Manaus 30º • Nublado
Domingo, 14 Abril 2024

Importação e estiagem favorecem para aumento no preço do litro do açaí no Amapá

Consumidores de açaí do Amapá notaram um considerável aumento no preço do produto no último mês de 2023 e o valor continua alto, chegando a custar R$ 25 o litro. A previsão é que o valor aumente ainda mais neste começo de ano.

O período de estiagem foi o principal fator para esse aumento, outra razão, é a importação do açaí do interior do Pará. Apenas 2% das batedeiras utilizam a fruta do território amapaense.

Foto: Reprodução/Arquivo Rede Amazônica

De acordo com o representante da Cooperativa de Produtores e Batedores de Açaí do Amapá (Cobap), Marinaldo Conceição, o principal motivo para o valor elevado foi a forte estiagem que aconteceu em 2023. "A falta de chuva na região da safra provocou uma redução do produto no cacho e fez com que o valor elevasse nas feiras e também na batedeira", disse.

Segundo Marinaldo, as festas de fim de ano também prejudicaram a produção, uma vez que as pessoas que retiram o fruto (peconheiros), tiveram que se deslocar para estar junto da família.

O valor no fornecimento do açaí para os vendedores do Amapá saiu de R$ 220 para R$ 350 a saca, dependendo da localidade. O que acaba aumentando o valor final do produto.

O presidente da Associação dos Batedores de Açaí, Antônio Alves, destacou outro motivo para o aumento. A importação do produto, que é proveniente das ilhas do Pará.

"Recebemos esse produto das Ilhas do Pará, e a exportação nesse período tem um alto custo, o produto chega em um valor muito alto, então para não perder dinheiro, os vendedores aumentam o preço ou não vão ter lucro", disse.

Em função do constante aumento no valor do açaí, é necessário que fiscalizações sejam feitas. As instituições representativas de batedores de açaí no Amapá estão realizando uma atualização cadastral dos profissionais.

Atualização cadastral de batedores de açaí 

Os batedores devem se regularizar através de formulário online na Associação dos Batedores de Açaí do Amapá (ASBAP) e a Cooperativa Agrícola Mista de Desenvolvimento Sustentável no Estado do Amapá (COAMA).

Ainda de acordo com o representante da Cobap, Marinaldo Conceição, os vendedores de açaí no estado, acabam atuando por conta própria e colocam o seu próprio preço, que varia de R$ 16 a R$ 25, e sem uma fiscalização adequada o valor sobe, contribuindo para a alta cobrança.

"Estamos esperando a nova safra que vai começar a partir de fevereiro, onde o açaí na nossa estrada vai chegar para fortalecer mais, enquanto isso, vai ficar oscilando esse preço no mercado, devido à baixa produção do produto no cacho", reforçou o representante da Cobap.

O açaí é uma potência econômica na região norte. Segundo dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o consumo per capita de açaí no Estado do Amapá é de R$ 190 à 230 milhões por ano.

Ainda de acordo com as informações do IBGE, existem de 3 a 5 mil batedores de açaí no Amapá, esse número varia conforme a safra.  


Veja mais notícias sobre EconomiaAmapá.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 14 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/