Manaus 30º • Nublado
Sábado, 23 Outubro 2021

Seleção para o curso de mestrado em Ecologia do Inpa reserva vagas de ação afirmativa

Pela primeira vez, o Programa de Pós-Graduação em Biologia – Ecologia (PPG-Ecologia) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) terá vagas de ação afirmativa em seu Edital de seleção de candidatos para o Mestrado. Das 18 oportunidades, 12 são de ampla concorrência e seis reservadas para três grupos (02 para pretos, pardos e quilombolas, 02 para indígenas e 02 para estudantes de universidades da região amazônica). O ingresso dos aprovados está previsto para julho.

Outra novidade do Edital Inpa/Cocap nº 04/2021, é a ação afirmativa para as candidatas mães que possuem filhos de até cinco anos de idade. Elas disputam vagas na ampla concorrência, porém terão diferenciação de cálculo de produção científica, com nota final da seleção multiplicada por 1,1.

As iniciativas buscam diminuir as desigualdades e aumentar a representatividade de grupos sub-representados em programas de pós-graduação e estimular a capacitação de recursos humanos oriundos da região amazônica. O PPG-Ecologia, que possui cursos de mestrado e doutorado, é o único do Amazonas e um dos poucos da região Norte com avaliação 6 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os cursos com notas 6 e 7 possuem padrão de excelência de nível internacional.


Foto: Unsplash/Reprodução

"Sendo a natureza do programa o estudo da ecologia da Amazônia, nada melhor que trazer ao curso as pessoas que cresceram na Amazônia, principalmente os indígenas. O conhecimento acumulado dos povos indígenas é de valor imensurável", afirma a coordenadora do PPG-Ecologia, a pesquisadora Noemia Ishikawa. "Acredito que, se tivermos a maior presença dos indígenas, negros, quilombolas e mulheres mães no programa, diminuindo a desigualdade social que temos, isso só virá a somar. Inclusive, acredito fortemente que essas ações poderão ajudar a PPG-Ecologia do Inpa a conquistar o nível sete de excelência", completa.

Reconhecido pelo padrão internacional, o PPG-Ecologia espera ter impactos ainda mais profundos na sociedade e produção científica. Este ano o programa completa 45 anos, e seu conceito na Capes é entendido pela Coordenação como consequência da alta qualidade da produção intelectual dos docentes, discentes e egressos, bem como da atuação e avaliação dos ex-alunos do Programa em relação à formação recebida.

"As métricas foram importantes e bastante valorizadas nas últimas avaliações. Mas hoje é esperado também dos programas um maior impacto e caráter inovador da produção intelectual em razão da natureza do programa, assim como o impacto econômico, social e cultural", ressaltou Ishikawa, que tem trilhado um caminho de valorização e respeito ao saber tradicional indígena, especialmente ligado aos cogumelos comestíveis da Amazônia.

As ações afirmativas foram criadas nos Estados Unidos, na década de 1960, e representam um conjunto de políticas públicas e privadas concebidas com objetivo de combater a discriminação, por exemplo de raça, etnias e gênero. Também visam corrigir os efeitos perversos das discriminações praticadas no passado e no presente.

No Brasil, as universidades implementaram, nos anos 2000, o sistema de cotas na graduação, havendo também iniciativas de ações afirmativas na pós-graduação. O desenvolvimento e a difusão, porém, aconteceram de maneira distinta. "Na pós-graduação, vejo que há uma descontinuidade dessa política pública, e precisamos ajustar isso", destaca Noemia Ishikawa.

Reconhecimento e inclusão

A proposta de incluir vagas reservadas aos negros e indígenas no PPG-Ecologia, além de diferenciar o cálculo de produção científica para as mulheres mães partiu da Comissão da Seleção de mestrado desse ano, presidida pela pesquisadora Fernanda Werneck. Nos últimos anos, Werneck, que é mãe de uma adolescente, abraçou a luta pelas mães cientistas no Brasil e integra o programa Parent in Science¸ um grupo formado por cientistas que levam para todo o país a discussão sobre a maternidade e a carreira acadêmica.

"Os desafios adicionais que cientistas mães enfrentam para avançar com suas pesquisas se tornaram ainda maiores durante a pandemia, portanto iniciativas que visem apoiar o ingresso na pós-graduação e progressão acadêmica de mães são ainda mais prementes nesse momento de pandemia", destaca Fernanda. "As ações propostas certamente contribuirão para o incremento da qualidade cientifica através de um maior acolhimento de pessoas com experiências e visões diversas".

Inscrições

Lançado no dia 10 de março, o Edital Inpa/Cocap nº 04/2021 segue com as inscrições abertas até 12 de abril, com provas realizadas em formato on-line. Para participar, o candidato deve preencher formulário e enviar os documentos solicitados através de formulário de inscrição on-line. Todos os detalhes da seleção podem ser conferidos no Edital.

As provas de conhecimento em Ecologia e de suficiência em Língua Estrangeira serão realizadas no dia 13 de maio, 8h30h e às 15h, respectivamente. A previsão de divulgação do resultado final com a lista de candidatos aprovados é dia 11 de junho, no site da Pós-Graduação do Inpa. 

Veja mais notícias sobre EducaçãoAmazonas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 23 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/