Soltura de 4 mil filhotes de tartarugas amazônicas emociona paraenses

A ação ambiental registrou o maior número em 10 anos e ocorreu na Área de Proteção Ambiental (APA) Jará, em Juruti, no Oeste do Estado.

Foto: Divulgação

Os moradores de uma unidade de conservação do Pará receberam centenas de visitantes para um momento emocionante: soltar cerca de 4 mil filhotes de tartarugas amazônicas à natureza, o maior número em 10 anos de projeto. A ação ambiental ocorreu na Área de Proteção Ambiental (APA) Jará, em Juruti, no Oeste do Estado. Além disso, neste ano ganhou ainda mais relevância, pois marcou o lançamento do Plano de Manejo do território, documento que orienta como cuidar, usar e desenvolver o local de forma sustentável.

Os animais foram soltos após meses de trabalho que envolveram coletar os ovos, deixá-los em uma chocadeira artificial construída pela própria comunidade e, após o nascimento, cuidar para que os filhotes se desenvolvessem em tanques com água até atingir o tamanho necessário para voltar à natureza com mais segurança. Dos quase 4.740 ovos coletados, os moradores da APA soltaram 3.950 filhotes, o que foi considerado uma vitória.

A soltura ocorreu no lago Tucunaré durante um evento aberto ao público, que reuniu aproximadamente 700 pessoas. Entre eles, estava a artesã Gelúcia Silva, que levou os filhos de 8 e 10 anos para participar da ação.

“É uma oportunidade de mostrar às crianças de forma prática a preservação dos animais. Eu aprendi isso com os meus pais e, agora, estou multiplicando esses conhecimentos para que, no futuro, eles vejam que os antepassados também tiveram o cuidado com a fauna amazônica”, 

relata.

O momento foi histórico para os moradores da APA, que começaram soltando 212 filhotes em 2013, quando o projeto Manejo de Quelônios começou no local. O fato foi relembrado com carinho pelo coordenador da iniciativa, Jorge Simão.

“É emocionante ver o quanto o projeto cresceu. Isso representa muita dedicação, muito trabalho. É o esforço da comunidade e de muitos órgãos e instituições que nos apoiam”

comemora.

Foto: Divulgação

Lançamento do Plano de Manejo  

Durante o evento, também foi lançado o Plano de Manejo da APA Jará. O documento que conta a história do território, explica suas características e estabelece como ele pode ser conservado, usado e desenvolvido de forma sustentável, incluindo um plano de ação até 2026.

“Ele foi construído coletivamente e com muito diálogo entre o poder público, instituições da sociedade civil e do setor privado e dos moradores da unidade de conservação e do município. Processo necessário para que esse plano de ação até 2026 reúna desde o cumprimento à legislação ambiental até o atendimento de demandas dos moradores e a implementação de projetos de desenvolvimento, como iniciativas de turismo”, explica Regiane Villanova, pesquisadora do Imazon e uma das autoras do Plano de Manejo.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente de Juruti, Nayme Lopes, o documento é importantíssimo para nortear o poder público em relação à gestão da área, que por ser uma unidade de conservação municipal cabe à prefeitura.

Já o morador da APA Júlio Vasquez destaca que o Plano de Manejo também é importante para orientar sobre o uso sustentável dos recursos naturais pelas próprias comunidades residentes e do entorno. 

“Participamos intensamente da construção do documento não só para a melhoria da nossa área, mas também de todo o município”

afirma.

Baixe aqui o Plano de Manejo da APA Jará.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Entenda qual a função de um consulado e quais estão presentes nas capitais da Região Norte  

Os serviços prestados por um consulado são essenciais na diplomacia internacional, pois fornecem assistência e proteção aos cidadãos de um país em território estrangeiro.

Leia também

Publicidade