Cereais, leguminosas e oleaginosas: Safra 2023 no Acre ultrapassa 192 mil toneladas

Dados são da estimativa do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, do IBGE.

A previsão de safra para a produção acreana de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 192.426 toneladas para 2023 na estimativa de dezembro divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no último dia 10.

O índice representa um aumento de 16,4% em relação a 2022 no mesmo período. Naquele ano, a previsão era de 165,2 mil toneladas. Em relação ao mês anterior, o Estado teve crescimento de 452 toneladas.

O IBGE chama atenção para os resultados do Acre, que ficou entre os oito Estados do país que tiveram crescimento em dezembro. Na produção do milho (1ª safra), o estado também integrou a lista dos que tiveram aumento, com 0,4% de crescimento.

Foto: Marcos Vicentti/Secom AC

Principais produtos 

O estudo faz previsão sobre a colheita de produtos como amendoim, arroz, feijão, milho e soja. Além de outros itens como banana, café, cana-de-açúcar, fumo, laranja e mandioca.

O principal produto que puxa o resultado recorde da safra acreana este ano é a soja, com um crescimento previsto de 104,6% frente ao ano anterior. A produção de soja é estimada em mais de 45,7 mil toneladas este ano, sendo que em 2022 era de 22.357 toneladas.

Também há expectativa de aumento de 14,8% na produção de milho na segunda safra, com estimativa de pouco mais de 48,9 mil toneladas produzidas, mantida em relação à previsão anterior.

A produção da banana teve previsão reduzida para 6,6% de aumento na comparação com 2022, quando era de pouco mais de 85 mil toneladas. A estimativa chegou a 91,8 mil toneladas em novembro de 2023, e encerrou o ano com 90.696 toneladas em dezembro.

Já no caso da produção de amendoim, a previsão caiu de 75 toneladas em novembro para 69 em dezembro de 2023, o que deixa a safra igual à de 2022, e representa uma queda mensal de 8%. A estimativa também é de baixa na produção de arroz (-4,8%), na produção de feijão (0,6%) e de laranja (-11,2%).

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade