Embratur assina protocolo com empresários do Amazonas para promoção internacional de destinos

A Embratur tem trabalhado para divulgar os destinos brasileiros da Amazônia e fortalecer a conexão aérea com a região.

O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, assinou um protocolo de intenções com o grupo de empresários do Amazonas Cluster de Turismo, que tem como objetivo promover ações de divulgação internacional do Norte do país, em especial a Amazônia, e a troca de boas práticas turísticas e informações estratégicas para o fomento da região.

Além de Freixo, participaram do encontro pela Agência o diretor de Gestão e Inovação, Roberto Gevaerd, o gerente de Mercados e Eventos Internacionais, Bruno Reis, a gerente de Gabinete da Diretoria de Marketing Internacional, Negócios e Sustentabilidade, Kátia Bitencourt, a coordenadora de Parceria e Desenvolvimento de Mercado, Carina Camara, e a coordenadora da Região Norte, Roselene Medeiros.

Do grupo de empresários participaram do encontro o sócio-operador da Anavilhanas Jungle Lodge e do Hotel Villa Amazonia, Antonio Augusto Orcesi da Costa Filho, o diretor da Juma Amazon Lodge e da Juma Ópera, Caio Fonseca, e o presidente do grupo, Kleber Augusto Bechara de Oliveira, além do presidente da Amazonastur, Ian Ribeiro. 

O Cluster é um coletivo de hotéis e hospedarias de pequeno e médio porte que se uniu para desenvolver ações em benefício do trade turístico e do turista que procura o turismo de selva no estado do Amazonas. Entre os empreendimentos há hotéis de floresta, flutuantes e pousadas urbanas.

A Embratur tem trabalhado para divulgar os destinos brasileiros da Amazônia e fortalecer a conexão aérea com a região. Além do protocolo de intenções com o grupo de empresários, a Coordenação de Parcerias e Competitividade já vem atuando no desenvolvimento de parcerias institucionais com outros representantes da região, como a Rotas Amazônicas Integradas (RAI), por exemplo. Uma das ações planejadas para a região é uma press trip com seis comunicadores dos Estados Unidos durante o Festival de Parintins (AM), que acontece em 28, 29 e 30 de junho.

Ferramentas estratégicas

Durante a conversa, Freixo destacou que Embratur tem uma série de ferramentas já à disposição das empresas e dos governos para ajudá-los na promoção internacional dos seus destinos. Entre elas, o Painel de Dados da Embratur, com informações e números para ajudar governos locais e estaduais e empresas a tomarem decisões para a promoção turística de destinos com maior eficiência e menor desperdício.

“Essa é uma pauta para aproximarmos a Embratur da realidade dos destinos da Amazônia e sabermos como podemos ajudá-los na promoção internacional. Criamos um setor de inteligência de dados que está à disposição do setor público e do privado para ajudar na tomada de decisão de quem está na ponta. No turismo, esses dois mundos tem que se entender. Nós temos uma capacidade de promoção internacional que vocês precisam e, vocês, o conhecimento dos destinos e das necessidades locais que nós precisamos”, afirmou o presidente da Embratur.

Outro ponto que Freixo destacou é que o turismo no Amazonas é um modelo econômico que permite a preservação da floresta e a geração de emprego e renda. Antonio Augusto Orcesi, por sua vez, lembrou que a Região Norte tem o potencial para se tornar uma importante porta de entrada para o Brasil, aumentando a circulação nos municípios, o turismo na região e fortalecendo as rotas aéreas para o Brasil. Ele lembrou que o voo de Miami, nos Estados Unidos, para Manaus (AM), dura cerca de cinco horas. 

Orcesi também destacou que o turismo na região tem um forte componente cultural. “Hoje a realidade dos hotéis de selva da Amazônia mudou. Deixou de ser de grandes empreendimentos. Temos hotéis de pequeno porte com uma experiência muito mais intimista e responsável [ambientalmente]. Trabalhamos com a gastronomia local, tem um guia caboclo que viveu na floresta a vida toda e que vai apresentar a trilha a partir dos seus conhecimentos da Amazônia”, exemplificou.

Protocolo de intenções

O documento assinado firma o compromisso de apoio de iniciativas no âmbito do Projeto Amazônia, que visa alavancar internacionalmente os destinos e as experiências da Amazônia. O protocolo oficializa uma parceria estratégica com o intuito de fortalecer os destinos e as experiências turísticas da região no mercado internacional, assim como a troca de experiências e boas práticas relacionadas ao turismo sustentável.

Também fortalece a divulgação da “Marca Brasil” nos empreendimentos e equipamentos no destino e, ainda, na prestação de serviços, para consolidar a logo no Brasil e no mundo. Caberá à Embratur, dentre outras coisas, o apoio à participação em ações de promoção do turismo sustentável nos mercados estratégicos internacionais e disponibilizar dados e informações de caráter técnico, que sejam de seu domínio e possibilidade.

E caberá ao Amazonas Cluster de Turismo disponibilizar os meios necessários à execução do Protocolo de Intenções, no âmbito de sua competência, identificar experiências turísticas já adequadas, ou com potencial para atender o mercado internacional, e subsidiar as ações a serem realizadas pelo grupo e em conjunto com a Embratur.

*Com informações da Embratur

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Camu-camu é usado para enriquecer farinha de mandioca

Desidratados sob diferentes métodos tecnológicos, os resíduos agroindustriais de frutos de camu-camu, adicionados à farinha de mandioca, incrementaram significativamente os produtos finais.

Leia também

Publicidade