Sensação do futebol feminino, Iranduba também mira Brasileiro Sub-20

MANAUS – O Iranduba fez história na noite da última quarta-feira (10) ao se classificar para a segunda fase do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, feito inédito para o futebol amazonense. Enquanto muitos ainda desfrutam da grata surpresa, o time do Amazonas também volta suas atenções para surpreender no Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino Sub-20, que terá sua primeira edição disputada em 2016.
Goleadora no time principal, Kélen estará com o Iranduba no Brasileiro Sub-20. Foto: Marcos Dantas/GloboEsporte-AM
Com um projeto de cinco anos, o Iranduba prioriza as categorias de base para se consolidar como potência do futebol feminino. Ainda neste ano, o Hulk da Amazônia tentará a aprovação de um projeto voltado para a base junto a Lei de Incentivo ao Esporte.
E o primeiro passo para consolidar o Iranduba como formador de talentos é a disputa do Brasileiro Sub-20. As chaves da competição devem ser divulgadas ainda neste mês pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), mas o clube já adianta a formação do plantel para o torneio.
Sete jogadoras que compõem o time principal do Iranduba poderão ser absorvidas na base. Entre elas estão as irmãs gêmeas Karen, ‘xerife’ da zaga, e Kélen, uma das artilheiras do Hulk no Brasileiro com dois gols. Também é o caso da lateral-direita Bruna, que virou titular na equipe comandada por Olavo Dantas atuando na lateral-esquerda.
Karen, Kélen e Bruna completam 20 anos em 2016. Elas foram campeãs do sul-americano sub-20 com a seleção brasileira e serão os pilares do time amazonense no Brasileiro Sub-20.
Nascida em 1997, a volante Sinara também vai compor o Iranduba no torneio nacional de base. A lateral-esquerda Giselle, a meia Laura e a atacante Elisa, todas nascidas em 1998, completam a lista.
Novas caras
O responsável pela chegada de jogadoras do Sul e Sudeste ao Iranduba é o diretor de futebol Lauro Tentardini. E ele adiantou à rádio CBN Amazônia que outras três jogadoras já acertaram com o Hulk para o Brasileiro Sub-20: a volante Bia, que joga de volante e lateral; a volante e meia Thaís, cedida pelo Inter de Lages-SC; e a zagueira Lorena, da seleção brasileira sub-20, nascida no Pará.
“Estamos estruturando o Iranduba para chegar forte em todas as competições nacionais”, disse Lauro Tentardini. Outras jogadoras ainda devem chegar ao clube amazonense antes do início da competição. O momento é de comemoração pelos bons resultados do time principal, mas o Iranduba sonha além para galgar ainda mais espaço no futebol feminino.
Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Cinco festivais curiosos que acontecem na Colômbia

Há centenas de celebrações realizadas todos os anos na Colômbia, com dança, carros alegóricos, música, rainhas da beleza e atividades culturais.

Leia também

Publicidade