Empreendedores engajados no ESG expõem em fórum que estimula debate sobre o tema em Manaus

Expositores puderam fazer networking e conhecer o mercado de gastronomia, moda, artesanato e pintura corporal com características regionais.

Mesas de palestras, debates e espaço de perguntas e respostas marcaram o ‘1º Fórum de ESG Amazônia: Desenvolvimento Sustentável na Amazônia’. O encontro contou com especialistas, líderes corporativos e representantes governamentais que debateram como as empresas podem, concretamente, contribuir com o crescimento sustentável na Amazônia e no mundo.

Além disso, ao longo da programação do evento, expositores locais marcaram presença. Empreendedores estes que estão engajados na causa ESG e de desenvolvimento sustentável no geral.

Foto: Isabelle Lima/Portal Amazônia

É o caso do idealizador do ‘Amigos da Floresta’, Fábio Silva, empresa voltada para o turismo gastronômico na região, com o objetivo de fornecer produtos com ingredientes regionais, fomentando a economia familiar. 

“Nós temos o ESG como um dos principais pilares de atuação. Nós desenvolvemos soluções artesanais para o turismo e para a gastronomia contando histórias através das receitas e viajando em função do alimento. Com isso a gente consegue, tanto no turismo quanto na gastronomia, soluções saudáveis e sustentáveis para entender como funciona a cultura amazônica”,

explicou Fábio.

Foto: Isabelle Lima/Portal Amazônia

Ele comenta que o ‘Amigos da Floresta’ possui uma linha de produtos artesanais a pronta-entrega e uma linha de “forno e fogão”, para eventos personalizados. São várias opções: “A gente tem granolas sustentáveis, saudáveis, sem lactose, glúten, conservante ou açúcar, com sabores funcionais; a farinha da pupunha; uarini torrada com a pimenta murupi; uma variedade de geléias amazônicas, sempre sem conservantes; o azeite de pimenta murupi”.

Foto: Isabelle Lima/Portal Amazônia

Estiveram presentes também expositores de roupas, artesanato e pintura corporal, como o jovem Amadeu Ferreira de Castro, indígena Saterê-Apurinã, que trabalha com grafismos e criou uma loja de roupas que exibem esses elementos culturais.

“Para mim é uma grande oportunidade de trazer para cá, porque foi o grafismo corporal que me tirou da minha zona de conforto. Então eu trabalho disso, eu vivo disso. E eu trouxe para cá para mostrar para o pessoal como é a nossa tradição, a nossa cultura, como é que funciona. Eu venho ensinando sobre o grafismo corporal, os seus significados”,

pontuou.

Preservação da floresta e dos povos 

Ao Portal Amazônia, Régia Moreira Leite, coordenadora da comissão de ESG do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) – realizador do Fórum -, mencionou a importância de se debater os significados da sigla ESG na região. 

Foto: Isabelle Lima/Portal Amazônia

“Nós estamos no meio da floresta amazônica, nós estamos no coração. Do mundo. Nós estamos aqui para defender essa floresta amazônica e mostrar, engajar todas as indústrias que aqui estão sobre a importância de ter o ESG, de adotar esses pilares de ESG, que é a sustentabilidade, é o meio ambiente, a conservação do nosso meio ambiente, que é a parte social da inclusão dos povos, a inclusão dos povos originários, inclusão de toda a nossa sociedade em todas as indústrias, em todos esses pilares. E o G, que é a governança do ESG, que é todos nós trabalhamos com ética, com respeito, com todos os mundos, com todas as sociedades de modo geral”,

finalizou Régia.

O 1° Fórum de ESG Amazônia acontece em Manaus (AM) nesta segunda-feira (25) e é realizado pelo Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) em parceria com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: qual a função de uma ‘área de preservação permanente’?

As APP são consideradas um instrumento essencial à política de preservação ambiental.

Leia também

Publicidade