Meio Ambiente

Terras indígenas em Rondônia estão sendo loteadas por grileiros, acusa MPF

De acordo com o Ministério Público Federal, as áreas mais afetadas são as terras do povo Uru-Eu-Wau-Wau e do povo Karipuna

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Terras indígenas no norte de Rondônia estão sendo loteadas por grileiros e madeireiros ilegais. De acordo com o Ministério Público Federal, as áreas mais afetadas são as terras do povo Uru-Eu-Wau-Wau e do povo Karipuna.
 
Foto:Reprodução
   
Em relação à Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, uma operação da Polícia Federal em parceria com o MPF em agosto passado teria resolvido parte do problema.Na época, os agentes identificaram duas organizações criminosas especializadas em crimes ambientais, como furto de madeira, desmatamento de floresta pública, corrupção ativa e passiva e invasão de terra pública.Na terra Karipuna, há investigações em curso, mas nenhuma operação foi deflagrada. O procurador federal Daniel Azevedo explica como agem os grileiros.A segurança dos indígenas, segundo Azevedo, também está em risco. Em entrevista concedida em dezembro do ano passado à Rádio Nacional, a liderança indígena Adriano Karipuna confirma a situação enfrentada nas aldeias de Rondônia.
Para o MPF é necessário um trabalho de investigação mais profundo, pois as organizações que atuam nas grilagens são bem estruturadas, com serviços de falsificação de documentos e roubo qualificado de madeira.
O órgão não descarta a possibilidade de ingressar com ações judiciais para resolver a questão. 

Meio Ambiente

Home > Noticias > null

Terras indígenas em Rondônia estão sendo loteadas por grileiros, acusa MPF

De acordo com o Ministério Público Federal, as áreas mais afetadas são as terras do povo Uru-Eu-Wau-Wau e do povo Karipuna

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Terras indígenas no norte de Rondônia estão sendo loteadas por grileiros e madeireiros ilegais. De acordo com o Ministério Público Federal, as áreas mais afetadas são as terras do povo Uru-Eu-Wau-Wau e do povo Karipuna.
 
Foto:Reprodução
   
Em relação à Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, uma operação da Polícia Federal em parceria com o MPF em agosto passado teria resolvido parte do problema.Na época, os agentes identificaram duas organizações criminosas especializadas em crimes ambientais, como furto de madeira, desmatamento de floresta pública, corrupção ativa e passiva e invasão de terra pública.Na terra Karipuna, há investigações em curso, mas nenhuma operação foi deflagrada. O procurador federal Daniel Azevedo explica como agem os grileiros.A segurança dos indígenas, segundo Azevedo, também está em risco. Em entrevista concedida em dezembro do ano passado à Rádio Nacional, a liderança indígena Adriano Karipuna confirma a situação enfrentada nas aldeias de Rondônia.
Para o MPF é necessário um trabalho de investigação mais profundo, pois as organizações que atuam nas grilagens são bem estruturadas, com serviços de falsificação de documentos e roubo qualificado de madeira.
O órgão não descarta a possibilidade de ingressar com ações judiciais para resolver a questão. 

TAG terras indigenasmadeira irregulargrileirosRondoniacrime ambientalmeio ambiente