Manaus 30º • Nublado
Terça, 28 Junho 2022

Larvicida produzido com óleos da Amazônia pode atuar no combate ao Aedes aegypti

Pesquisadores da Universidade Federal do Amapá (Unifap) desenvolveram um larvicida produzido à base de óleos encontrados na Amazônia e casulos do bicho da seda. O objetivo é que o produto seja usado no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya. Entre os óleos utilizados na produção, estão o da andiroba, castanha-do-brasil, tucumã e do murumuru. 

O estudo, realizado por integrantes do colegiado de química, vai ser publicado em uma revista científica. A equipe já realizou o pedido de patente do produto, que é o primeiro larvicida produzido no país com ingredientes encontrados na floresta amazônica.

O aluno de doutorado da Rede de Biotecnologia da Região Norte, Victor Marinho, explicou que o larvicida, por ser feito com produtos naturais, não gera prejuízos ao meio ambiente.

"A vantagem das nossas formulações é que elas não são tóxicas ao meio ambiente e nem a outros animais, tendo ação voltada somente para o combate das larvas do mosquito aedes aegypti", frisou.

Professor Irlon Ferreira manuseando seringa com larvicida feito à base de produtos naturais. Foto: Reprodução/Rede Amazônica AP

Já os casulos do bicho da seda são usados na etapa de solubilização dos óleos regionais durante o processo de fabricação do larvicida. Segundo o professor Irlon Ferreira, coordenador da pesquisa, o casulo é um material versátil e muito usado na confecção de sutura e pinos na biomedicina. 

"No meu doutorado eu trabalhei com esse biomaterial muito interessante e versátil, que vem sendo utilizado internacionalmente na produção de esponja, sutura e pinos dentro da área biomédica. Quando entrei na Unifap, senti a necessidade de aprimorar com os materiais que temos aqui na Amazônia de grande abundância, que são os óleos", 

 explicou Irlon.
Casulos feitos pelo bicho da seda. Foto: Reprodução/Rede Amazônica AP

Com isso, o professor detalhou que o cunho científico da pesquisa foi analisar como a função larvicida dos óleos naturais reagia após combinada com a proteína presente nos casulos do bicho da seda. "A ideia desse trabalho é fazer esse processamento da proteína presente nos casulos do bicho da seda para incorporar a uma formulação com os óleos da Amazônia e fazer com que a gente avalie a atividade larvicida desses óleos em combinação com essa proteína", disse.

Com a publicação do trabalho próxima e a patente do produto já encaminhada, a equipe de pesquisadores reforça a necessidade em mostrar a importância de estudos desenvolvidos nas universidades federais.

"Eu me sinto feliz, porque isso mostra o nosso trabalho dentro da universidade pública e que nós fazemos trabalhos importantes para o desenvolvimento da região amazônica e para o resto do país", avaliou o aluno Victor Marinho.

Por Karina Rodrigues e Victor Vidigal, do g1 Amapá


Veja mais notícias sobre SaúdeAmapá.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/