As cores do Teatro Amazonas: conheça a curiosa história por trás das cores que o teatro já teve

Apesar de em sua inauguração o teatro ter sido rosa, como é atualmente, durante o período da ditadura militar a construção mudou de cor.

O Teatro Amazonas é um dos principais cartões-postais e ponto turístico da cidade de Manaus (AM). Sua icônica cor rosa chama atenção dos olhares de visitantes do mundo todo, que não passam pela cidade sem visitar o monumento inspirado na Belle Époque. Principal símbolo arquitetônico do Estado do Amazonas, o teatro foi fundado em 31 de dezembro de 1896, na época áurea do ciclo da borracha.

Esta atração da cidade de Manaus ainda preserva boa parte da arquitetura e da decoração original, entretanto, dentre as muitas reformas, algo que não se manteve inalterado foram as cores que compuseram o estilo artístico da obra. Mas qual a cor original do Teatro Amazonas? Quais cores ele já teve? O rosa do teatro ainda pode ser substituído?

A cor original do Teatro Amazonas 

Foto: Michael Dantas/Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas

Inicialmente, a cor que compunha as paredes do teatro eram, sim, da mesma cor rosada que atualmente pode ser vista nas fachadas da obra, ou, pelo menos, de uma tonalidade de rosa. Entretanto, o debate acerca da cor inicial da construção perdurou por anos. Em entrevista ao Portal Amazônia, o historiador e assistente de documentação do Acervo Histórico do Teatro Amazonas, Allan Diego Carneiro, explica:

“A defesa da cor original do Teatro Amazonas parte muito do Mário Ypiranga. Ele defende que existiu uma ordem de serviço com finalidades da pintura externa do teatro. Com base na tonalidade cinza da ponte metálica ‘Benjamin Constant’ (Avenida 7 de Setembro). Mas as dúvidas são: realmente essa ordem de serviço existiu? E se existiu, foi cumprida? No final de tudo o que se concretizou como tonalidade original do Teatro Amazonas foi a cor rosa”.

Conforme indicado pelo historiador, a falta de registros em relação à cor original do teatro aumenta ainda mais os mistérios que compõem a construção amazônida. Entretanto, um fato é que desde sua primeira reforma o teatro já detinha a tonalidade rosada, mantida também em sua segunda reforma de 1960. O que reforça ainda mais a teoria de a cor original do Teatro ter sido o rosa. 

Além disso, novas técnicas de prospecção, utilizadas no processo de conservação, revelaram, na restauração realizada nos anos 90, que a cor original era muito semelhante à tonalidade rosa atual.

Outras cores

Por mais que muitos não saibam, a resposta é: Sim! O teatro já teve outras cores e não é meme. Durante um período de mais de dez anos, o teatro foi azul acinzentado, com detalhes brancos. Isso ocorreu durante a grande reforma de 1974. 

“Na grande restauração de 1974, organizou-se uma ‘comissão de patrimônio e história’, dando base para as mudanças significativas no possível resgate dos aspectos originais (artísticos e arquitetônicos) do edifício, outrora ‘deformados’ [supostamente] pela reforma de 1929”, contou.

Teatro Amazonas azul, durante o período que compreende de 1974 à 1990. Foto: Domingos Cavalcanti/Dedoc

O comitê, que defendia a cor cinza como a original do teatro, então propôs o tom azulado, que, de certa forma, descaracterizava o Teatro à população, acostumada com o rosa da construção localizada no Largo do São Sebastião.

Por muitas vezes, a alteração de cor foi associada a ditadura militar, que tinha por padrão a utilização do cinza em prédios públicos, entretanto, o pesquisador diz que isso é pouco provável.

“Essa comissão era composta por defensores da cor cinza como original do Teatro. E teve forte influência no processo que tornou o teatro com a tonalidade cinza azulado – ou seria azul cinzento? -. É pouco provável que essa tonalidade tenha sido a escolha de um momento político (ditadura militar), mas é correto afirmar que a cor já era exposta antes do próprio processo político e de restauração”, evidencia Allan.

A cor do teatro ainda pode ser substituída?

O teatro muito provavelmente não passará por outra mudança em suas cores, principalmente pelo fator histórico, quando se considera a “iconicidade” da cor utilizada, facilmente associada com o maior marco arquitetônico da cidade de Manaus e do Estado do Amazonas. 

A cor conhecida como “rosa imperial” vem facilmente à tona quando se pensa na construção, tanto que, conforme o guia turístico do teatro, Guilherme Alan:

“O rosa imperial também é conhecido como ‘rosa Teatro Amazonas’, por ser um prédio muito único ao utilizar essa coloração”.

Teatro Amazonas em sua famosa cor “rosa imperial”. Foto: Roberto Castro/MTur

O Teatro Amazonas, sendo a construção mais clássica e marco da cidade de Manaus, possui inúmeros segredos e mistérios associados à sua historicidade, suas cores são apenas uma das muitas curiosidades que esta obra arquitetônica carrega consigo. 

*Diego Fernandes, estagiário sob supervisão de Clarissa Bacellar

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Novo santuário de árvores gigantes na Amazônia é revelado no oeste do Pará

No novo santuário, cientistas descobriram pelo menos mais 38 árvores de grande porte, duas delas com mais de 80 metros de altura.

Leia também

Publicidade