Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 13 Agosto 2020

Lei de Serviços Ambientais dá suporte ao desenvolvimento sustentável no AM

Lei de Serviços Ambientais dá suporte ao desenvolvimento sustentável no AM
Foto: Divulgação/Governo Amapá
Do regime das chuvas aos estoques de carbono, a maior floresta tropical do mundo presta serviços ambientais a todo o planeta. Investidores de vários países buscam investir na manutenção da Floresta Amazônica, uma economia que pode, no futuro, render dinheiro e bem estar ambiental. No Amazonas, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Amazonas (Sema), o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) e outros órgãos estão em busca da regulamentação da Lei de Serviços Ambientais para dar mais suporte a este mercado.

A Lei de Serviços ambientais foi criada em dezembro de 2015, fruto da construção coletiva de vários membros de instituições ambientais no Amazonas. A iniciativa busca alavancar recursos para projetos de preservação e promover desenvolvimento sustentável na região. De acordo com o Mariano Cenamo, pesquisador sênior do Idesam, a regulamentação tem um impacto profundo na forma como investidores veem o Estado.

"A lei tem um objetivo principal: gerar certa segurança jurídica para os projetos que podem receber financiamento de investidores internacionais. O investidor se sente seguro quando, neste caso, o próprio governo do Estado regulamenta através de medidas como essa os projetos ambientais na região. Por isso esses marcos regulatórios são importantes. Atualmente, existe um mercado de carbono no Brasil, mas ainda muito incipiente. A regulamentação vai ajudar muito a atrair novos investidores", afirmou o pesquisador Mariano.

Segundo o Secretário da Sema, Ademir Stroski, o Fundo Verde do Clima, entidade financeira do Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Climáticas, designou aos sete estados da Região Norte R$ 650 mil dólares. "Aqui no Amazonas o dinheiro vai ser utilizado para aumentar a captação de recursos do Estado e em projetos específicos que acontecem na região", afirma Ademir.

Segundo ele a regulamentação traz transparência e transforma o processo mais democrático ao permitir que a lei de serviços ambientais fosse submetida a consulta pública. Além disso a medida vai garantir que comunidades e povos tradicionais carentes tenham acesso a recursos.

Mariano, enxerga na regulamentação uma forma de promover o desenvolvimento da região. "A partir da regulamentação projetos podem receber investimentos, investidores se aproximam do Estado como referência em serviços ambientais de maneira segura e é possível desenvolver no Estado do Amazonas um novo modelo de sustentabilidade", finaliza.

Veja mais notícias sobre Especial Publicitário.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 13 Agosto 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection