Manaus 30º • Nublado
Sábado, 21 Mai 2022

Um dos maiores fotógrafos do mundo expõe indígenas e pontos isolados da Amazônia

As obras de Sebastião Salgado são relevantes para a história da fotografia, contabilizando muitas premiações mundo afora. Seu olhar costuma documentar as mais palpitantes questões ambientais, socioeconômicas e socioculturais.

Após ter terminado 'Gênesis', sua exploração fotográfica da natureza ainda intacta do nosso planeta, Sebastião Salgado orientou seu olhar em direção ao seu país natal, o Brasil. A exposição 'Amazônia' vai até 31 de julho no Sesc Pompeia, em São Paulo (SP).

A mostra, de curadoria e cenografia de Lélia Wanick Salgado, apresenta 205 fotos em preto-e-branco inéditas no Brasil. O projeto é resultado de expedições fotográficas na Amazônia brasileira, feitas a partir do final da década de 1990, mas em sua grande maioria realizadas entre os anos de 2013 e 2019.

Salgado passou longas temporadas junto com doze comunidades indígenas isoladas, navegou no gigantesco Rio Amazonas e seus afluentes e sobrevoou a densa floresta tropical com suas fronteiras montanhosas mais áridas. O resultado é impactante.


A morte do poeta 

Morreu dia 26/4 o topógrafo e poeta Bonifácio Almodóvar; ele tinha 88 anos de idade e sofria de Alzheimer. Natural de Bauru (SP), mudou-se para Vilhena (sul de Rondônia) em 1976, contribuindo muito com o planejamento da vila que se tornaria cidade um ano depois da sua chegada. Vilhena tem ruas e avenidas largas graças ao olhar atento e de vanguarda do topógrafo, que tinha muito voz ativa e visão estratégica, entre engenheiros, agrimensores e demais profissionais da época que atuaram na consolidação de uma das mais belas cidades da Amazônia.

Bonifácio deixou seu legado e foi por um curto período de cinco meses prefeito da cidade, em 1980, sempre probo e distinto. Ele dizia não gostar de política é que ocupou o cargo — interinamente — "por acaso". Era muito bem-quisto e respeitado pela sua inteligência e simplicidade. Poeta, escreveu alguns livros, inclusive um belíssimo livro em homenagem à cidade e à sua gente. Havia nas proximidades do aeroporto de Vilhena um marco contendo trecho de um poema seu. Há três décadas o poeta morava numa fazenda em Cabixi.

Bonifácio Almodóvar deixou livros e histórias de vida. Foto: Júlio Olivar/Acervo pessoal

A história dos distritos de Jaru  

O escritor Elias Gonçalves Pereira lança o livro "A biografia dos distritos de Jaru". A obra tem 234 páginas e aborda a história dos distritos de Bom Jesus, Santa Cruz da Serra e Tarilândia, além do subdistrito de Jaruaru.

O livro destaca, ainda, um amplo estudo dos Núcleos Urbanos de Apoio Rural (Nuar) Colina Verde, Pedra Brancas (ambos hoje pertencentes ao município de Governador Jorge Teixeira) e do nuar Theobroma (hoje cidade homônima) bem como do povoado Capitão Silvio (hoje município de Vale do Anari). Lançamento será dia 16 de junho, às 19:30, na Câmara de Vereadores de Jaru.

O autor do livro “Distritos de Jaru”, Elias Gonçalves Pereira. Foto: Divulgação

Sobre o autor

Às ordens em minhas redes sociais e no e-mail: . Todas às segundas-feiras no ar na Rádio CBN Amazônia às 13h20.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista 


Veja mais notícias sobre JotaÓ escreve.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 21 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/