Santana no Amapá integra ‘Arco Norte’ e ajuda no aumento da exportação de milho e soja no Brasil

Portos do Arco contribuíram com 31,6% das exportações. Sendo a segunda melhor posição desde 2019; entenda o que é o Arco Norte.

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), divulgou o relatório de exportações de soja e milho do mês de março de 2024 em escala nacional. Como parte do Arco Norte, o município de Santana, distante 17 quilômetros de Macapá, se destaca com um aumento de 31,6% das exportações.

Ao total, apenas através do Arco Norte, totaliza-se o transporte de 14,8 milhões de toneladas. Com a soja foram operadas 14,4 milhões de toneladas e com o milho 430 mil toneladas. 

Porto de Santana. Foto: Divulgação/CDSA

Dados de exportação de grãos em Santana: 

No ano de 2023, o Porto Organizado de Santana administrado pela Companhia de Docas do município, alcançou o maior recorde de movimentação de cargas dos últimos 9 anos, com um crescimento de 48,1% comparado ao ano de 2022.

Apenas a exportação de grãos pelos portos do Arco Norte, houve um aumento de 49,7% em 2023 em relação ao ano 2022. Até julho de 2023, Santana registrou 595.011 exportações

Arco Norte

Este arco abrange portos localizados nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, e é definido por uma linha imaginária que atravessa o território brasileiro.

Passando próximo as cidades de Ilhéus (BA), Brasília (DF) e Cuiabá (MT). Mas os portos de principal interesse do agronegócio são em: Itacoatiara (AM), Santarém e Barcarena (PA), Santana (AP), São Luís (MA), Salvador e Ilhéus (BA). 

Localidades que integram o Arco Norte — Foto: Reprodução/Governo Federal

Por Isadora Pereira, g1 AP — Macapá*

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Riqueza botânica do Parque Estadual da Serra dos Martírios é registrada em livro 

O livro é fruto do trabalho de sete pesquisadores do Ideflor-Bio, da Embrapa Amazônia Oriental e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Leia também

Publicidade