Produtores de quatro municípios paraenses apresentam versatilidade do cacau em festival internacional

Agricultores das diferentes regiões de integração do Pará mostrarão na ‘Chocolat Amazônia’ que o cacau é essencial para a restauração florestal de áreas degradadas.

Além de ser fonte para a produção e fabricação de uma gama de produtos – como o chocolate, por exemplo, o cacau é essencial para a restauração florestal. O público que visitar o Festival Internacional do Chocolate e do Cacau – Chocolat Amazônia, de 17 a 20 de agosto, poderá conferir de perto os benefícios proporcionados pelo fruto ao meio ambiente. 

As ações do programa Territórios Sustentáveis (TS) executadas no âmbito da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca(Sedap) serão apresentadas durante os quatro dias de evento no Hangar Centro de Convenções da Amazônia em Belém (PA), com entrada gratuita.

O ‘TS’ terá um espaço com a participação de 41 produtores de cacau de quatro municípios que já avançaram bastante nos resultados almejados pelo programa: Placas, Medicilândia, Brasil Novo e Anapu. Esses municípios, como informou o coordenador do programa Territórios Sustentáveis pela Sedap, Tiago Catuxo, estão em fase final da implantação de um hectare de sistema agrofloretal.

Foto: Reprodução/Senar

Lançado em outubro de 2019, o Programa Territórios Sustentáveis integra o Plano Estratégico e Estadual Amazônia Agora (PEAA) e resulta da parceria de órgãos estaduais. A Sedap, como secretaria de fomento, ficou responsável pela execução do programa no segmento da agricultura sustentável. 

“O principal objetivo do ‘Territórios Sustentáveis’ é a recuperação ambiental e a maior parte dela é feita com a utilização de cacau, em especial, da região da Transamazônica, de onde está vindo uma boa parte dos produtores”,

frisou o coordenador do programa.

Foto: Divulgação/Agência Pará

A maioria dos agricultores que trabalham com o cacau, como observou Catuxo, já está fazendo recuperação das suas áreas. 

“Estamos trazendo eles ao festival para que possam vivenciar o que é o mercado do chocolate e da cacauicultura no estado como um todo; para que eles possam dentro do evento, por ser um festival internacional, idealizar a questão dos seus plantios e da recuperação ambiental dentro das suas propriedades”, 

detalhou o coordenador do programa.

O espaço do ‘Território Sustentáveis’, como explicou Tiago Catuxo, será um ponto de apoio aos agricultores que participarão do evento em diversas atividades, como capacitações, palestras e de toda a dinâmica do festival.

Foto: Divulgação/Agência Pará

“Também estaremos com outras instituições que participam do TS, como a de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), o Iterpa e a Adepará; o objetivo é que esses agricultores e o público em geral, conheçam o programa dentro do festival. Será uma oportunidade para mostrar que o cacau além de produto, é essencial para a restauração florestal”, avaliou Catuxo.

De acordo com as informações repassadas pela coordenação do Programa Territórios Sustentáveis, 45 municípios de todas as regiões de integração do Pará aderiram à iniciativa; foram atendidas 5 mil famílias. A meta prevista para o próximo Plano Plurianual(PPA) prevê a inclusão de mais 55 municípios a serem atendidos e mais 5.500 famílias alcançadas com as ações do programa.

Este e outros resultados positivos que a cacauciltura paraense apresenta ao meio ambiente serão apresentados ao público durante quatro dias em que será realizado no Chocolat Amazônia. No total, a programação ocupará 10 mil metros quadrados do Hangar. No espaço, estarão funcionando 60 estandes de venda de produtos feitos à base de chocolate, 50 de flores e plantas, 10 institucionais e 20 de vendas de bombons, entre outros.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade