Manaus 30º • Nublado
Domingo, 26 Setembro 2021

No Pará, ações do Dia Mundial de Luta contra a Aids faz testagem de HIV e distribuição de preservativos

up_ag_23728_cd52f1bb-c87f-29e2-0dfb-ed8fe24f2893

Nesta terça, em alusão ao Dia Mundial de Combate à Aids, técnicos da Unidade de Referencia Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especiais (Uredipe) e da Unidade de Acolhimento Temporário (UAT), da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), realizaram abordagens com o objetivo de ampliar o acesso às informações sobre as consequências trazidas pelas ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), para que as pessoas possam tomar decisões mais assertivas na condução de uma prática sexual com proteção e segurança.

As ações fazem parte da campanha "Atenção, Cuidado e Proteção #ParáPrevenido" para testagem de HIV e distribuição de preservativos. Localizadas em Belém, as duas unidades são referências para o atendimento a pacientes com HIV/Aids no Pará. Além delas, a mobilização estadual também acontece em parceria com as 13 regionais de saúde e municípios.

As ações da Uredipe aconteceram, em grande parte, na feira do Telégrafo, na avenida Senador Lemos, onde transeuntes receberam orientações para a realização da testagem para a doença e o início imediato do tratamento, em caso de diagnóstico positivo, considerado fundamental para a redução do número de casos e óbitos por Aids. "Com o tratamento adequado, o vírus HIV fica indetectável, ou seja, não pode ser transmitido", explica a coordenadora estadual do Programa de Controle das IST/Aids pela Sespa, Andréa Miranda. 

Foto: José Pantoja/ Ascom Sespa

 Solange Cardoso, funcionária de uma loja de departamentos próxima à Unidade, considerou importante a ação por receber orientações em relação ao uso do preservativo feminino, que estava distribuído durante as abordagens feitas pelas enfermeiras da Uredipe. "Eu já sabia, em termos gerais, da importância desse preservativo, que além de ser uma alternativa de prevenção ao HIV, é eficiente contra as demais ISTs e também da gravidez não planejada".

A enfermeira Dalva Mendonça destacou algumas vantagens do método. "Além de ser bem lubrificado, o que proporciona às mulheres maior conforto e prazer, o preservativo também pode ser usando durante o período menstrual, já que o evita o contato com fluxo menstrual durante a relação sexual".

Foto: José Pantoja/ Ascom Sespa

 A programação na Uredipe, que prossegue até o dia 05 deste mês, tem incluído palestras a pessoas que vão à Unidade para fazer a testagem para HIV. Em sua fala, a enfermeira Norma Simoni explica sobre o HIV, a manifestação do vírus, formas de infecção e métodos de prevenção. "A camisinha é o método mais eficaz para evitar o HIV, porém existem diversas formas de contaminação, além do ato sexual, como compartilhar seringas ou instrumentos de manicure, que podem disseminar o vírus. É importante que a população tome conhecimento desses meios para evitar que o vírus se dissemine", pontua.

Pela UAT, as ações começaram com abordagens na praça Batista Campos, localidade próxima à nova sede da Unidade, que desde setembro deste ano é situada na travessa Presidente Pernambuco, entre avenida Gentil Bittencourt e travessa Arcipreste Manoel Teodoro. "É importante mostrarmos que somos colaborativos para a comunidade e mostrar que o teste rápido está gratuito e à disposição na UAT", explica a diretora do órgão, Adenilsa Conceição

Foto: José Pantoja/ Ascom Sespa

 Durante todo o dia, a programação da UAT incluiu ainda entrega de preservativos masculinos e femininos às proximidades da sede da Unidade, além da oferta de testagens gratuitas para HIV, sífilis e hepatites virais, com aconselhamento e referência para tratamento, caso necessário.

A UAT atende pacientes que convivem com HIV/Aids e necessitam de internação temporária a partir de encaminhamento feito por médicos da Uredipe, também vinculada à Sespa. O serviço funciona 24 horas e conta com 20 leitos de internação temporária, sendo oito para homens, oito para mulheres e quatro pediátricos, além de mais um leito para pacientes cadeirantes de ambos os sexos. A equipe multidisciplinar é composta por enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e terapeutas ocupacionais, além do apoio administrativo.

Veja mais notícias sobre Pará.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 26 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/