Arena Rock Festival terá Front Stage Porão do Alemão

MANAUS – A casa de rock mais tradicional de Manaus, o Porão do Alemão, terá um espaço reservado na segunda edição do Arena Rock Festival, que acontecerá nos dias 19, 20 e 21 de novembro, na Arena da Amazônia. Front Stage Porão do Alemão receberá cerca de duas mil pessoas, a estrutura possui dois bares com fácil acesso e terá garçons para atender ao público.Quem garantir o ingresso ainda concorrerá a prêmios que vão desde “combos” de bebidas até a chance de tirar fotos com artistas no camarim. Também haverá acesso livre à pista e ao palco alternativo, onde 18 bandas locais se apresentarão. “O Front Stage Porão do Alemão é dedicado a quem quer aproveitar ao máximo o festival, ficar próximo das atrações e curtir cada apresentação com uma visão privilegiada do palco. Preparamos promoções, sorteios e cortesias para garantir a melhor experiência ao público”, afirmou o produtor do evento, Reinaldo Barros.O Arena Rock Festival reunirá cinco atrações nacionais e 18 da cena manauara. Entre os destaques da programação está o show das bandas Detonautas, Raimundos, Os Paralamas do Sucesso e Biquíni Cavadão. Além da música, será promovida uma feira gastronômica com food trucks, garantindo opções de sanduíches, comidas de boteco, sushi e outros.O passaporte para o Front Stage Porão do Alemão, com direito aos três dias do festival, está disponível ao valor de R$ 250. Os ingressos por dia de evento custam R$ 100. Os valores são da meia entrada, disponível para quem apresentar carteira de estudante ou para quem levar um quilo de alimento não perecível.As vendas de ingresso estão sendo realizadas no site ingresse.com, nas lojas American Ford (localizada na Avenida Constantino Nery), Colcci e Chilli Beans (nos shoppings), na Riff´s Academia de Música (Avenida Djalma Batista) e no Porão do Alemão (Estrada da Ponta Negra).
Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Censo Demográfico: quilombolas rondonienses tem idade mediana um ano a mais que população total

Na região norte, o maior índice de envelhecimento dos quilombolas foi apresentado por Mato Grosso (76,93) e os menores foram no Amazonas (23,4) e Amapá (28,96).

Leia também

Publicidade