Manaus 30º • Nublado
Terça, 29 Novembro 2022

Motivos que mais estão desclassificando profissionais em entrevistas em 2022

Por incrível que pareça, semestralmente há tendências de mudanças sobre motivos de desclassificações de profissionais em entrevistas. Isso ocorre pelo fato de que cada período tem uma influência comportamental sobre as pessoas, o que é comum acontecer. Dependendo de todo o contexto social que nos cerca, teremos uma resposta para cada momento.

Apesar de 2021 ter sido um ano que superou a média do PIB previsto pelo Governo Federal, muitas vagas deixaram de ser preenchidas justamente pela alta quantidade de profissionais desclassificados. Essa realidade segue em 2022, que tem um índice mediano de geração de novas vagas, principalmente para a indústria e serviço.

Após um levantamento realizado com empresas de recrutamento e seleção da região, chegamos a alguns pontos que têm sido os principais motivos de desclassificações em uma etapa crucial do processo seletivo: a entrevista.

Hoje falarei sobre isso, juntamente com a indicação da forma ideal de falar.

Foto: Reprodução/Pixabay

"Preciso pagar meu curso" 

A ideia de evoluir profissional é sempre muito importante para qualquer profissional, desde que isso não seja algo distorcido durante a entrevista de emprego. Promover a ideia de que precisa de um emprego para pagar um curso, faculdade ou qualquer questão similar pode criar interpretações negativas que tendem a gerar a desclassificação. Vamos ver algumas delas?

Exemplo 1: "Ué, mas ele(a) só quer o emprego para pagar o curso? E depois? Vai nos deixar?".

Exemplo 2: "Será que esse emprego vai ser apenas por um tempo sem nenhum objetivo de futuro aqui dentro?".

Exemplo 3: "Só para isso? E onde a empresa entra no seu planejamento profissional?".

É claro que esses tipos de interpretações normalmente não são comentadas de recrutadores(as) para candidatos(as), entretanto, são as promovedoras de desclassificações. A ideia de que um emprego servirá apenas para pagar algo é vista como pequena, sem perspectiva de futuro, planejamento de carreira e tudo mais ligado a isso.

A resposta ideal: "Penso em ter esse emprego para poder estudar e me especializar para ajudar a empresa em todos os seus gargalos".

"Não me vem à cabeça nenhum defeito meu"

Falar sobre as qualidades que temos é algo bem fácil, não é verdade? Quando perguntados sobre isso em uma entrevista, logo lembramos de uma lista de coisas boas. Mas e para os defeitos? Será que temos essa mesma facilidade de identificação? Ou travamos no assunto devido pensarmos que algum desses defeitos pode nos desclassificar no processo? Se eu lhe falar que contar sobre os defeitos podem ter o efeito inverso disso, podendo gerar a contratação efetiva, você acredita?

Quando um(a) profissional sabe que tem defeitos, tende a haver uma intepretação muito boa por parte de quem está entrevistando. Primeiro pelo fato desse(a) profissional ter o autoconhecimento. Segundo por haver uma tendência maior de que essa pessoa saiba como lidar com isso, afinal, ela sabe que tem. Contrário de quem não sabe, os defeitos desconhecidos podem gerar muitos problemas no dia-a-dia organizacional, o que vai criar muitos conflitos operacionais.

Além disso, é possível transformar um defeito em algo positivo, dependendo da forma como conduziremos essa afirmação. Vamos a um exemplo sobre isso?

Resposta ideal: "eu tenho um defeito. Sou muito ansioso(a). Mas ao mesmo tempo que tenho esse ponto, transformo isso em algo positivo: quem é muito ansioso(a) normalmente não deixa nada para ser feito amanhã. Então, uso isso de forma positiva".

Esse é apenas um exemplo de como podemos transformar um defeito em algo positivo. Dessa forma, você vai adaptar de acordo com a sua realidade.

"Logo, logo vou ter o meu negócio próprio" 

Ter um negócio é o sonho de muitos profissionais. O sentimento de liberdade é algo que muitos buscam como alternativa de ganhar dinheiro. Entretanto, informar isso em uma entrevista também um fator que pode gerar desclassificação, que surge por algumas possibilidades de interpretações. Vamos a alguns exemplos?

Exemplo 1: "Ele(a) quer ter o negócio próprio. Não quer trabalhar aqui para poder ficar conosco".

Exemplo 2: "Acho que esse trabalho vai ser apenas por um tempo para ele(a)".

Considerando isso, o ideal é que isso não seja exposto durante o processo seletivo.  

Sobre o autor

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Comentarista de Carreira, Emprego e Oportunidade dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazônia, Portal Amazônia e Consultor em Avaliação/Reelaboração Curricular.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista 


Veja mais notícias sobre Eu Profissional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 29 Novembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/