Manaus 30º • Nublado
Quarta, 30 Novembro 2022

'Cachaça do Índio': bebida é produzida por artesões indígenas com ingredientes tradicionais da Amazônia

Pinga, cana, caninha ou cachaça. Extraída da cana de açúcar, a aguardente é muito popular nos bares do Brasil. Ela é mais conhecida por ser utilizada em drinks como a 'caipirinha', que é uma paixão nacional. 

Em Manaus, um grupo indígena misturou ingredientes regionais à famosa bebida e, dessa maneira, criou a 'Cachaça do Índio - Sabor da Floresta'.

Cachaça ganhou uma versão com produtos indígenas. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia

A bebida é 100% artesanal e usa a base da cana com itens tradicionais do Amazonas, entre eles, o jambu e o guaraná. A cachaça é produzida por indígenas da aldeia Tauamirim, do município de Tapauá (distante a 448 quilômetros de Manaus).

Os principais ingredientes da 'Cachaça de Índio' são o caldo de cana, marapuama, manacam, mintão, entre outros. Atualmente, a bebida está sendo comercializada no Centro do Empreendedor Indígena Yandé Muraki e o público pode degustar os sabores disponíveis. 

Criação

De acordo com o coordenador do Yandé Muraki, Yuri Sateré, a 'Cachaça de Índio' começou a ser produzida em 1996. Na época, os anciões criaram a aguardente no fogo, então, eles desenvolveram um destilador para a produção da cachaça.

"Passou um tempo, eu fui para a capital estudar e ter conhecimento dos processos químicos. Eu não me considero um bioquímico, porém passei muitos anos trabalhando nesta área. Neste período, descobri uma paixão: pesquisar as plantas da Amazônia",

contou ao Portal Amazônia.

Durante as suas pesquisas, Yuri encontrou uma planta chamada manacam. "Comecei a tirar o caldo de cana e ralar o manacam dentro. A planta cria uma reação que ajuda a fazer a fermentação da cachaça. Além de deixar a bebida com um sabor mais concentrado e adocicado", explicou.

Valores 

Os valores das cachaças variam do tamanho e ano da safra. As garrafas de 350ml custam em média R$ 15. Já as bebidas de 700 ml são vendidas por R$ 30. As de 1 litro variam entre R$ 40 a R$ 120.

"Nós temos cachaças dos anos 1997, 2000, 2009 e 2015, sendo a última a mais recente que embalamos. Inclusive, vamos começar a degustação dela no nosso espaço", explicou Yuri. 

Ele ressaltou ainda que quanto mais antiga a cachaça, maior é a concentração do sabor. "A cachaça fica mais adocicada e concentrada. Por esse motivo, o valor acaba variando", informou. 

Cachaça de Índio. Foto: Reprodução/FEI

Serviço

O Centro do Empreendedor Indígena Yandé Muraki fica localizado na rua Monsenhor Coutinho, n° 129, Zona Sul de Manaus, e funciona de segunda a sábado de 8h às 17h. Ele recebe apoio da Fundação Estadual do Índio (FEI).

Para o diretor-presidente da FEI, Edivaldo Munduruku, a criação da cachaça é uma maneira de mostrar a diversificação dos produtos extraídos da natureza e que não agridem o meio ambiente.

"A cachaça é algo popularizado em todo o mundo, mas os parentes são a prova de como o indígena é capaz de se reinventar e produzir algo que possa trazer destaque à natureza e que não destrua o meio ambiente. A prova disso é o processo artesanal que eles fazem para que tenham um produto de boa qualidade e com todas as características do Amazonas", disse.


Veja mais notícias sobre Gastronomia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 30 Novembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/