Manaus 30º • Nublado
Quarta, 29 Junho 2022

Música para meus bolsos

Sabemos bem que a música tem uma influência muito grande em nossas vidas, em muitos casos é parte dominante dos momentos que vivemos, segundo a Revista Super Interessante¹ os primeiros registro de músicos, data-se a 35 mil anos quando encontraram registros de uma flauta artesanalmente feita de ossos.

Com o passar dos anos o leque de opções ampliou-se, diversas opções musicais estão para "agradar gregos e troianos", mas algumas condições bem organizadas podem trazer alguns benefícios interessantes. No mundo do marketing a música é largamente utilizada para despertar sentimentos nas pessoas, alterar a percepção para influenciar o comportamento de compras, é uma técnica de merchandising e tem surtido bons efeitos.

Vou exemplificar melhor, quando você entra em um supermercado sempre está tocando uma música, já percebeu? Se não percebeu, muito provavelmente não percebeu que as músicas mudam de intensidade de acordo com o horário, certo? Alguns casos, o dia do mês também pode influenciar
na música que pode ser reproduzida. 

Quando estamos no horário de pico ou nos dias de recebimento de salário, o mercado geralmente utiliza de músicas mais intensas, agitadas e altas, propositadamente essa ação acarreta num stress generalizado por parte dos clientes, que sem saber ficam ansiosos para sair daquele local em busca de paz, ou seja, tem muita gente neste local, vamos estressá-los para que eles possam sair e dar lugar a mais pessoas.

Miiliman² em 1982, pesquisava sobre a influência da música em relação ao comportamento observado de compras, onde descobriu-se que, no mercado que toca música lenta as vendas brutas aumentavam em média 38% em comparação ao som mais agitado e rápido. Em outras palavras, quando o mercado está fora do horário de pico, pouco movimento, entendeu-se que uma música mais lenta, agradável e suave, altera a percepção de tempo do cliente, fazendo com que ele percorra mais calmamente os corredores, veja mais produtos e consequentemente compre mais.

Foto: Divulgação

Ao certo, a música consegue despertar nas pessoas sentimentos diversos, afeta a percepção do tempo, reduz ansiedade, melhora o humor, alivia a depressão, diminui frustração ou até mesmo o inverso se assim desejar, como nos exemplos de músicas tristes. Um caso curioso é a liberação de dopamina, o hormônio do prazer, quando ouvimos nossa música favorita, temos essa descarga imediatamente e uma sensação muito prazerosa.

O mesmo efeito da música nos supermercados é visto nos restaurantes também, o compasso da música que toca dentro do restaurante faz com que os clientes comam e bebam mais. Quando expostos a músicas mais lentas, nosso sistema nervoso acredita que o tempo está passando mais rapidamente, ficando em média 13 min e 56 segundos e 40% de consumo a mais que as pessoas que são expostas a músicas rápidas. Fato curioso é que a percepção do atendimento do restaurante pode ser distorcido para um ambiente com música rápida, já que a percepção é do tempo estar passando vagarosamente, então atente-se que sua nota de avaliação pode ser influenciada por isso também.

Em um outro exemplo, pensemos em loja de shopping, geralmente o próprio shopping tem sua playlist tocando com seus objetivos bem traçados, mas será que sua loja não pode ser o ponto de refúgio do cliente? Onde ele entra em um local menos iluminado, mais silencioso e até mesmo com um som agradabilíssimo como música clássica que aumenta a concentração, foco e acalma qualquer pessoa. Ao entrar ele é recebido com café ou chocolate quente que liberam dopamina, ao mesmo tempo que sente um aroma de baunilha por onde quer que ande na loja, fazendo com que ele sinta
mais confiança e tranquilidade, além de sentar em uma poltrona muito confortável e ser bem recebido por uma equipe que sabe exatamente o que está fazendo, posso até imaginar a frase deste cliente após relaxar. "Ufa, ainda bem que tem vocês aqui, lá fora está uma loucura". =D

O conhecimento liberta, use estrategicamente a música em prol de seu cliente, trazendo bem estar, qualidade de atendimento, tranquilidade e segurança nas transações. É preciso compreender o comportamento humano para poder extrair benefícios para sua empresa, mas testes nunca são demais, o que não pode e esperar resultado diferente fazendo a mesma coisa. Lembre-se que o mercado não espera.

¹ https://super.abril.com.br/coluna/oraculo/quem-foi-o-primeiro-musico-da-historia/
² https://www.jstor.org/pss/1251706
³ https://scioeducation.com/artigos/o-beneficio-da-musica-classica-para-o-cerebro/

Sobre o autor

Aldo Melo é mercadólogo, Pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior, MBA Executivo em Administração e Negócios, Especialista em Neuromarketing e Fundador da Agência Conectar - Comunicação e Marketing.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista 


Veja mais notícias sobre O mercado não espera!.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/