Resex Lago do Cuniã inicia estudo sobre capacidade e fluxo de turistas

A ação faz parte do plano de ação do turismo de base comunitária nos núcleos da unidade extrativista, gerenciada pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio). Atividade minimiza possíveis impactos sociais e ambientais na região.

Servidores da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur) realizaram na Reserva Extrativista (Resex) Lago do Cuniã, no baixo Madeira, em Porto Velho (RO), para iniciar a 4ª etapa de desenvolvimento do plano de ação do turismo de base comunitária nos núcleos da unidade extrativista, gerenciada pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio).


Uma comitiva multidisciplinar esteve na reserva: a secretária Glayce Bezerra, a diretora de fomento ao turismo, Tatiana Sadeck e assessora da Semdestur, mais os docentes da Universidade Federal de Rondônia (Unir) Haroldo Medeiros e Sandra Garcia, e o analista ambiental do ICMBio, Mauro Guimarães. Além das instituições envolvidas no projeto do turismo de base comunitária, uma equipe de imprensa local acompanhou a visita técnica, que também contou com apoio logístico da Associação de Moradores do Cuniã (Asmocun), com Tito e Hadegilton Lopes.

Reserva Extrativista (Resex) Lago do Cuniã, no baixo Madeira, em Porto Velho. Foto: Reprodução/Semdestur

O objetivo da visita técnica foi iniciar o processo do estudo de capacidade de carga na Resex, para tabular qual fluxo de turistas os núcleos suportam para minimizar possíveis impactos sociais e ambientais. Foram realizadas visitas técnicas nos Núcleos Pupunhas, Neves, Silva Lopes, Araçá e Bela Palmeira, com avaliações em equipamentos turísticos como pousadas, restaurantes, pontos de apoio, além de testes de produtos turísticos, como: alvorecer no lago, observação de jacarés e pássaros, revoada dos biguás, experiência com frutos amazônicos, gastronomia local, artesanato, levantamento de trilhas ecológicas, além da focagem noturna de jacarés.

Foi abordado com os moradores levantamento quanto ao potencial econômico local, aceitação da comunidade com plano de ação e entrega do material promocional da unidade desenvolvido pela Prefeitura de Porto Velho, através da Semdestur. Em breve, serão instaladas placas e mapas turísticos do Cuniã para auxiliar na localização, melhorando a experiência e segurança do visitante.

A ação faz parte do plano de ação do turismo de base comunitária. Foto: Reprodução/Semdestur

O resultado desse estudo será avaliado pelo ICMBio, para uma possível liberação de grupos de visitantes conduzidas por agências de turismo. A partir da consolidação dos estudos e da anuência do ICMBio, as atividades turísticas poderão iniciar, com o credenciamento das empresas interessadas, capacitações e eventos testes que irão prepará-los para prática ao turismo sustentável, com orientações sobre a boa prática do turismo conforme o Plano de Manejo da Resex.

Para a secretária da pasta, Glayce Bezerra, “esse processo de construção é fundamental para fomentar um turismo responsável, que proverá uma renda extra aos moradores, como também uma ferramenta de preservação ambiental e da cultura centenária do baixo Madeira”. 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Saiba quais são as 9 construções mais antigas da Amazônia

Em cada cidade da Amazônia Legal existe ao menos uma construção que exala a história local a partir da colonização.

Leia também

Publicidade