Primeiro terminal de gás natural da Amazônia é inaugurado no Pará

A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará  tem a atuação ampliada com a entrega do terminal em Barcarena, na região metropolitana de Belém.

O primeiro terminal de gás natural da Amazônia foi entregue em Barcarena, região metropolitana de Belém (PA), no dia 28 de fevereiro. A entrega marca um novo rumo para a transição energética do Pará e o início da operação também amplia a atuação da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado (Arcon-PA).

A Arcon-PA é o órgão responsável pela regulação comercial, contratual e contábil do gás natural canalizado no Pará. “É um novo segmento que chega para a atuação reguladora da Arcon, que até então concentrava suas ações no transporte, saneamento e energia. Com o gás natural, a Agência terá interface com a concessionária Gás do Pará e com a comercializadora Companhia de Energia de Barcarena (Celba) de modo que a operação seja regular, com qualidade e atenda os contratos de fornecimento”, informa o diretor geral da Arcon, Euripedes Reis.

Foto: Alex Ribeiro/Agência Pará

O navio, ancorado no Porto de Vila do Conde, custou R$ 300 milhões. Sua capacidade é de geração de 22% de toda a demanda de gás natural do Brasil.

O governador Helder Barbalho também pontuou as oportunidades futuras a partir da oferta de gás natural, para redução de custos de energia e combustível, por exemplo.

“Esse momento é histórico porque incrementa uma nova matriz energética ao estado do Pará, que já é um dos maiores produtores de energia limpa. Sabemos que isso posiciona o Pará para um novo tempo, torna o nosso estado mais competitivo e incrementa a prospecção de negócios”, disse Helder Barbalho.

Foto: Roni Moreira/Agência Pará

O governador acrescentou: “devemos entregar a nossa térmica a gás e isto trará a perspectiva de levar gás para grandes centros urbanos, para que o gás veicular possa ser ofertado, reduzindo custo da operação do combustível”.

Durante a entrega, o ministro de Minas e Energia, Alexandre da Silveira, reforçou a importância de um ambiente regulatório favorável para a atração de investimentos, como está ocorrendo com a instalação da operação em Barcarena.

“O Brasil tem uma regulação reconhecida internacionalmente. Somos líderes em transição energética natural, a partir da água, vento, sol e biomassa. Agora estamos registrando uma nova era para a região norte, com energia positiva. É mais que um passo para a descarbonização, o terminal também irá levar mais energia limpa e sustentável para a Amazônia”, destacou o ministro.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade