Estudo inédito aponta que quase 33 milhões de árvores foram derrubadas em 2022 no Acre

Estado é o quinto da Amazônia Legal com mais árvores derrubadas. O Monitor da Floresta inclui um contador que utiliza como base os alertas diários de áreas desmatadas do DETER.

Um estudo inédito do Monitor da Floresta do PlenaMata, uma iniciativa do MapBiomas, InfoAmazonia, Natura e Hacklab pelo fim do desmatamento, mostra que o Acre foi o quinto estado da Amazônia Legal que mais teve árvores derrubadas em 2022.

Acre teve quase 33 milhões de árvores derrubadas em 2022, aponta estudo inédito.
Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Segundo os dados, fora, foram 32,9 milhões de árvores derrubadas entre janeiro e dezembro do ano passado. O ranking ficou da seguinte forma:


  • Pará: 197 milhões de árvores
  • Amazonas: 144,8 milhões de árvores
  • Mato Grosso: 113,7 milhões de árvores
  • Rondônia: 70,3 milhões
  • Acre: 32,9 milhões de árvores
  • Roraima: 10,9 milhões de árvores
  • Maranhão: 6 milhões de árvores
  • Tocantins: 516 mil árvores
  • Amapá: 380,9 mil árvores

O Monitor da Floresta inclui um contador de árvores derrubadas, que utiliza como base os alertas diários de áreas desmatadas do DETER, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e multiplica pela quantidade média de árvores estimada pela ciência para cada hectare de floresta na Bacia Amazônica, que é de 565 árvores — número obtido de um amplo estudo realizado por mais de uma centena de cientistas e publicado na revista Science, em 2013.

Como os alertas do Deter são divulgados semana a semana, o contador inclui uma estimativa em tempo real de quantas árvores estão caindo até o presente momento.

Segundo o coordenador-geral do MapBiomas, Tasso Azevedo, o que o contador faz é transformar os dados de desmatamento do Inpe em números de árvores tombadas.

“Tudo isso para representar de forma mais concreta o significado da derrubada da floresta. Em vez de falarmos em áreas, abordamos em números de árvores, o que dá um pouco mais de noção do tamanho do desastre”,

destaca no site oficial.

‘Adote uma árvore’

Através de um simples clique, é possível ajudar a plantar uma árvore e contribuir para a recuperação de áreas degradadas no Estado. Para fortalecer o trabalho do projeto ‘Faça Florescer Floresta‘, a SOS Amazônia fez um site em que as pessoas podem doar uma mudas. Ao entrar na página principal, o internauta escolhe que tipo de árvore ele quer doar e encontra todas as informações do projeto reunidas em um espaço só. Os valores variam de R$ 12 a R$ 25, dependendo do tipo de muda que o doador escolher.

Nesse projeto específico, a SOS Amazônia trabalha a capacitação dessas famílias que vivem nas comunidades rurais. Com apoio, não só técnico, cria-se uma nova forma desse produtor usar sua terra. Cada comunidade escolhida trabalha em cima do seu potencial econômico e então em cada região é plantada a espécie de interesse econômico daquela família de produtores.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Borboleta amazônica híbrida: pesquisa comprova nova espécie

As análises genéticas e ecológicas indicam que os primeiros cruzamentos entre as duas espécies de borboletas que originaram a nova ocorreram há cerca de 180 mil anos.

Leia também

Publicidade