Projeto leva culinária e cultura da Amazônia para evento na França

A paraense Luana de Sousa Oliveira apresentará sua tese de etno-turismo sobre a Amazônia. Exposição reúne fotografias de povos da região.

A culinária e a ancestralidade amazônica são destaques internacionalmente nesta semana. Isso se deve ao fato da estreia da sétima edição do ‘Encontro Internacional de Jovens Pesquisadores em Turismo’.

A estreia é realizada dentro de um evento na França com a chancela da UNESCO e promovido pela Universidade Sorbonne. Ocorre até este sábado (9) no prédio da Prefeitura de Paris.

Foto: Eduardo Souza

A paraense Luana de Sousa Oliveira, docente e pesquisadora do Intituto Federal do Tocantins (IFTO) e membro da Associação Sabor Selvagem, apresentará sua tese de etnoturismo para a Amazônia, seguida de uma degustação gastronômica regional.

“Esse é um projeto que envolve educação, ciência, economia, comunidades. Consideramos a perspectiva do turismo, que é muito importante, a partir de uma valorização histórica que é a população local conhecer a história do seu lugar, conhecer a história do seu povo pra poder falar de si, da sua cultura com orgulho, com autoestima. Então, a gente quer trabalhar no projeto a conscientização das pessoas sobre a sua identidade, suas memórias, saber sua importância no mundo. Isso é o que dá aquele brilho nos olhos das pessoas de poder falar de si com orgulho. As pessoas sentirem orgulho de ser parente de verdade, sabe?”,

diz Eduardo Souza.

Foto: Divulgação

A programação conta ainda com a exposição fotográfica sobre povos originários de dois premiados fotógrafos paraenses, Eduardo Souza e Raimundo Pacco, com imagens de diferentes aldeias indígenas da maior floresta tropical do planeta. 

Foto: Eduardo Souza

Foto: Eduardo Souza

O ‘Projeto Arubé’ é uma iniciativa de qualificação, produção e difusão da culinária amazônica para o mundo com ações centradas em quatro eixos principais: cultura, sociedade, economia e meio ambiente. Por isso necessita de grandes parcerias, tanto governamentais e comerciais como acadêmicas e científicas.

“Seu lançamento neste evento é de fundamental e estratégica importância para atrair a atenção internacional e fazê-lo atingir seus objetivos até a COP 30 em Belém”, destaca Luana de Sousa Oliveira.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Plano Nacional de Mineração 2030: geologia, mineração, transformação mineral

O Brasil, salienta o Plano, é um importante produtor mundial de minérios; contudo, seu consumo per capita encontra-se entre 15% e 30% dos países que já lograram atingir níveis mais elevados de desenvolvimento.

Leia também

Publicidade