Raposa criada como animal de estimação é levada para bosque em Boa Vista

O filhote de raposa tem um ano e não conseguiu se adaptar à natureza, por isso foi levado ao bosque.

Um filhote macho de raposa é o novo hóspede do Parque Ecológico Bosque dos Papagaios, na zona Leste de Boa Vista (RR). O animal foi resgatado e levado ao bosque após ser criado como um animal de estimação — uma prática ilegal.

Ele foi capturado por uma moradora enquanto atravessava uma estrada na área rural de Boa Vista em 2023. A mulher o criou como animal de estimação, mas depois fez entrega voluntária. O filhote tem um ano e não conseguiu se adaptar à natureza, por isso foi levado ao bosque. Agora, está em fase de adaptação no novo lar.

“A munícipe que pegou a raposa mora no bairro Nova Cidade e reclamou do forte odor de urina. Por isso, ela o entregou de forma voluntária e fizemos o resgate. É sempre válido reforçar que animais silvestres não são ‘pets’. Eles pertencem à natureza e quando são retirados, podem sofrer muito com a falta de adaptação”, disse o secretário municipal de Meio Ambiente, Alexandre Santos.

Leia também: Saiba como criar animais silvestres como pets legalmente

São variados os nomes para essa espécie de canídeo endêmico da América do Sul: raposa, cachorro-do-mato, graxaim-do-mato, entre outros. Já o científico é apenas um: Cerdocyon thous. Apesar da aparência encantadora e do tamanho pequeno, chegando a 65 cm de comprimento, esse animal é temperamental e pode morder ao se sentir ameaçado.

Após o resgate em 2023, o animal foi encaminhado para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS). Houve uma tentativa de devolução para a natureza, mas o pequeno se mostrou incapaz de sobreviver por conta própria. Por isso, sua nova casa é no Bosque dos Papagaios, onde foi construído um recinto especialmente para ele.

Foto: Andrezza Mariot/PMBV

“Sempre deixamos os espaços dos animais o mais próximo possível do habitat. Os alimentos são os que eles encontram na natureza. No caso da raposa, o cardápio é composto por carne vermelha e branca e frutas. Durante a adaptação, vamos analisar o comportamento. Caso precise de alguma alteração no recinto, faremos”, contou o diretor do Bosque dos Papagaios, Francisco Ibiapina.

A espécie é encontrada na América do Sul em áreas florestais, cerrados e campos. Distribui-se desde a Venezuela e Colômbia até o Sul do Uruguai e Paraguai, exceto nas regiões baixas da Bacia Amazônica.

Na natureza, tem hábitos noturnos e pode ser observado andando em duplas. Costuma caçar sozinho, porém quando jovem pode agir em grupos de até quatro indivíduos.

O Bosque dos Papagaios funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Aos sábados e domingos, o horário de funcionamento é das 14h às 18h. O local não abre nos dias de feriados.

Além disso, é proibido entrar no local com animais domésticos, alimentar os animais, entrar com bebida alcoólica, consumir alimentos nas trilhas, fumar e descartar resíduos de forma irregular.

*Com informações do g1 Roraima

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Conheça 8 Pokémon inspirados na região amazônica

A franquia Pokémon conta com quase 900 monstrinhos que foram inspirados nas mais diversas regiões do mundo, incluindo a Amazônia.

Leia também

Publicidade