Manaus 30º • Nublado
Quarta, 21 Fevereiro 2024

Três florestas em uma? Conheça os tipos de vegetação da Amazônia

Foto: Chico Batata
A maior floresta tropical do planeta, um local de mistérios e segredos que origina inúmeros mitos e lendas. A floresta amazônica é famosa por sua exuberância no mundo inteiro. Sua variedade de fauna, com animais como: jacarés, onças-pintadas e botos retém admiradores e pesquisadores ao redor do globo. Com sua vegetação, não poderia ser diferente. 

Com a mesma riqueza e variedade da fauna, a vegetação amazônica pode ser dividida em três categorias que compõem o bioma: matas de terra firme, matas de várzea e matas de igapó.

Entenda qual a diferença entre elas e quais suas principais características.

Matas de terra firme 

Mata de Terra Firme. Foto: Marcelo Kuhlmann

Como o próprio nome indica - e diferente das duas outras classificações - as matas de terra firme recebem este nome por não serem inundadas por rios e não sofrerem com as ações do período de cheias. Localizadas em altas altitudes, nestas áreas da floresta as árvores têm grande tamanho, oscilando entre 30 e 60 metros, e são extremamente próximas umas as outras, formando uma vegetação densa, escura e úmida.

Diversas espécies fazem desta mata o seu habitat - de 140 a 280, de acordo com dados da Embrapa - e algumas das árvores mais populares que se localizam nela são a castanheira e a palmeira.  

Matas de várzea  

Mata de Várzea. Foto: Marcelo Kuhlmann

Esta tipologia de vegetação é periodicamente inundada, ou seja, existem épocas do ano em que está coberta pela água e outras em que está seca. Isto se dá por conta dos processos de estiagem e cheia, orientadores biológicos e geográficos da Amazônia.

A mata de várzea se subdivide em dois tipos principais: várzea alta e várzea baixa. A primeira tem formação muito densa e fechada, com árvores altas - média de 20 metros -, e com galhos espinhosos. Sua formação acompanha a margem dos rios. 

Apesar de ter menor diversidade em sua flora, quando comparada com a mata de terra firme, ainda conta com espécies como sumaúma e andiroba.

Já o segundo tipo (várzea baixa) acontece em áreas de acumulo de água, após a cheia (enchente) dos rios, e pode permanecer alagada pelo ano inteiro. Espécies mais conhecidas da várzea baixa são o açaizeiro e o buriti.

Mata de Várzea: interior. Foto: Marcelo Kuhlmann/Embrapa

Além disso, a coloração da água que banha as matas de várzea costuma ser barrosa, pelo acúmulo de sedimentos presentes em sua composição. Os principais representantes deste tipo de água são os rios Solimões, Amazonas, Madeira e Purus.

Apesar de estarem em altitudes menores do que as matas de terra firme, as várzeas ainda se encontram mais elevadas que o próximo tipo de floresta:

Matas de igapó 

Foto: Divulgação
São florestas submersas, encontradas em áreas de relevo mais baixo, permanentemente alagadas. As matas de igapó tem uma vegetação adaptada a alta taxa de umidade, sendo composta principalmente por arbustos, cipós e árvores de pequeno porte (no máximo 20 metros).

Este tipo de mata é banhada por águas escuras ou marrom avermelhada. Esta coloração é resultado da decomposição lenta do material vegetal presente. O Rio Negro é o mais importante representante deste modelo de rio. 

*Estagiário sob supervisão de Clarissa Bacellar


Veja mais notícias sobre AmazôniaMeio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 21 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/