Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 18 Setembro 2020

Estudantes do Ensino Médio do Pará desenvolvem projetos que estão mudando a vida das pessoas na região

Estudantes do Ensino Médio do Pará desenvolvem projetos que estão mudando a vida das pessoas na região
Um detector para embarcações ribeirinhas que ajuda na prevenção de acidentes, uma armação de óculos feita com caroços de açaí e uma pomada cicatrizante criada a partir de uma árvore típica da região são apenas alguns exemplos de projetos desenvolvidos por alunos do Ensino Médio do interior do Pará. As novidades foram apresentadas Mostra de Ciência e Tecnologia da Escola Açaí (MCTEA), na primeira semana de dezembro, na cidade de Abaetetuba, no interior do Pará.




Ao todo, 170 trabalhos de alunos e professores de instituições públicas e privadas de Ensino Infantil, Fundamental, Médio, Técnico e Superior, nas áreas de Ciências Exatas, Biológicas, da Saúde, Agrárias, Sociais, Humanas e Engenharias e suas aplicações fora apresentados na feira que contou com representantes de 18 estados brasileiros e cinco países, além do Brasil: Espanha, México, Colômbia, Paraguai e Uruguai.




O coordenador da MCTEA, Gilberto Luís Sousa da Silva, comemorou o sucesso e a importância conquistada pelo evento para o Estado. “Este é o único evento internacional que acontece no Pará, que envolve alunos e professores da educação básica e também do ensino superior. Estamos estimulando a elevação da qualidade da educação e da iniciação científica, porque muitos projetos apresentados estão em condições de gerar patente e de se tornar um serviço ou produto de mercado”, afirmou.
Foto: Divulgação

A armação de óculos com caroços de açaí, por exemplo, dá uma destinação sustentável para este resíduo que se torna uma biomassa totalmente modelável e biodegradável. Já a pomada cicatrizante é feita a partir da casca da árvore taperebazeiro (também conhecida como cajazeira em outras regiões do Brasil) e não compromete em nada o crescimento da planta e o detector de embarcações é uma solução muito simples que pode ajudar a prevenir acidentes entre as pequenas embarcações das populações ribeirinhas. 
 
 

Os resultados apresentados pelos alunos também foram observados pelos expositores da feira. Natural de Abaetetuba, Andel Lima, engenheiro de Processos na Alunorte, refinaria de alumina da Hydro, recepcionou os visitantes do estande da empresa durante a MCTEA. Ele destacou que o evento foi importante para despertar o interesse, sobretudo de crianças e adolescentes, em relação ao processo industrial das plantas em Barcarena. “Foi interessante aguçarmos o conhecimento desse público ao que se faz na região e os benefícios da operação de uma refinaria de alumina. Algumas famílias residem próximo às empresas e não sabiam o que é produzido por elas. Conseguimos tirar as dúvidas e apresentar curiosidades sobre a operação”, afirmou.


 
A Mostra de Ciências e Tecnologia da Escola Açaí (MCTEA) é realizada, anualmente, pelo Movimento Científico Norte Nordeste, Prefeitura de Abaetetuba, Secretaria de Educação de Abaetetuba e o Instituto Açaí. A programação visa aproximar a comunidade da realidade científica e ampliar as possibilidades dos interessados em ciência, com ênfase na melhoria na educação, na saúde, no empreendedorismo, no meio ambiente e na vida. Foram cinco dias de atividades com palestras, oficinas, exposições, avaliações e premiações de trabalhos.


Veja mais notícias sobre Ciência e Tecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 18 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection