Pescador vence “briga” e fisga pirarucu com mais de dois metros e 130 quilos em Rondônia

Essa não foi a primeira pescaria de grandes emoções que Fábio participou. Em maio de 2023, outra “briga” foi registrada pelo pescador também com um pirarucu gigante.

Fábio Baca conseguiu, pela quinta vez, uma façanha que muitos pescadores sonham: fisgar um pirarucu (Arapaima gigas) com mais de dois metros e 130 quilos. A pescaria aconteceu em Jaci-Paraná, distrito de Porto Velho (RO).

“Vencer mais essa batalha com o peixe mais mítico e imponente de nossas águas está, sem dúvidas, entre as maiores conquistas da minha trajetória como pescador esportivo”,

escreveu nas redes sociais.

O peixe foi fisgado em janeiro deste ano, mas o vídeo foi publicado na redes sociais do pescador somente esta semana.

Foto: Arquivo Pessoal

Fábio contou à Rede Amazônica que saiu para pescar no rio Madeira com um guia da região. Eles ficaram por algumas horas no local, até que Fábio decidiu se aventurar em um lago próximo.

“Quando eu tava mais ou menos no meio [do lago], eu vi o pirarucu boiando. Ele saiu pra respirar e eu joguei uma isca artificial na frente dele e ele atacou. Aí eu fisguei o peixe e comecei a gritar [para] o Edmar [o guia] que tava lá no rio, mas ele não ouvia”, relembra.

Aos gritos de empolgação, Fábio “brigou” com o pirarucu por cerca de meia hora, até que o parceiro de pesca ouviu o chamado e veio ajudar. Edmar “rebocou” Fábio e o peixe até às margens do lado, uma região mais rasa.

Foi então que começou outra missão: tentar colocar o pirarucu em cima do caiaque ou do barco para registros. Spoiler: a missão falhou.

“Não conseguimos colocar o peixe em cima do caiaque nem em cima do barco porque ele era muito grande e muito pesado. Mesmo em dupla a gente não conseguiu levantar ele”, comenta Fábio.

Depois de fotografado, o peixe foi devolvido à natureza. O peixe conseguiu cansar a dupla e dar fim à pescaria.

“Uma alegria muito grande que a gente conseguiu o peixe pra vida com condições de sobreviver e ele foi embora nadando e a pescaria acabou por aí, a gente já não queria mais pescar, já tinha feito tudo que precisava”. 

Outros registros 

Essa não foi a primeira pescaria de grandes emoções que Fábio participou. Em maio de 2023, uma “briga” com outro pirarucu gigante foi responsável por uma vara de pescar quebrada, boca machucada e muito cansaço.

E depois de muito cansaço, por parte do peixe e do pescador, Fábio conseguiu colocar o pirarucu dentro do caiaque. Por sorte, já que o animal ocupou quase todo o espaço da embarcação.

A pescaria esportiva é a paixão de Baca e ele intercala com a profissão de procurador federal em Rondônia. Natural do Espírito Santo, Baca acumula mais de 2,2 milhões de seguidores no YouTube.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Pesquisa realizada no Amazonas reduz contaminação e aumenta agentes de defesa da banana

Os testes constataram que o ozônio aumentou o tempo de prateleira das bananas de 7 para 14 dias, em temperatura ambiente, dois dias a mais do tempo superior ao fungicida comercial.

Leia também

Publicidade