Tocantins cria Secretaria dos Povos Originários e Tradicionais e empossa uma mulher indígena

Narubia Werrería tem suas origens no Povo Iny, da Ilha do Bananal, localizada em uma área cercada pelos rios Araguaia e Javaé, e desde muito cedo iniciou o seu ativismo a favor dos povos indígenas.

O Tocantins entra para a história ao empossar uma mulher indígena como secretária de governo e pela criação da Secretaria dos Povos Originários e Tradicionais. Em cerimônia simbólica realizada no dia 15 de fevereiro, o governador Wanderlei Barbosa deu posse a Narubia Werrería. Com seu contingente populacional contemplando 12 etnias indígenas e mais de 44 comunidades quilombolas, pela primeira vez, nos 34 anos de existência do Estado, os povos indígenas recebem destaque em sua estrutura governamental.

Em solenidade que reuniu representantes indígenas e quilombolas no auditório do Palácio Araguaia, sede do Executivo Estadual, o governador Wanderlei Barbosa garantiu que Narubia Werrería terá autonomia para atender às demandas das comunidades que sua Pasta representa. “A secretária Narubia tem a missão de fazer um trabalho de integração com as demais Secretarias de Estado e traçar metas para que possamos chegar até a essas comunidades e atender as demandas dos povos originários e tradicionais. Para isso, nosso Governo vai garantir que a senhora tenha autonomia e orçamento necessários”, enfatizou.

Narubia Werrería é a primeira indígena a assumir o comando de uma Secretaria de Estado no Tocantins. Foto: Divulgação/Governo do Tocantins

A criação desta secretaria de Estado está alinhada com a criação do Ministério dos Povos Indígenas pelo Governo Federal. Por vídeo, a ministra Sônia Guajajara enviou uma mensagem à secretária empossada. “Desejo boa sorte, Narubia, e que você tenha certeza que podemos articular várias atividades no Tocantins juntamente com o Ministério”, disse a ministra.

“Hoje não sou apenas eu, Narubia, que tomo posse. São os meus ancestrais, primogênitos e primogênitas dessa terra, os povos originários e tradicionais que tomam posse do lugar que sempre foi nosso, mas que somente o governador Wanderlei Barbosa, um filho desta Terra, reconheceu e nos conduziu ao nosso lugar de direito”, frisou a nova secretária. 

Ao observar o auditório repleto de diversos grupos étnicos, Narubia Werrería ainda enfatizou o reconhecimento de uma luta histórica: “O Tocantins toma posse dos seus povos originários e tradicionais, entrando pela porta da frente do Palácio Araguaia pela mão do nosso governante, e por uma luta histórica de reconhecimento”.

Secretária Narubia Werrería afirmou durante discurso de posse que a real riqueza de um povo é valorizar sua história e cultura. Foto: Divulgação/Governo do Tocantins

Ciente da responsabilidade e da representatividade que o cargo traz consigo, Narubia Werrería projetou que trabalhará para que os povos originários e tradicionais deixem de ser vistos pejorativamente como estorvo e entrave ao desenvolvimento econômico. “Nosso modo de vida mostrará um novo caminho para trilharmos, se quisermos ter um futuro mais humano, justo e ambientalmente equilibrado, pela saúde do planeta”, destacou.

Para Narubia Werrería, a real riqueza de um povo é valorizar sua história e cultura. “A partir de hoje, quando falarem que ‘aqui só tem índio’, responda com orgulho que nesta Terra os povos indígenas e quilombolas resistiram. As quebradeiras de coco também seguem resistindo. Aqui tem mulher indígena secretária de estado e aqui tem curraleiro governador”, brincou a secretária com o fato de Wanderlei Barbosa ser chamado de “curraleiro” pelo seu eleitorado, e ser o primeiro governador do Estado nascido em território tocantinense.

Narubia Silva Werreria é ativista das causas dos povos originários e tradicionais, além de cantora, compositora, artista plástica, poetisa e produtora cultural. Suas origens vêm do Povo Iny, na Ilha do Bananal, e desde muito cedo iniciou o seu ativismo a favor dos povos indígenas. Na Universidade Federal do Tocantins, onde estudou direito, ela se destacou por defender e dar voz às causas dos povos originários, não somente da região onde ela pertence, mas de todo o território tocantinense.

Dentre as missões da nova secretaria, está a de propor diretrizes para a política estadual de proteção aos povos indígenas e quilombolas do Estado do Tocantins.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: o que é comida ‘remosa’?

Um estudo buscou promover uma revisão bibliográfica sobre o tema e propor uma hipótese teórica para o fenômeno.

Leia também

Publicidade