Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quarta, 28 Julho 2021

Salva-vidas do Corpo de Bombeiros do Amazonas: história de vigilância, bravura e coragem

Bravura de heróis, atuação de vigilantes, coragem de valentes. É assim que trabalham os salva-vidas especializados do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), que conta atualmente, com 20 profissionais, em Manaus. O efetivo opera no balneário da Ponta Negra, na zona oeste da capital amazonense.

Altamente treinados para se tornar salva-vidas, os oficiais passam por uma seleção dentro do Corpo de Bombeiros, onde é feito um Teste de Aptidão Física (TAF) e um criterioso exame de saúde.

Depois de todo este processo, ainda é necessário um treinamento rigoroso de 45 dias de duração, quando os salva-vidas recebem capacitação e conhecimento de salvamento aquático. Seguindo todas estas etapas, o profissional é formado e certificado.


Salva-vidas do Corpo de Bombeiros do Amazonas. Foto: Carlos Soares/SSP-AM

Os protocolos de atendimentos seguidos pelos bombeiros guarda-vidas seguem os procedimentos da Associação Americana do Coração, organização internacional sem fins lucrativos, sediada nos Estados Unidos.

A associação divulga normas e protocolos que visam oferecer suporte básico e avançado à manutenção da vida e orientações padronizadas sobre reanimação cardiopulmonar em um ambiente extra-hospitalar, como são os casos das vítimas de afogamento atendidas pelos bombeiros.

O tenente Augusto Liberato, comandante do Pelotão Fluvial do CBMAM, lembra o início da atuação dos salva-vidas e também a formação destes profissionais, que inclusive ocorreu em dois outros estados do Brasil.

"No Balneário da Ponta Negra atuam desde 2013 com um posto fixo de Guarda-vidas. Em 2013, também foi realizado no CBMAM o primeiro curso de salvamento aquático, havendo hoje no Amazonas guarda-vidas formados aqui em Manaus, São Paulo e Rio de Janeiro", explicou o tenente.

Vidas salvas

O cabo Evandro Moreira é um dos salva-vidas do Corpo de Bombeiros do estado. Atuando há oito anos na Ponta Negra, ele narra com alegria e emoção um dos resgates bem-sucedidos do qual participou.

"Uma vez a vítima gritou socorro, porque às vezes o afogado ele submerge, ele afoga sem manifestar gritos. Dessa vez, ele conseguiu gritar 'socorro', foi ali próximo ao Tropical Hotel. Conseguir fazer o resgate e prontamente a família dele agradeceu, foi um resgate bem satisfatório".


Foto: Carlos Soares/SSP-AM

Entre as inúmeras ações de resgates que atuou ao longo deste período, o cabo ainda recorda de uma ronda de patrulhamento ao lado de um colega salva-vidas, quando realizou o salvamento de um homem vítima de afogamento no rio Negro.

De acordo com o cabo, ele nadou e resgatou o homem, conduzindo-o até a praia, momento em que a vítima desmaiou devido ao cansaço causado pela força de tentar sobreviver. Logo depois do socorro, recuperou-se. A ação foi classificada como sucesso pelos bombeiros.

Os guerreiros reforçam que os salva-vidas buscam agir de forma preventiva para não permitir que o banhista submerja na água e assim realizar o resgate da maneira mais rápida e eficiente possível.

Atendimentos

Em casos de afogamentos ou qualquer outra emergência que exija ação dos Bombeiros, a orientação é que a pessoa não tente pular na água para fazer o salvamento. A principal recomendação é acionar o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193. De maneira rápida, uma forma de ajudar é estender uma corda ou um objeto que possa ajudar a puxar a pessoa em perigo. 


Veja mais notícias sobre CidadesAmazonas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 29 Julho 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/