Conheça a versatilidade culinária da ora-pro-nóbis amazônica, PANC também usada de forma medicinal

A ora-pro-nóbis também pode ser utilizada como um complemento de nutrientes para o corpo humano.

A planta ora-pro-nóbis (Pereskia bleo) está classificada entre as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC), também utilizada para uso medicinal e ornamental. A planta é conhecida como cariru-de-espinho e cacto-de-folha, e pode ser encontrada em diversas regiões do Brasil, como a Amazônia.

Essa planta se caracteriza por suas folhas resistentes e ricas em nutrientes, com seu alto teor de fibras ela auxilia na regulação do funcionamento do intestino. A ora-pro-nóbis também pode ser utilizada como um complemento de nutrientes para o corpo humano. Com suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, são importantes aliados na prevenção de diversas doenças.

A origem do seu nome surgiu da expressão ‘Ora pro nóbis‘ significa “orai por nós”, frase que se originou da prática do catolicismo. 

Nativa da Amazônia, é encontrada em climas tropicais, pode ser cultivada no sol e plantada diretamente no solo, com a drenagem adequada. A partir dessa planta, é possível realizar receitas com suas folhas, frutos e flores. 

Foto: Reprodução/ Livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil.

De acordo com as informações do livro ‘Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil’, do pesquisador Valdely Kinupp, entre as suas principais características estão os seus ‘espinhos’ (acúleos) que medem entre 2 e 8 metros de altura. Suas folhas são espessas e variam entre 10 e 20 centímetros de comprimento. Já as flores possuem uma coloração alaranjada e podem ser formadas o ano inteiro no clima amazônico. Seus frutos são em forma de pião ou sino, de cor amarelada.  

“É uma hortaliça folhosa, muito consumida na Malásia e usada popularmente para prevenção de câncer de mama no Panamá e na Malásia. Estudos laboratoriais confirmaram ação citotóxica sobre células de câncer de mama, mas é polêmico. Contudo, as folhas são muito gostosas, mesmo cruas e são antioxidantes. São usadas, inclusive, em chás revigorantes e para tratar gastrite, úlcera, diabetes e hipertensão”.

Trecho do livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil, de Valdely Kinupp.

Kinupp descreve a planta como detentora “de uma versatilidade sem fim”. Isso porque pode ser consumida em sopas, omelete e até mesmo farinha.

Confira receitas simples que podem ser feitas com a planta:

Mousse de ora-pro-nóbis amazônico

Com os frutos da planta é possível fazer doces como mousse. Para essa receita é necessário um fruto maduro, lavado, picado e sem sementes. Para chegar ao mousse basta triturar 400 g de frutos, adicionar uma lata de leite condensado, uma lata de creme de leite ou iogurte natural e 5g de gelatina sem sabor diluída. Após misturar todos os ingredientes até estar homogêneo, basta refrigerar e servir a sobremesa refrescante.

Mousse de ora-pro-nóbis amazônico. Foto: Reprodução/ Livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil.

Flores salteadas 

Para essa receita é necessário flores jovens e botões desenvolvidos de ora-pro-nóbis. Após lavagem é preciso temperar com manteiga, azeite, alho, sal, manjericão e outros temperos a gosto. A retirada do pedúnculo (base) floral é opcional, pois é similar a um quiabo e pode ser feita à parte. As flores salteadas podem ser consumidas com verdura ou esmagadas e o suco vermelho pode ser usado para massas. 

Flores salteadas de cacto-de-folha. Foto: Reprodução/ Livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil.

Confira a explicação do pesquisador sobre a planta:

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

A realidade da Reserva Legal na Amazônia e o Projeto de Lei 3334/2023

As Reservas Legais, juntamente com as APPs, desempenham um papel essencial nesse contexto, protegendo a vegetação nativa e garantindo acesso aos benefícios proporcionados pelos ecossistemas.

Leia também

Publicidade