Novas profissões catalogadas

Temos as opções de nos adaptarmos ou migrarmos para uma área que não temos nenhum conhecimento técnico.

Você já deve ter ouvido que profissão A ou B deixará de existir dentro de alguns anos, não é verdade? Essa é uma realidade que todas as profissões estão expostas, considerando algumas mudanças sociais como tecnologia, inovações, novos hábitos comerciais e de sociedade de uma forma geral.

Ouvir ou ler esse tipo de informação não é algo que deve nos apavorar se nossas profissões estiverem nessas listas, pois enquanto umas morrem, outras nascem. O Q da questão é que essas que nascem podem trazer boa parte de atividades que já fazemos em nossa atuação hoje. Outras já estão em outro parâmetro, sendo, de fato, profissões novas e que nunca existiram de fato. Diante disso, temos as opções de nos adaptarmos ou migrarmos para uma área que não temos nenhum conhecimento técnico.

Analista de sucesso ou experiência do cliente

Com o aumento de empresas em diversos ramos, a concorrência se tornou um grande desafio para a conquista e retenção de clientes. As ofertas de preços e qualidade são tão altas que o consumidor pode escolher com quem quer comprar determinado produto ou serviço. Isso força as organizações a criarem novas estratégias para conseguirem sobreviver nesses tempos. Uma dessas iniciativas é a criação do analista de sucesso do cliente.

Esse tipo de profissional cuida, não somente da satisfação, mas da experiência em si que o cliente teve ao consumir aquele produto ou serviço: se o cliente teve uma boa sensação, se percebeu que foi valorizado no atendimento, se teve boas condições de pagamentos, se teve boa experiência se comparado a outras empresas, e vários outros fatores são alguns dos pontos que esse profissional controla. Diante de todas essas informações, ele aplica novos métodos com foco em melhorias contínuas.

Normalmente o perfil dessa função gira em torno de formações acadêmicas como Marketing, Publicidade, Administração, Estatística e áreas similares.

Hidrojatista

O momento econômico é da tentativa de recuperação financeira por parte das empresas, seja com a busca de redução de custos, novos projetos ou expansão comercial através de novos negócios. Nesse levante surge a figura do hidrojatista, que é um profissional especializado em cortes de superfícies, materiais e outros produtos com o uso de água de ultra pressão, um método de baixo custo e ótimo índice de eficiência operacional e resultados.

Para entendermos, na prática, o que é essa função podemos imaginar uma empresa que atua na indústria automobilística e possui a necessidade de cortes de aço e ferro. Para isso, ela precisará ter ferramentas específicas, alicates industriais, dobra, repuxo e vários outros itens que custarão caro para a obtenção. O hidrojatista, com suas técnicas e conhecimentos, pode fazer boa parte do trabalho que seria necessário todos esses ferramentais que citei. As despesas geradas com isso são basicamente mangueira industrial, água e, dependendo do tamanho da operação, um tanque específico. Imagina o tamanho da economia que a empresa tem? É por isso que muitas delas começaram a demandar essa profissão.

Ergonomista

O tempo dos problemas em coluna e estrutura corporal iria chegar. Já era previsto por muitos especialistas ao redor do mundo e algo não tão difícil de perceber. O uso de tecnologia como computadores, notebooks e internet é um fator relativamente novo no Brasil, que esticou-se de 2000 para cá e, historicamente, a ciência registra resultados reais sobre qualquer mudança social em um período médio de 20 anos. Sendo assim, 2020 foi o ano-gatilho para que essas questões ocupacionais começassem a vir à tona como um problema de saúde pública.

Considerando esse contexto, a função do ergonomista tornou-se essencial para empresas de todos os ramos, havendo, inclusive, algumas legislações internacionais que obrigam as organizações a promoverem ações e programas voltadas para o assunto.

Com esse crescimento, cria-se uma grande demanda para profissionais de fisioterapia ou áreas afins, estudantes que gostam da área e para pessoas que querem migrar para a função, mesmo que nunca tenham trabalhado com isso. As contratações dessa função costumam ser através de empresas prestadoras de serviços, mas havendo também contratações diretas pela própria empresa demandante.

Monitor de animais domésticos

O setor de mercado voltado para animais também mostrou forte aquecimento. Lojas, clínicas, pet shops e até hotéis começaram a surgir, principalmente, nos últimos 5 anos. Sim, hotéis, para quando os donos dos animais precisarem viajar e não terem com quem deixar. É aí que surge a figura do monitor de animais domésticos, que não é apenas quem dá banho ou alimenta, mas quem elabora atividades de lazer e educação para os bichinhos.

Essa movimentação surge como um grande potencial de mercado de trabalho pelo fato de que muitos casais estão optando por não terem filhos(as), transferindo o afeto paterno ou materno para o animal, que recebe os cuidados e atenção de uma legítima prole.

E então? Alguma delas lhe interessou?

Sobre o autor

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Comentarista de Carreira, Emprego e Oportunidade dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazônia, Portal Amazônia e Consultor em Avaliação/Reelaboração Curricular.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Peru implementa 31 planos de negócios ecológicos 

Nos próximos dias haverá uma nova convocatória para que mais comunidades e pequenos utilizadores florestais possam candidatar-se com os seus planos de negócios.

Leia também

Publicidade