buscas e 1 intimação)Mato Grosso: nas cidades de Juína (1 Condução e 1 busca) e Jaciara (1 Condução e 1 busca)
Pará: nas cidades de Tucumã (1 Condução e 1 busca) e Santarém (1 Condução e 1 busca)
Distrito Federal: 9 conduções e 9 buscas
São Paulo: na cidade de Piracicaba (1 condução)
Rio de Janeiro: na cidade do Rio de Janeiro (2 Conduções)
Minas Gerais: nas cidades de Belo Horizonte (1 condução e 1 busca), Francisco Sá (1 condução e 1 busca) e Araxá (1 Condução)
Paraná: na cidade de São José dos Pinhais (1 Condução)
Rio Grande do Sul: na cidade de Rio Grande (1 intimação)
Bahia: na cidade de Lauro de Freitas (1 condução e 1 busca)

Empresa tem 100% da frota de ônibus parada nesta terça-feira em Manaus

MANAUS - A empresa de transporte público Vegas, que atende, principalmente, a Zona Norte de Manaus, está com 100% da frota parada por conta da greve dos rodoviários que entrou no 2º dia, nesta terça-feira (8). A empresa conta com cerca de 500 funcionários e com 77 ônibus que fazem o transporte dos usuários. A categoria reivindica salários atrasados. Segundo o gerente operacional da Vegas, Marco Aurélio, o atraso no pagamento de salários ocorreu por dificuldades causadas pela crise econômica.

Após ficar sozinha em casa, criança com autismo cai do telhado do vizinho no AM

MANAUS - Um menino de 10 anos de idade caiu de uma altura elevada, nesta terça-feira (8), após subir no telhado da casa do vizinho, em Manaus. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o menino é autista e estava sozinho em casa no momento do acidente, que ocorreu na Vila Betel, situada na Rua Major Gabriel, no Centro da capital. Ainda segundo os agentes, o menino foi conduzido pelo Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o Pronto Socorro da Criança da cidade. A vítima relata dores na lombar e tem escoriações no joelho.

Cerca de 15 mil veículos devem deixar Manaus nesta segunda, diz Detran-AM

MANAUS - Cerca de 15 mil veículos devem deixar Manaus, nesta segunda-feira (7), véspera de feriado no Amazonas. No feriado desta terça (8), a estimativa é que 5 mil veículos deixem a capital, conforme estimativa divulgada pelo Departamento Estadual de Trânsito no Amazonas (Detran-AM). Os destinos mais procurados entre as pessoas são: Presidente Figueiredo e Itacoatiara. Nos últimos quatro dias, 10 mil usuários utilizaram o transporte coletivo intermunicipal, segundo a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam).

Detran-AM registra queda no número de emplacamentos de carros novos

MANAUS - A crise política que afeta a economia brasileira tem gerado desemprego e agora atinge, também, emplacamentos de veículos novos no Amazonas. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), que emplacava em média seis mil veículos por mês, teve redução de 30% a 50% no serviço. Segundo o diretor-presidente do órgão, Leonel Feitosa, outro fator preocupante é o elevado índice de inadimplência quanto ao pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Conforme ele, cerca de 60% dos proprietários de veículos não fizeram a devida quitação.

Detran prepara primeira Convenção de Trânsito do Acre

RIO BRANCO - Com o tema "Todos na Direção de um Trânsito Seguro", o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) vai promover a Primeira Convenção de Trânsito do Acre. O evento será realizado no dia 9 de dezembro, no auditório da Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO) e tem o objetivo de abordar diversos temas relacionados à segurança viária, promovendo a cultura de paz no trânsito.

Rodoviários do transporte público dão início a greve nesta segunda, em Manaus

MANAUS - O sistema de transporte público em Manaus foi alvo de greve por parte dos rodoviários, na manhã desta segunda-feira (7). Apenas 30% dos ônibus circulam pela capital. Apesar da paralisação parcial da frota, funcionários de pelo menos três empresas da categoria garantiram que a ação ocorre dentro da normalidade. Ainda segundo os trabalhadores, a greve tem como principal causa questões salariais.

Mãe e filho são encontrados mortos dentro de casa em Manaus

MANAUS - Uma mulher de 41 anos e um adolescente de 16 foram encontrados mortos, na tarde deste domingo, na Rua Alexandre Herculano, antiga Rua Campos Sales, no bairro Compensa 2, na Zona Oeste de Manaus. Conforme informações da Polícia Civil, as vítimas eram mãe e filho. Eles foram atingidos com diversos golpes de faca. Ainda de acordo com a Polícia Civil, não há informações de possíveis suspeitos e vizinhos no local informaram que não testemunharam movimentações na casa.

Envenenamento de crianças indígenas em Mato Grosso é investigado

CUIABÁ - Uma suposta tentativa de envenenamento de crianças indígenas da etnia bororo é investigada pelo Ministério Público Federal (MPF). As crianças vivem na terra de Jarudore, no município de Poxoréu (a 259 km de Cuiabá). A região é objeto de disputa entre índios e posseiros há mais de 50 anos, com processo na Justiça Federal, relatos de ameaças e invasões de faixas de terras por ambas as partes. As informações são do G1 Mato Grosso.Segundo o MPF, na última semana peixes envenenados foram deixados por uma pessoa ainda não identificada perto da porteira de acesso à terra indígena, em um ponto onde crianças da aldeia local costumam aguardar ônibus escolares. Nenhuma criança morreu ou chegou a se alimentar dos peixes, mas há relatos de que cinco cães da aldeia e alguns animais silvestres - como tatus e serpentes - morreram com suspeita de intoxicação após ter contato com os peixes.O caso chegou ao conhecimento do MPF na última sexta-feira e foi detalhado por agentes da Fundação Nacional do Índio (Funai), que foram até a terra indígena de Jarudore, a cerca de 50 km do centro de Poxoréu. O local tem mais de 4,7 mil hectares tradicionalmente habitados por índios da etnia bororo, mas há mais de cinquenta anos tem sido ocupada ilegalmente também por posseiros que, segundo o MPF, perseguem os indígenas e são responsáveis pela situação de instabilidade crescente na área. O MPF defende que seja realizada uma operação de desintrusão.Segundo o relato dos agentes da Funai, foram observadas dezenas de besouros e moscas mortas em contato com os peixes deixados na entrada da terra indígena. As suspeitas de que o alimento envenenado foi deixado ali para atrair as crianças das aldeias também virou alerta para a Polícia Federal (PF), que foi até a área para realizar uma perícia ainda na noite de sexta-feira.A suposta tentativa de envenenamento das crianças é considerada um ato hediondo e a PF já identificou alguns suspeitos de terem deixado o alimento envenenado com esse propósito. Para o procurador da República Paulo Taek, o caso evidencia a perseguição que vem sendo sofrida pelos bororo por parte dos invasores da terra.Terra invadidaTal perseguição, segundo o MPF, tem levado os indígenas a se retirarem da terra que lhes é de direito a fim de aguardar a realização de uma operação de desintrusão que torne a área segura. Tanto que a aldeia Nova Jarudore, localizada dentro da terra indígena, atualmente ocupa apenas sete dos mais de 4,7 mil hectares demarcados.Na aldeia, vivem atualmente apenas cerca de 25 adultos e 50 crianças (ao todo, a etnia bororo no Brasil atualmente perfaz uma população de 1.686 pessoas, segundo o último levantamento da Secretaria Especial de Saúde Indígena, ligada ao Ministério da Saúde).A retirada dos invasores de uma parte de Jarudore, com 700 hectares, já foi decretada pela Justiça Federal. Os alvos são três posseiros, mas até o momento não foi realizada a operação para cumprimento da retirada deles, decisão provocada por ação civil pública movida pelo MPF.A ocupação ilegal por não-índios tem ocorrido, segundo o MPF, devido à sobreposição de terras do distrito de Paz de Jarudore, de Poxoréu. O distrito foi criado por lei municipal de 1958 com área de 142,8 mil hectares, os quais ocupam a integridade do território de Jarudore, demarcado oito anos antes e registrado com 4.706 hectares no mesmo ano de publicação – mais oito meses antes - da lei municipal que criou o distrito sobreposto. O município, então, passou a incentivar a ocupação do novo distrito, concedendo faixas de terras a não-indígenas.No entanto, a ocupação tradicional de uma área de 100 mil hectares naquela região por parte dos índios bororo já havia sido reconhecida no início do século passado pelo Marechal Cândido Rondon. Mesmo com o reconhecimento do marechal, o primeiro decreto do estado de Mato Grosso a reservar a área para os bororos já a reduziu drasticamente a apenas seis mil hectares, os quais vieram a se reduzir ainda mais com a demarcação federal.

Sítio arqueológico de Porto Velho abriga urnas funerárias

PORTO VELHO - O sítio arqueológicodescoberto no mês de setembro na comunidade Nova Aliança, região do Baixo Madeira, em Porto Velho, foi confirmado por uma equipe de professores do curso de arqueologia da Universidade Federal de Rondônia (Unir), que encontrou na localidade vestígios de ocupação humana, com data ainda desconhecida.Após pesquisas realizadas no local, foi iniciada na última semana a escavação para o resgate de 12 urnas funerárias com registros de sepultamento humano, e materiais para análise para ser estimada a idade dos objetos. A equipe de escavação foi composta por  professores e acadêmicos da Unir, e uma arqueóloga da Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel) com o apoio do Exército e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan).O material coletado está no laboratório de arqueologia da Unir, onde deve permanecer até ser finalizada a escavação e a identificação dos mesmos. Segundo a arqueóloga Alyne Mayra, trabalhos como esses são de extrema importância, pois evidenciam processos de ocupação pré-colonial e mostram um pouco das populações que aqui viveram e deixaram seus vestígios.Para o superintendente Rodnei Paes, descobertas como esta nos levam a entender como viviam os povos no passado e a preservar a memória e a cultura da rica história de Rondônia. De acordo com a diretora do Museu, Ednair Nascimento, após finalizada as pesquisas, as urnas e os esqueletos humanos irão para exposição no Museu Palácio da Memória Rondoniense, antigo Palácio Presidente Vargas, onde funcionava a sede do governo e que hoje abriga todo o acervo histórico e pré-histórico que está sob a guarda do estado.

Veículo derruba poste após colisão em avenida de Manaus; não houve feridos

MANAUS - Um veículo colidiu contra um poste, por volta das 6h deste domingo (6), na Avenida Coronel Teixeira, próximo a rotatória da Avenida do Turismo, na Zona Oeste de Manaus. De acordo com o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) o condutor não sofreu ferimentos.