Campanha atua no enfrentamento ao novo coronavírus em comunidades quilombolas do Pará

A campanha realiza ações como a produção e distribuição de materiais informativos, kits de higiene, atendimento psicológico gratuito e, distribuição de kits de educação em saúde.

No atual cenário de pandemia da Covid-19, os territórios quilombolas estão em situação de grande vulnerabilidade. Ações que possibilitem o acesso à informação e aos recursos de cuidado e prevenção são essenciais. A partir disso, o projeto “Perpetuar – Identidades, Ancestralidades e Territorialidades Quilombolas” idealizou a campanha Proteja o Quilombo, que realiza ações de enfrentamento ao novo coronavírus dentro da Comunidade Oxalá de Jacunday, no município de Moju, no nordeste paraense.

Ação na Comunidade Oxalá de Jacunday, uma das 15 comunidades que compõem o Território Quilombola de Jambuaçu, em Moju, no Pará. (Foto:Divulgação)

A mobilização é organizada em quatro etapas: produção e distribuição de materiais informativos sobre a pandemia do novo coronavírus, de forma contextualizada para a realidade do Quilombo; distribuição de kits de higiene para as 120 famílias da comunidade Oxalá de Jacunday; atendimento psicológico gratuito para a comunidade, realizado por ligação telefônica ou via chamada de vídeo; e distribuição de kits de Educação em saúde para as crianças da comunidade, contendo livrinho de colorir com historinhas, brincadeiras e explicação lúdica sobre a Covid-19.

Para a coordenadora do projeto, Samilly Valadares, historicamente as comunidades quilombolas sempre estiveram em condição de invisibilidade e com a pandemia da Covid-19 não é diferente.

“Nossos quilombos, desde sempre existem e resistem na contramão de todas as opressões. Nesse momento de tantas crises e pandemia, ações como essa que estamos promovendo são essenciais e urgentes. As comunidades tradicionais gritam por socorro e ninguém está ouvindo, estamos adoecendo, morrendo, mas estamos reagindo. Cuidado é resistência e seguimos nesse aquilombamento”, disse.

O Projeto

Uma iniciativa coletiva de fortalecimento da identidade, territorialidade quilombola e ancestralidade negra. Tendo como fundamento uma educação popular e de resistência, a promoção de saúde por meio da arte e da cultura, acreditando no território livre e luta pelo bem viver. O projeto atua no Quilombo Oxalá de Jacunday – Território de Jambuaçu (Moju/PA) e também nas periferias.

O Quilombo

A Comunidade Oxalá de Jacunday é uma das 15 comunidades que compõem o Território Quilombola de Jambuaçu, em Moju, no estado do Pará. Foi demarcada em 2002 (ano de fundação da Associação), após muita luta por reconhecimento e recebeu sua titulação definitiva no ano de 2006. O Quilombo de Jacunday possui cerca de 400 habitantes (120 famílias).

A Campanha está sendo realizada com o apoio emergencial do Fundo Baobá e do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Rural e Inovação Sociotécnica (DRIS) da UFPA.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Entenda qual a função de um consulado e quais estão presentes nas capitais da Região Norte  

Os serviços prestados por um consulado são essenciais na diplomacia internacional, pois fornecem assistência e proteção aos cidadãos de um país em território estrangeiro.

Leia também

Publicidade