Ribeirinhos do Amapá vão exportar 10 toneladas de açaí em pó para os EUA

Primeira exportação direta para os Estados Unidos ocorrerá ainda em junho. Amazonbai possui 141 cooperados em comunidades na foz do Rio Amazonas.

Extrativistas do Arquipélago do Bailique, no litoral do Amapá, trabalham com o manejo florestal comunitário e têm impulsionado a produção de açaí, um dos frutos mais consumidos na Região Norte do país. A cooperativa Amazonbai, que reúne 141 ribeirinhos da região, vai realizar este mês a primeira exportação direta de açaí liofilizado (açaí em pó) para os Estados Unidos (EUA).

De acordo com a cooperativa, a contratação inicial foi de 10 toneladas do produto. A venda para os estadunidenses deve garantir um valor de até R$ 2,4 milhões por mês aos ribeirinhos.

Pacote de açaí em pó, mostrado por Amiraldo PIcanço, presidente da Amazonbai — Foto: Rafael Aleixo/g1
Foto: Rafael Aleixo/g1 Amapá

“É um produto novo que a gente tá lançando no mercado com inovação, tecnologia e buscando agregação de valor pro nosso produto. Ele é bem procurado na indústria de cosméticos e farmacêuticos como incapsulados, por exemplo”, descreveu Amiraldo Picanço, presidente da Amazonbai.

A produção é transportada do Bailique por cerca de 12 horas em uma embarcação até a cidade de Macapá. Depois, o produto é levado em um veículo até a fábrica da Amazonbai, onde ocorre o processo de branqueamento.

Açaí em pó, produzido pela Amazonbai, no Amapá — Foto: Amazonbai/Divulgação
Foto: Divulgação/Amazonbai

A extrativista Simone Lobato Calandrini, de 31 anos, é uma das cooperadas e disse estar feliz com a produção deste ano. Ele descreveu que coleta o fruto desde a adolescência e contou que o trabalho tem garantido o sustento da família.

“A produção do açaí é muito boa. No começo eu tinha bastante dificuldade de subir, porque eu me apertava muito no açaizeiro e arranhava meu braço. Mas agora consigo subir e até pegar os cachos de dois açaizeiros”, disse a extrativista.

Simone Lobato Calandrini, extrativista no Bailique  — Foto: Rafael Aleixo/g1
Foto: Rafael Aleixo/g1 Amapá

A cooperativa já possui o selo internacional FSC de Manejo Florestal e Cadeia de Custódia, que é uma certificação pioneira para a cultura do açaí.

*Por Rafael Aleixo, do g1 Amapá

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

TCE emite alerta aos 62 municípios amazonenses para combate às queimadas e estiagem

O alerta se baseia na maior seca já registrada na história do Amazonas em 2023, que levou ao desabastecimento e o isolamento de comunidades ribeirinhas.

Leia também

Publicidade