Anuário de Segurança Pública aponta Rondônia como Estado com maior taxa de feminicídios no país

Estado também lidera ranking de homicídios com vítimas mulheres. Anuário com dados de 2022 foi divulgado no dia 20 de julho.

Foto: Tumisu/Pixabay

Rondônia liderou o ranking de feminicídios no ano de 2022, segundo dados do 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado na última quinta-feira (20). O Estado teve a maior taxa do país, com 3,1 casos para cada 100 mil mulheres. 

O feminicídio é uma das possíveis qualificadoras do crime de homicídio e ocorre contra a mulher por razões da condição do sexo feminino, sendo quando o crime envolve violência doméstica e familiar e menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Taxa de feminicídios em 2022 

Estado Casos por 100 mil mulheres Variação em relação a 2021
Rondônia 3,1 49,7%
Mato Grosso do Sul 2,9 20%
Mato Grosso 2,6 7,7%
Acre 2,6 -9,3%
Amapá 2,2 98,5%

Fonte: Anuário de Segurança Pública

No ano anterior, Rondônia estava empatado em sexto lugar com o Espírito Santo com uma taxa de 2,0, e atrás de estados como Acre, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Piauí.

Homicídios de mulheres 

Rondônia também foi destaque em 2022 nos casos de homicídios com vítimas do sexo feminino, com uma taxa de 11,9 casos por 100 mil mulheres. No mesmo ano, a taxa nacional foi de 3,9.

Ao todo, foram registrados 88 casos em todo o estado. Um aumento de 37% em comparação com o ano anterior, quando foram contabilizados 64 homicídios de mulheres.

Imagem: Reprodução/g1 Rondônia

Violência doméstica

Quando se trata de lesão corporal no contexto de violência doméstica, Rondônia também fica entre os primeiros lugares do país. Em 2022 foram quase 500 casos para cada 100 mil mulheres no estado.

Rondônia ficou atrás apenas de Mato Grosso, com 631,6 casos, e de Roraima, que contabilizou 504,8 casos para cada 100 mil mulheres. A média nacional foi de 236,7 casos.

Ao todo, no último ano, o estado contabilizou 3.910 casos de lesão corporal contra mulheres no contexto de violência doméstica.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Plano Nacional de Mineração 2030: geologia, mineração, transformação mineral

O Brasil, salienta o Plano, é um importante produtor mundial de minérios; contudo, seu consumo per capita encontra-se entre 15% e 30% dos países que já lograram atingir níveis mais elevados de desenvolvimento.

Leia também

Publicidade