Publicidade

Luciana Frazão

Home > Opiniao > Luciana-frazao
Luciana Frazão

O curioso caso do animal que parece cobra, tem nome de cobra, mas não é cobra

Você provavelmente não deve ter ouvido falar das anfisbenas, mas com certeza já ouviu falar das cobras-cegas ou cobras-de-duas-cabeças. Vem conhecer um pouco mais sobre esses animais incríveis e que ocorrem também aqui na Amazônia!

Luciana Frazão

luca.frazao@gmail.com


As anfisbenas são répteis, mesmo grupo das cobras e lagartos, conhecidas popularmente como cobras-cegas ou cobras-de-duas-cabeça. Apesar do nome popular, esses animais não são cobras! 
 
Cobra-de-duas-cabeças. Nome científico: Amphisbaena prunicolor | Foto: Igor Yuri Fernandes
 

Essa confusão se deve provavelmente por esses animais levarem cobra nos nomes populares e também por possuírem o corpo alongado e sem patas, em sua maioria, o que faz com que muita gente ache que esses animais sejam cobras. Mas na realidade, considerando as relações de parentesco entre os grupos, cobras e anfisbenas estão em grupos diferentes na ordem Squamata (Pyron et al. 2013), que é o grupo dos animais que possuem escamas.


O nome cobra-de-duas-cabeças, se deve a esses animais possuírem olhos bastante reduzidos e a cauda muito parecida com a cabeça, o que causa essa confusão em saber qual das duas extremidades é a cabeça. Quando ameaçadas, as anfisbena assumem uma posição defensiva, na qual levantam tanto a cabeça como a cauda de forma a confundir e intimidar o predador (Pianka e Vitt, 2003). Esta posição cria a ilusão de que a as anfisbenas tem duas cabeças! Inclusive o nome Amphisbaena significa mover-se em ambas as direções, o que tem tudo a ver com essa crença de que esses animais possuem duas cabeças!
 
Cobra-de-duas-cabeças. Nome científico: Amphisbaena vermicularis | Foto: Igor Yuri Fernandes
 


As anfisbenas são animais com hábito fossorial, ou seja, vivem enterradas, não apresentam veneno e nem são animais peçonhentos, e, portanto, não apresentam nenhum tipo de perigo para nós seres-humanos. Elas se alimentam principalmente de invertebrados, como cupins, formigas e gafanhotos. Inclusive, é reconhecido que algumas das espécies de anfisbenas, estão associadas a formigueiros, que servem como fonte de comida.


No mundo todo, existem 131 espécies de anfisbenas, como por exemplos as espécies Amphisbaena prunicolor e Amphisbaena vermicularis (Figuras 1 e 2, respectivamente), que ocorrem no Brasil. Na Amazônia brasileira são conhecidas 18 espécies segundo o Censo da Biodiversidade da Amazônia Brasileira (censo.museu-goeldi.br), sendo que duas espécies são bastante comuns na nossa região, Amphisbaena alba e Amphisbaeana fuliginosa (Figura 3 e 4, respectivamente).  
 
Cobra-de-duas-cabeças - Nome científico: Amphisbaena alba | Foto: Luciana Frazão
 

A. alba apresenta coloração amarela/creme e pode chegar até 81 cm de comprimento, é conhecida também como mãe-da-saúva por reconhecidamente associada a formigueiros. Já A. fuliginosa apresenta um padrão de coloração em mosaico (preto e branco) característico e pode chegar até 45 cm. Ambas espécies costumam a aparecer na superfície após fortes chuvas, que acabam encharcando o solo e as galerias onde esses animais vivem, obrigando-os a virem pra superfície, onde costumam ser notadas por nós, seres humanos. Quando isso acontece, muitos desses animais acabam sendo mortos, devido ao medo que a maioria das pessoas tem por achar que esses animais sejam peçonhentos.


Mas agora já sabemos que anfisbenas não são cobras e são animais totalmente inofensivos! Então ao encontrar uma anfisbena por aí, lembre-se que provavelmente ela já deve tá passando por um momento difícil, com sua casa alagada, e tudo o que ela não precisa é ser maltratada por medo e desconhecimento. Tudo o que precisa ser feito é deixar esse animal maravilhoso seguir seu caminho em paz, para que ele possa voltar para o seu lugar. 
 
Cobra-de-duas-cabeças - Nome científico: Amphisbaena fuliginosa | Foto: Luciana Frazão
 

Espero que tenham gostado do texto de hoje e até a próximo animal incrível da nossa fauna! Abraços de sucuri pra vocês!






O curioso caso do animal que parece cobra, tem nome de cobra, mas não é cobra

Você provavelmente não deve ter ouvido falar das anfisbenas, mas com certeza já ouviu falar das cobras-cegas ou cobras-de-duas-cabeças. Vem conhecer um pouco mais sobre esses animais incríveis e que ocorrem também aqui na Amazônia!

Luciana Frazão

luca.frazao@gmail.com


As anfisbenas são répteis, mesmo grupo das cobras e lagartos, conhecidas popularmente como cobras-cegas ou cobras-de-duas-cabeça. Apesar do nome popular, esses animais não são cobras! 
 
Cobra-de-duas-cabeças. Nome científico: Amphisbaena prunicolor | Foto: Igor Yuri Fernandes
 

Essa confusão se deve provavelmente por esses animais levarem cobra nos nomes populares e também por possuírem o corpo alongado e sem patas, em sua maioria, o que faz com que muita gente ache que esses animais sejam cobras. Mas na realidade, considerando as relações de parentesco entre os grupos, cobras e anfisbenas estão em grupos diferentes na ordem Squamata (Pyron et al. 2013), que é o grupo dos animais que possuem escamas.


O nome cobra-de-duas-cabeças, se deve a esses animais possuírem olhos bastante reduzidos e a cauda muito parecida com a cabeça, o que causa essa confusão em saber qual das duas extremidades é a cabeça. Quando ameaçadas, as anfisbena assumem uma posição defensiva, na qual levantam tanto a cabeça como a cauda de forma a confundir e intimidar o predador (Pianka e Vitt, 2003). Esta posição cria a ilusão de que a as anfisbenas tem duas cabeças! Inclusive o nome Amphisbaena significa mover-se em ambas as direções, o que tem tudo a ver com essa crença de que esses animais possuem duas cabeças!
 
Cobra-de-duas-cabeças. Nome científico: Amphisbaena vermicularis | Foto: Igor Yuri Fernandes
 


As anfisbenas são animais com hábito fossorial, ou seja, vivem enterradas, não apresentam veneno e nem são animais peçonhentos, e, portanto, não apresentam nenhum tipo de perigo para nós seres-humanos. Elas se alimentam principalmente de invertebrados, como cupins, formigas e gafanhotos. Inclusive, é reconhecido que algumas das espécies de anfisbenas, estão associadas a formigueiros, que servem como fonte de comida.


No mundo todo, existem 131 espécies de anfisbenas, como por exemplos as espécies Amphisbaena prunicolor e Amphisbaena vermicularis (Figuras 1 e 2, respectivamente), que ocorrem no Brasil. Na Amazônia brasileira são conhecidas 18 espécies segundo o Censo da Biodiversidade da Amazônia Brasileira (censo.museu-goeldi.br), sendo que duas espécies são bastante comuns na nossa região, Amphisbaena alba e Amphisbaeana fuliginosa (Figura 3 e 4, respectivamente).  
 
Cobra-de-duas-cabeças - Nome científico: Amphisbaena alba | Foto: Luciana Frazão
 

A. alba apresenta coloração amarela/creme e pode chegar até 81 cm de comprimento, é conhecida também como mãe-da-saúva por reconhecidamente associada a formigueiros. Já A. fuliginosa apresenta um padrão de coloração em mosaico (preto e branco) característico e pode chegar até 45 cm. Ambas espécies costumam a aparecer na superfície após fortes chuvas, que acabam encharcando o solo e as galerias onde esses animais vivem, obrigando-os a virem pra superfície, onde costumam ser notadas por nós, seres humanos. Quando isso acontece, muitos desses animais acabam sendo mortos, devido ao medo que a maioria das pessoas tem por achar que esses animais sejam peçonhentos.


Mas agora já sabemos que anfisbenas não são cobras e são animais totalmente inofensivos! Então ao encontrar uma anfisbena por aí, lembre-se que provavelmente ela já deve tá passando por um momento difícil, com sua casa alagada, e tudo o que ela não precisa é ser maltratada por medo e desconhecimento. Tudo o que precisa ser feito é deixar esse animal maravilhoso seguir seu caminho em paz, para que ele possa voltar para o seu lugar. 
 
Cobra-de-duas-cabeças - Nome científico: Amphisbaena fuliginosa | Foto: Luciana Frazão
 

Espero que tenham gostado do texto de hoje e até a próximo animal incrível da nossa fauna! Abraços de sucuri pra vocês!





TAG Luciana Frazaoanfisbenasnaturezaamazoniafloresta