Órgãos estaduais recebem mudas de espécies nativas da Amazônia doadas pelo Ideflor-Bio

Dentre as espécies estavam o cupuaçu e o cacau. As mudas foram distribuídas pela Seplad para os órgãos e secretarias estaduais, como uma forma simbólica de parabenizar a todos os envolvidos pela adesão ao sistema PAE

Em 2020, o governo do Pará alcançou a marca de um milhão de processos administrativos eletrônicos tramitados pelo sistema do Processo Administrativo Eletrônico (PAE). Isso representa cerca de cinco milhões de folhas de papel que deixaram de ser utilizadas, o que beneficia o meio ambiente. Para celebrar esse momento, o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) realizou a doação de 500 mudas de espécies nativas da Amazônia para a Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad).

Foto: Divulgação

Dentre as espécies estavam o cupuaçu e o cacau. As mudas foram distribuídas pela Seplad para os órgãos e secretarias estaduais, como uma forma simbólica de parabenizar a todos os envolvidos pela adesão ao sistema PAE, o que permitiu agilizar a tramitação de processos, dar transparência, além de adotar uma prática sustentável de manter floresta em pé.

A presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson, destacou os ganhos para a tramitação de processos e, também, ao meio ambiente. “Estamos muito felizes com essa conquista do Governo. O Ideflor-Bio já está com um pouco mais de 88% da adesão de processos via PAE e estamos estabelecendo metas para avançar ainda mais. Nos sentimos extremamente realizados em fazer parte desse projeto e, principalmente, de promover esse bem à natureza. Sabemos que essas mudas irão crescer, fortificar e, com certeza, contribuir com todos os benefícios para o meio ambiente”, disse a presidente Karla Bengtson.

A coordenadora de Logística e Gastos Públicos da Seplad e gestora do PAE, Flávia Nunes, explicou que, em 2019, um decreto estadual estabeleceu o prazo de até dois anos para implantação total do sistema PAE. “O PAE é um sistema totalmente transparente, eficaz, rápido e acima de tudo, sustentável. A partir do momento em que você utiliza um sistema totalmente eletrônico, consegue parar de utilizar folhas. Isso para o meio ambiente e para nosso Estado é muito importante”, relatou.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Censo Demográfico: quilombolas rondonienses tem idade mediana um ano a mais que população total

Na região norte, o maior índice de envelhecimento dos quilombolas foi apresentado por Mato Grosso (76,93) e os menores foram no Amazonas (23,4) e Amapá (28,96).

Leia também

Publicidade