Manaus 30º • Nublado
Quarta, 08 Fevereiro 2023

Kit para identificar postas e filés de piramutaba é desenvolvido em pesquisa realizada no Amazonas

Pesquisadores desenvolveram um kit biotecnológico que torna possível identificar se filés e postas de piramutaba, espécie de bagre encontrada nos rios da Amazônia, vendidos em supermercados e frigoríficos correspondem de fato à espécie indicada nas etiquetas dos produtos. 

De acordo com a coordenadora do estudo, a doutora em Genética Kyara Martins Formiga, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o mecanismo desenvolvido para identificação é eficiente, rápido e seguro. Para isso, é necessário utilizar um pequeno pedaço do filé ou posta do peixe, e aplicar o teste.

"É mais rápido e com menor custo. Existem vários trabalhos de identificação de peixes que envolvem o sequenciamento de DNA, mas nesses têm todo um processo que requer maior quantidade de insumos e reagentes que são caros, e levam mais tempo para se obter uma resposta de identificação. Já a metodologia desenvolvida pelo nosso projeto é mais rápida",

explicou.
Foto: Érico Xavier/Fapeam

Na pesquisa, a metodologia utilizada para a correta identificação de filés e postas de piramutabas é o qPCR, abreviação para quantitative polymerase chain reaction, em português, "reação em cadeia da polimerase quantitativa", popularmente conhecida como RT-PCR (uma das técnicas utilizadas para o diagnóstico da Covid-19).

O qPCR, em linhas gerais, é um método usado para multiplicar uma amostra de DNA por diversas vezes, sendo identificada a espécie alvo. No âmbito da pesquisa, o qPCR identifica se o DNA encontrado no material coletado corresponde ou não à espécie informada pelos fabricantes no rótulo.

Contribuição

Conforme destacou a pesquisadora, o uso desses kits biotecnológicos pode oferecer aos consumidores a segurança de que estão de fato consumindo um produto de qualidade e sem nenhum tipo de adulteração na origem.

Além disso, a coordenadora ressaltou que os próprios fornecedores de filés e postas de pescado podem, no futuro, buscar os serviços de utilização do kit biotecnológico para atestar a qualidade e a procedência dos seus produtos. Além da piramutaba, a pesquisa visa, em um futuro próximo, elaborar kits para identificar mais seis espécies de peixes comercializados e vendidos em forma de postas e/ou filés na região Amazônica.

Foto: Érico Xavier/Fapeam

Equipe e apoio

O projeto conta com a contribuição direta e indireta de 11 colaboradores. Profissionais do Inpa e do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) integram a equipe. Iniciada em 2021, a previsão atual é que a pesquisa seja finalizada em 2023.

A pesquisa, intitulada 'Kits biotecnológicos para certificação molecular de filés de pescado comercializados no estado do Amazonas', recebe apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa Amazônidas – Mulheres e Meninas na Ciência, edital nº 002/2021. 

O Programa visa estimular o aumento da representatividade feminina no cenário de ciência, tecnologia e inovação, a fim de fomentar projetos de pesquisa, tecnologia e inovação como uma ação afirmativa que visa à ampliação da participação feminina na liderança desses projetos.

Veja mais notícias sobre Inovação e TecnologiaAmazonas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 08 Fevereiro 2023

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/