Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 03 Julho 2020
chatbot-health-tech

Belém e Manaus serão as primeiras capitais a superar a Covid-19, aponta estudo

belem-manaus-1
O estudo Atlas ODS Amazonas (Boletim V.2 N.11 - Especial COVID-19), desenvolvido pelo Programa de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia (PPGCasa) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) mostra que aplicando-se o modelo logístico para a curva de óbitos, nas 6 capitais da bacia amazônica, observou-se que em relação à data estimada para o alcance de 97% dos registros estimados, Manaus e Belém estariam em mesma posição, ou seja, a 6 dias de alcançar esse registro. Isso as coloca em situação de serem as primeiras, dentre as 6 capitais, a avançarem para uma próxima fase da pandemia. As demais capitais estariam ainda em fases mais iniciais da pandemia, sendo o caso mais acentuado o de Porto Velho (Figura 1)

Boletim ODS Atlas Amazonas. (Arte:Divulgação/Ufam)

O modelo também prevê o número total de óbitos esperados e que corresponde à assíntota (limite) da curva. Nota-se que esses valores, como esperado, são proporcionais à variação de população total entre as capitais analisadas. 


Manaus e Belém que são municípios com mais de 1,4 milhões de habitantes atingiriam valores acima de 1,5 mil óbitos, sendo que Belém poderá alcançar a maior taxa de mortalidade estimada de 116 óbitos por 100 mil habitantes, seguida de Porto Velho com uma taxa de 99 óbitos por 100 mil habitantes. As menores taxas esperadas são as de Boa Vista e Macapá, com taxas em torno de 48 óbitos por 100 mil habitantes.


Boletim ODS Atlas Amazonas. (Arte:Divulgação/Ufam)

Observa-se que apesar de estarem em fases semelhantes, Belém já apresenta um maior número de óbitos do que Manaus (dados de 12 de junho) (Figura 2) tendo ambas apresentado números bem superiores aos das demais capitais. Nota-se ainda, a menor inclinação da curva dessas capitais, indicando a baixa velocidade de óbitos registrada nos últimos dias nessas duas maiores metrópoles regionais.

Se o modelo logístico estiver corretamente ajustado para a curva de cada um dos municípios examinados, as projeções feitas até o marco de 97% dos óbitos previstos indicam que Boa Vista, Macapá, Rio Branco e Porto Velho serão as últimas capitais localizadas na bacia amazônica a controlarem a pandemia, nessa ordem.


As razões para isso podem estar ligadas a vários fatores. Um deles pode ser a diferença na data de início da transmissão comunitária nessas capitais. A aceleração da transmissão começou primeiro em Manaus; 4 dias após, em Belém e Rio Branco, depois em Macapá após 6 dias e, finalmente, em Porto Velho, em 8 dias após o início em Manaus. Porém, essas pequenas diferenças em dias não seriam suficientes para explicar o fato de em Porto Velho a curva de óbitos ainda não ter atingido sequer o ponto de inflexão, previsto para 18 de junho. 


Coronavírus na Região Norte


Outro importante componente que pode determinar essas diferenças são as respostas das populações em termos de isolamento social (Figura 3). Até a terceira semana de março as cidades mostram o mesmo padrão, com maiores picos na penúltima semana daquele mês, lideradas por Rio Branco e Porto Velho. Após isso, as capitais passaram a mostrar diferentes comportamentos.


Em maio, Boa Vista, sempre com o menor índice, teve o mesmo padrão de variações que Porto Velho e Rio Branco. Esta última capital sempre com maiores índices de isolamento, mesmo em períodos anteriores ao da pandemia, dentre as capitais mais ocidentais. Manaus despontou ao apresentar a maior extensão de altos índices de isolamento em relação às demais capitas ao longo das três primeiras semanas do mês de abril.


A partir daí e durante o mês de maio foi Belém que liderou esse ranking. Esses dois longos períodos de isolamento podem ter feito com que essas capitais tenham conseguido avançar para as fases tardias da pandemia antes que as demais capitais, e Manaus antes que Belém. 

Boletim ODS Atlas Amazonas. (Arte:Divulgação/Ufam)

Em Macapá, o pico de maior isolamento ocorrido em maio, foi bastante efêmero e seguido de um declínio acentuado. Porém, há quedas acentuadas no isolamento social a partir da segunda quinzena de maio, sendo a mais drástica em Belém chegando a registrar o pior desempenho do grupo nestas primeiras semanas de junho.


Porto Velho tem o segundo pior desempenho no grupo, muito provavelmente devido ao fato de a municipalidade em seu Decreto n. 16.629/2020 ter determinado o retorno de diversas atividades dentro do período de 23 de abril a 04 de maio. A considerável melhora no mês corrente, decorre do decreto do governo estadual que pela primeira vez adotou medidas mais rigorosas de isolamento social naquela capital. Apesar de ter tido uma resposta precoce, Porto Velho talvez tenha sido igualmente precoce em determinar a reabertura ainda no mês de abril, o que determinou que a curva de casos e óbitos siga acelerado e muito distante da fase final.


Não por acaso, é a única capital da região que já teve que reverter suas medidas de reabertura das atividades não essenciais. Belém tornou mais rigorosas as medidas de isolamento com o decreto municipal de "lockdown" No. 96.253 que vigorou entre 7 a 17 de maio. Depois desse período, o isolamento decai a níveis bem inferiores.


Manaus e Belém seguem no mesmo ritmo ao proporem a reabertura escalonada a partir de 01 de junho. Entretanto, observa-se que em nenhuma das capitais, até a data avaliada, os níveis de isolamento social haviam baixado ao ponto de retornarem aos níveis observados antes dos registros dos primeiros casos ou antes das medidas de isolamento social terem entrado em vigor. Em conclusão, pode-se de dizer que por Manaus e Belém terem tido maiores índices de isolamento, por mais tempo e antes das demais cidades estariam mais próximas de avançarem para a fase final da pandemia.


Boletim ODS Atlas Amazonas. (Arte:Divulgação/Ufam)

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 03 Julho 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection