Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Domingo, 18 Abril 2021

Aplicativo que mapeia empreendedores negros paraenses é criado em Belém

Empreendedores e pesquisadores negros paraenses lançam, em festival on-line que ocorre entre 8 e 28 de março de 2021, o aplicativo de celular Afromap. A ferramenta tem o objetivo de ser uma vitrine dos negócios encabeçados por negros e consiste na geração de um mapa, que permite ao usuário se cadastrar ou encontrar essas empresas, estimulando conexões e facilitando a promoção de negócios. 

"O Afromap se baseia no fato de que o Pará é o estado do Brasil onde mais pessoas se autodeclaram negras, porém a representatividade delas ocupando atividades criativas e produtivas ainda é baixa. Nesse sentido, um aplicativo que promove conexões busca romper a lógica do isolamento historicamente engendrado pelo racismo, aumentando as chances de desenvolvimento da população negra na Região Amazônica", destaca Rayo Machado, uma das coordenadoras da iniciativa.

Artesanato, culinária e empreendedorismo quilombola. Foto: Klewerson Lima

O Afromap já conta com 160 empreendimentos cadastrados. Ao longo de onze meses, a ferramenta foi testada e redesenhada em pontos identificados para aperfeiçoamento. O trabalho culminou em uma versão atualizada do aplicativo, de interface moderna, segura e intuitiva, que dinamiza a conexão entre empreendedores/clientes e impacta beneficamente na geração de renda do setor - o mais afetado pela pandemia.

Tainá Barral é coordenadora da produtora cultural Na Cuia, um dos negócios cadastrados no Afromap. Ela compartilha sua expectativa com o lançamento da ferramenta: "Minha expectativa é de expandir o nosso negócio e aumentar nossa visibilidade e conexão com outros empreendimentos. A Na Cuia já atua nessa perspectiva de estímulo aos empreendedores culturais negros e, a partir dessa iniciativa, esperamos uma maior integração".

Segundo a pesquisa sobre o impacto da crise sanitária nos empreendimentos do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), pretos e pardos com empresas fechadas ou negócios interrompidos durante a pandemia da covid-19 somam 18%, enquanto brancos correspondem a 15%.

O aplicativo é uma iniciativa do Festival Exú, coletivo que desde maio de 2019 mapeia os afroempreendimentos Região Metropolitana de Belém, e tem o apoio do edital de festivais integrados da Lei Aldir Blanc do Pará.

Programação 

O lançamento da ferramenta será celebrado no Festival Afromap: arte, empreendedorismo, tecnologia e inovação. A programação conta com debates, rodas de conversas, cursos, workshops, feira de produtos do empreendedorismo negro e apresentações culturais. Matemba, Mariza Black, Arthur da Silva, Grupo Toró-Açú, Bruna BG, Banda Samaúma, DJ Tauan, Anastásia Marshelly, DJéia Ananindeusa, Josiel Paz, Juan Silva, Emilly Cassandra e Dama Blackout. 

"Pra nós é um prazer estar participando do Afromap, esse projeto que busca expandir a rede de empreendedores negros e ajudar no crescimento dos artistas pretos aqui da nossa região, ainda mais nesse momento de pandemia, onde nós estamos precisando ainda mais do apoio de diversos setores da sociedade", pontua Naré, vocalista da Banda Samaúma. 

"Almejamos com esse festival poder ampliar o alcance de afroempreendedores e artistas paraenses através da formação, das tecnologias sociais e digitais e da arte, bem como conectar a potência da diversidade cultural negra da Amazônia ao mundo", finaliza Bruna Raiol, também da coordenação do app.

Veja mais notícias sobre Inovação e TecnologiaPará.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 19 Abril 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/