‘Amapá Verde’: operação de prevenção e combate a queimadas na Amazônia durante estiagem

Cerca de 590 militares vão atuar em sete municípios do Estado até dezembro.

Uma série de ações de prevenção e combate a queimadas será realizada até o mês de dezembro em sete municípios do Amapá. Na ‘operação Amapá Verde“, cerca de 590 militares vão atuar nos municípios de Oiapoque, Calçoene, Amapá Tartarugalzinho, Porto Grande, Laranjal e Vitória do Jari

A operação integra outra operação nacional, a ‘Guardiões dos Biomas’, promovida pelo Governo Federal.

Biodiversidade em Calçoene, na Costa do Amapá. Foto: Rafael Aleixo/g1 Amapá

A operação tem a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Delegacia de Meio Ambiente do Amapá (Dema), do Batalhão Ambiental da Polícia Militar (PM) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

O Coronel Pelsondré Martins, comandante geral em exercício do Corpo de Bombeiros, descreveu como o conjunto de ações deve funcionar: “A operação integra todos os órgãos de segurança pública e é destinada à proteção ambiental. A partir deste período a gente começa a identificar muitos focos de incêndio. E é em razão disso que a gente monta a operação”.

O Ibama, que também realiza ações de prevenção e combate através do programa PrevFogo, vai integrar as ações no Estado.

Foto: Rafael Aleixo/g1 Amapá

“Esse ano, como é um ano de El Niño, a gente sabe que vai ter temperaturas mais altas, uma estiagem e seca maior. Os campos ficam com muita matéria orgânica passível de pegar fogo com facilidade”, 

explicou a superintendente substituta do Ibama, Márcia Bueno.

Segundo a superintendente, para evitar as queimadas fora de controle é importante um trabalho de educação ambiental com os produtores rurais e com quem tem propriedade próximo às estradas. O ‘Amapá Verde’ segue até o dia 6 de dezembro e também busca combater crimes ambientais. 

*Por Rafael Aleixo, do g1 Amapá

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Abelhas são fonte de renda extra para agricultores familiares no Mato Grosso

Projeto Semêa, realizado pela Fundação Bunge, incentiva o uso de abelhas para fomentar agricultura regenerativa e de baixo carbono.

Leia também

Publicidade