Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 30 Outubro 2020

Haja coração: casados, roraimense e suíço sofrem juntos com estreia na Copa

Haja coração: casados, roraimense e suíço sofrem juntos com estreia na Copa
Se o empate em 1 a 1 na partida entre as seleções do Brasil e da Suíça foi sofrido para milhões de torcedores brasileiros ao redor do país, imagine para quem foi a única torcedora da seleção canarinho em 'território inimigo'.

Pois foi exatamente essa a sensação vivida pela engenheira Liene Wild no último domingo (17), durante a estreia dos dois times na Copa da Rússia. Roraimense de Boa Vista, Liene vive na Suíça desde 2011, ano em que se casou com o suíço Mike Wild.
Foto:Cedida/Liene Wild

Sete anos após oficializar a união, o casal acompanhou em uma tenda em Meilen, no cantão de Zurique, pela primeira vez, uma partida entre os dois países válida por uma Copa do Mundo. Ela, é claro, torceu pelo Brasil; enquanto o marido se juntou à torcida pela seleção de seu país. Resultado: empate em 1 a 1.
Foto:Cedida/Liene Wild

Para reforçar a torcida solitária de Liene, dois suíços amigos de Mike surgiram com a camisa da seleção brasileira durante a transmissão. Mas nem mesmo essa ajuda extra foi suficiente para garantir uma vitória verde e amarela na Arena Rostov.

"Eles disseram que vieram com a camisa do Brasil para me dar apoio emocional, mas não deu certo. Não perdemos, mas também não ganhamos", diverte-se a roraimense.
Foto:Cedida/Liene Wild

Perguntada se o placar do jogo deixou o casal satisfeito, a brasileira foi enfática.

"Mike ficou feliz com o empate, mas eu não. Os suíços em geral ficaram bem felizes. No fim do jogo eles comemorarem como se tivessem ganhado de 3 a 0", relata Liene.
Foto:Cedida/Liene Wild
Já o marido aproveita para tirar um sarro da euforia dos compatriotas.

"Será que eles sabem que o jogo empatou em 1 a 1 e ninguém ganhou?", ironiza o gringo.
Foto:Cedida/Liene Wild
Mas para evitar brigas em casa e na torcida, o casal adotou uma tática para os jogos da Copa que não incluam as duas seleções.

"Temos um acordo. Se Brasil e Suíça não jogarem entre si, vamos torcer para o Brasil e para a Suíça. Mike sempre vai torcer para o Brasil e eu sempre vou torcer para a Suíça. Esse jogo terminou empate, então está tudo OK. Mas agora Brasil e Suíça precisam ganhar todos os outros jogos para se classificarem juntos", explica ela.

A partida deste domingo, no entanto, não foi a primeira a dividir a torcida do casal. E o retrospecto é a favor de Mike. O primeiro Brasil e Suíça assistido pelo casal foi uma partida amistosa, realizada em 2013, na Basileia, também na Suíça, terminou com o placar de 1 a 0 para os donos da casa.
Foto:Cedida/Liene Wild

Veja mais notícias sobre Esportes.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 30 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/