Manaus 30º • Nublado
Quinta, 18 Abril 2024

Cultivo de soja fica proibido em Roraima até março de 2024

Durante os próximos 90 dias produtores de soja estão proibidos de cultivar soja em Roraima. A medida iniciou nesta terça-feira (19) e encerra em 18 de março de 2024. O objetivo é evitar a propagação da ferrugem-asiática nas áreas produtivas, quebrando o ciclo de produção de esporos do fungo.

A restrição é da Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Roraima (Aderr), por meio da portaria nº 821, e segue determinação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esta é a segunda vez que a medida é aplicada em Roraima.

É uma estratégia agrícola, segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), utilizada para quebrar o ciclo da praga do fungo Phakopsora pachyrhizi, agente causador da ferrugem-asiática (ou ferrugem-da-soja).
Foto: Lenito Abreu/Governo do Tocantins

"O principal dano dessa praga é a desfolha precoce, impedindo a completa formação dos grãos, com consequente redução da produtividade", 

explicou o diretor de Defesa Vegetal da Aderr, Marcos Prill.
Ele também destacou que o controle com agrotóxicos, com o uso de produtos autorizados pelo Mapa, tem se mostrado eficiente na redução dos danos da praga na lavoura, entretanto o uso ininterrupto favorece a resistência do fungo ao controle químico. "Portanto, a quebra do ciclo da praga é a forma mais eficiente para reduzir a resistência da praga aos fungicidas". 
Vazio sanitário visa conter ferrugem asiática, praga considerada severa para o cultivo da soja. Foto: Divulgação/Embrapa

Ferrugem asiática em Roraima 

A ferrugem asiática já causou prejuízos bilionários no Brasil. Em Roraima, a doença foi identificada inicialmente em propriedades de Alto Alegre e Iracema em 2021, e logo chegou a todos os municípios que produzem o grão.

A identificação da doença ocorreu durante inspeção de rotina de plantios, quando foi realizada coleta de folhas de soja com sintomas pelos técnicos da Aderr.

A empresa acompanhou os procedimentos de coleta, acondicionamento e envio das amostras em atendimento ao termo de cooperação técnica entre as instituições. A confirmação oficial se deu após análise em laboratório oficial credenciado junto ao Mapa, confirmando a presença do patógeno no material amostrado.

Apesar da incidência da doença, o estado tem a previsão de safra para 2023/2024 de 140 mil hectares de soja. Além disso, há uma previsão de produção de 410.437 toneladas para 2023. Nos últimos quatro anos, a produção aumentou em 191%. 

Imagem: Reprodução/G1 Roraima

Veja mais notícias sobre Meio AmbienteRoraima.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 18 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/