Presidente de Portugal Dr. Francisco Higino Craveiro Lopes visita a Beneficente Portuguesa

O General Francisco Higino Craveiro Lopes, acompanhado de uma importante comitiva e de altas autoridades brasileiras, transpôs os umbrais da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa Beneficente do Amazonas em uma visita que se tornou histórica.

Jantar oferecido pela Colônia Portuguesa e Governo do Estado do Amazonas no Atlético Rio Negro Club, em 1957. Foto: Abrahim Baze/Acervo pessoal

Por Abrahim Baze – literatura@amazonsat.com.br

Data importante para quantos que viviam em Manaus, entregues aos labores de todos os dias foi a 22 de junho de 1957, quando o Excelentíssimo Senhor General Francisco Higino Craveiro Lopes, acompanhado de uma importante comitiva e de altas autoridades brasileiras, transpôs os umbrais da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa Beneficente do Amazonas em uma visita que se tornou histórica.

Ao alvorecer deste dia inesquecível para os portugueses aqui residentes, acordou o hospital com o vistoso tapete de flores, que tornava ainda mais suntuosa a frontaria do edifício, cujas janelas ostentavam gralhadamente as bandeiras das duas pátrias.

Formaram em derredor da custosa e florida passarela, em uniformes de gala, como guardas de honra, praças dos bombeiros voluntários de Manaus e da Polícia Militas do Estado. No portão principal além do Excelentíssimo Governador do Estado, Secretários, o Ministro das Relações Exteriores e o Embaixador de Portugal, aguardavam o ilustre visitante, encontravam-se os Corpos Dirigentes da Comunidade das Filhas de Sant’Anna, o corpo clínico do hospital e os escalões de enfermeiras e demais auxiliares.

O senhor Presidente da Assembleia Geral da Beneficente, Comendador Agesilau de Araújo entrega uma lembrança ao General Craveiro Lopes em nome da Diretoria, em 1957. Foto: Abrahim Baze/Acervo pessoal

Após os cumprimentos de estilo, liderados pelo Comendador Agesilau de Araújo Presidente da Assembleia Geral e pelo Senhor Antônio Páscoa Presidente da Diretoria, foram as insignes autoridades conduzidas até o salão nobre onde teve início a sessão solene.

Ata da sessão solene

Estava a mesa a diretoria assim constituída: Presidente Comendador Agesilau de Araújo, 1.º Secretário Aristides Teixeira Pinto, 2.º Secretário Bernardo Adão Henrique. Em lugares especiais tomaram assento o Excelentíssimo Senhor Presidente de Portugal General Francisco Higino Craveiro Lopes e sua digníssima esposa Berta Caveiro Lopes, Professor Paulo Cunha Ministro dos Negócios Estrangeiro de Portugal e sua Excelentíssima Esposa, Dr. Antônio de Faria Embaixador de Portugal no Brasil, Dr. Plínio Ramos Coelho Governador do Estado do Amazonas, Dom Alberto Gaudêncio Ramos Arcebispo Metropolitano, Secretários de Estado e outras autoridades.

Aberta a sessão, o senhor Presidente da Assembleia Geral Extraordinária comunicou aos presentes sobre a proposta da diretoria de conceder títulos de Presidente Honorário da Beneficente Portuguesa ao Preclaro Presidente de Portugal General Francisco Higino Craveiro Lopes e de Sócio Honorário ao Presidente do Brasil Dr. Juscelino Kubitschek de Oliveira, demoradas salvas de palmas reboaram no recinto.

Em seguida, usando da palavra o Comendador Agesilau de Araújo aludiu a presença do mais mandatário da nação portuguesa, numa evidente demonstração de estima a todos quantos aqui vivem, portugueses e brasileiros ligados pelos mesmos interesses e pelos mesmos ideais.

Sua Exa. o senhor Presidente da República Portuguesa recebe das mãos do Presidente da Diretoria da Beneficente, senhor Antônio Reis Páscoa, o diploma de Presidente Honorário. Foto: Abrahim Baze/Acervo pessoal

Vive hoje a nossa Sociedade Portuguesa Beneficente do Amazonas ponderou o eminente orador – íntima consolação. Dissemos nossa porque é também de V. Excelência a Casa que jubilosamente o acolhe. É que, afora lhe pertencer por direito, já que nela algo se respira do perfume místico da ditosa pátria amada. Abrindo então um parêntese em sua ordem de considerações, declarou que ia decidir sobre as propostas já citadas, isto é, sobre os diplomas. Vibrantes e prolongadas salvas de palmas abafaram as suas últimas palavras. Cessadas as palmas o Presidente da Diretoria senhor Antônio Páscoa, fez a entrega do diploma que cabia ao Presidente de Portugal Francisco Higino Craveiro Lopes.

Ao encerrar sua oração, repassada de elogiosas referências a Portugal e ao Brasil, as duas pátrias que se completam, prestou impressionante homenagem aos fundadores do Hospital Portuguesa:

[…] Injusto quão ingrato seria não nos referirmos, posto que de relance, empreito de referente saudade, aos setenta obstinados apóstolos do altruísmo lusitano que em 1873, lançaram a dadivosa terra da Manaus, a semente abençoada que brotou, não sem múltiplos escolhos à contornar na penosa jornada até aqueles dias, a monumental obra de caridade cristã, orgulho de qualquer raça, em qualquer dos rincões do globo”.

Ato contínuo conforme havia sido anunciado pelo intérprete dos portugueses vinculados ao Amazonas, foi procedido ao descerramento da placa comemorativa de tão honrosa visita.

Sua Exa. o senhor Presidente da República Portuguesa, General Francisco Higino Craveiro Lopes, visita o hospital em 1957. Foto: Abrahim Baze/Acervo pessoal

Levantando-se então, para agradecer as inconcusas provas de apreço, que lhe estavam sendo tributadas, o Excelentíssimo Senhor General Francisco Higino Craveiros Lopes afirmou:

[…] Tenho verificado com grande satisfação que os portugueses, em toda parte em que vivem, não deixam de vincular uma parte de seu caráter e o desejo de fazer o bem. Os portugueses são conscientes das suas responsabilidades”.

Ao concluir o seu breve improviso, desejou ainda as maiores prosperidades a Beneficente Portuguesa e aos portugueses residentes em Manaus, tão pródigos em gentileza, em suas manifestações. Por entre vivas aclamações ao ínclito visitante General Francisco Higino Craveiro Lopes e ao Presidente do Brasil Juscelino Kubitschek de Oliveira e demais autoridades presentes tendo assim, o senhor Presidente da Assembleia Geral deu por encerrada a sessão.

Sobre o autor

Abrahim Baze é jornalista, graduado em História, especialista em ensino à distância pelo Centro Universitário UniSEB Interativo COC em Ribeirão Preto (SP). Cursou Atualização em Introdução à Museologia e Museugrafia pela Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas e recebeu o título de Notório Saber em História, conferido pelo Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas (CIESA). É âncora dos programas Literatura em Foco e Documentos da Amazônia, no canal Amazon Sat, e colunista na CBN Amazônia. É membro da Academia Amazonense de Letras e do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA), com 40 livros publicados, sendo três na Europa.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Theatro da Paz, em Belém, será candidato a Patrimônio da Humanidade

A estrutura e importância do Theatro da Paz serão tópicos essenciais durante evento realizado em agosto. Teatro Amazonas, de Manaus (AM), também será candidato.

Leia também

Publicidade