Manaus 30º • Nublado
Quarta, 30 Novembro 2022

Diagnóstico sobre a criminalidade na Amazônia é elaborado por ONGs

amazonia-foto-reproduo-ibam_20220922-185057_1

Organizações não governamentais (ONGs) se uniram para elaborar um diagnóstico sobre a criminalidade na Amazônia e os desafios para desenvolver a região mantendo a floresta em pé. O retrato da região está em dois relatórios produzidos pelos institutos Igarapé, Centro Soberania e Clima e Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com o apoio do Instituto Clima e Sociedade.

Os documentos alertam que o desmatamento na região passou dos 13 mil quilômetros quadrados em 2021, a maior taxa dos últimos 15 anos; e que a mineração ilegal aumentou quase 500% em terras indígenas e 300% em unidades de conservação.

Os especialistas reforçam que a Amazônia deve ser prioridade nas discussões políticas nacionais por ser a maior floresta tropical do mundo, fundamental para regulação do clima, para agricultura e geração de energia no país, e, principalmente, por abrigar mais de 29 milhões de brasileiros, entre eles populações ribeirinhas, indígenas, quilombolas, que são mais vulneráveis à violência e aos impactos ambientais.

Os pesquisadores apresentaram uma agenda com 93 propostas para fortalecer a segurança pública e a proteção ambiental na Amazônia.

Foto: Felipe Werneck/Ibama

Os estudos mostram que apenas 5% das áreas desmatadas foram alvo de multas ou embargos do IbamaMelina Ricci, diretora de pesquisa do Instituto Igarapé, diz que a destruição da floresta tem relação com a expansão de facções criminosas na Amazônia.

"A primeira coisa que a gente observa é que o crime ambiental não acontece de maneira isolada, porque ele é cometido, ele é facilitado por diferentes outros crimes. Por exemplo, a corrupção, a fraude, lavagem de dinheiro, inclusive crimes violentos, como tráfico de drogas"

afirma.

No ano passado, a Amazônia concentrou a metade dos conflitos de terra no Brasil e 80% dos assassinatos na zona rural. Das 30 cidades com mais mortes violentas no país, 13 estão na Amazônia, onde a taxa de violência letal ficou quase 40% acima da média nacional. 

"O crime organizado se aproveitou das brechas de governança, das carências de coordenação entre União, estados e municípios. Quando você tem estruturas policiais deficitárias, o que a gente tem na verdade é a impunidade da violência na Amazônia. Isso explica bastante o que está acontecendo na região", afirma o diretor presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima.

*Com informações do Jornal Nacional


Veja mais notícias sobre Amazônia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 30 Novembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/