Manaus 30º • Nublado
Sábado, 27 Novembro 2021

Conheça Txai Suruí, a indígena que foi a única brasileira a discursar na COP26

Conheça Txai Suruí, a indígena que foi a única brasileira a discursar na COP26

Walelasoetxeige Suruí, ou Txai Suruí, tem 24 anos e é nascida dos Povos Suruí, em Rondônia. Filha de Almir Suruí, uma das lideranças indígenas mais conhecidas pela luta contra o desmatamento na Amazônia.

A jovem ficou mundialmente conhecida após discursar na abertura oficial da Conferência da Cúpula do Clima (COP26) que acontece em Glasgow, na Escócia. Ela expôs o avanço da mudança climática na Amazônia.

No discurso feito na segunda-feira (1), Txai Suruí falou sobre a necessidade de medidas urgentes para frear as mudanças climáticas, além de destacar a importância dos povos indígenas na proteção da Amazônia. Ela também relembrou os ensinamentos recebidos através de seu pai, principalmente sobre a importância de viver em harmonia com a natureza.

"Meu pai, o grande cacique Almir Suruí, me ensinou que devemos ouvir as estrelas, a lua, o vento, os animais e as árvores. Hoje o clima está esquentando, os animais estão desaparecendo, os rios estão morrendo, nossas plantações não florescem como antes. A Terra está falando, ela nos diz que não temos mais tempo", disse.

Foto: Redes Sociais

Ainda no discurso da COP26, Txai relembrou a morte do indígena Ari Uru-Eu-Wau-Wau, que trabalhava registrando e denunciando extrações ilegais de madeira dentro da aldeia onde morava. Segundo Txai, ele foi morto por defender a floresta.

Txai Suruí está no último semestre do curso de direito na Universidade Federal de Rondônia (Unir). Apesar de ainda não está formada, ela trabalha na parte jurídica da Associação de Defesa Etnoambiental (Kanindé), a entidade que defende a causa indígena em Rondônia.

Além disso, também é fundadora do Movimento da Juventude Indígena de Rondônia. Txai já liderou atos pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e denunciou o avanço da agropecuária sobre a Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia.

Nas redes sociais, a jovem indígena expõe várias ameaças que os Povos Suruís sofrem no estado.

"Aqui onde eu sou real ainda invadem nossas terras, atacam nossos direitos, ameaçam nossas vidas, envenenam nossa água e destroem nossa floresta", escreveu em sua conta no Instagram em 9 de agosto. 

Nos últimos anos, Txai participou de vários manifestos em defesa dos povos. Inclusive, nos últimos protestos realizados em agosto, quando indígenas ocuparam a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, contra medidas que dificultam a demarcação de terras e incentivam atividades de garimpo.

Em 2019, Txai foi apresentar um trabalho acadêmico em uma das principais competições de júri simulado do mundo, o Willem C. Vis International Commercial Arbitration Moost (Vis Moot).

Confira o discurso feito pela ativista na cerimônia de abertura da COP26:

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 28 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/