Paratletas de jiu-jítsu do Amazonas fazem rifa beneficente para competir no Mundial

MANAUS – A falta de apoio é uma realidade recorrente no esporte na Amazônia. Em Manaus, uma equipe de parajiu-jítsu liderada por Alex Taveira se mobiliza para levar 12 paratletas do Amazonas ao Campeonato Mundial de Parajiu-jítsu, no dia 7 de novembro, em Santo André (SP). Para realizar o sonho, o grupo promove uma rifa beneficente no valor de R$ 5 para angariar fundos que contribuam no custo de passagens, hospedagem e alimentação dos lutadores.
Parajiu-jítsu ainda busca espaço e apoio em todo Brasil. Foto: Reprodução/CBPJJ
O jiu-jítsu está praticamente enraizado na cultura amazonense, mas o parajiu-jítsu ainda é uma modalidade pouco fomentada. Foi por esta razão que Alex Taveira, principal nome do parajiu-jítsu na Região Norte, montou uma equipe inédita na região e já colhe os frutos do trabalho.
Recentemente, Taveira e outros quatro paratletas representaram o Amazonas no Campeonato Brasileiro de Parajiu-jítsu. Todos foram campeões no evento. Dentre os quatro paratletas mencionados, dois são deficientes visuais, um possui paralisia cerebral e outro, AVC. Taveira, por sua vez, possui uma deficiência congênita na perna direita.
Agora o desafio dos lutadores é maior. Para o Mundial em São Paulo, Taveira está determinado a levar 12 amazonenses e expandir a modalidade no Estado. Um total de 1,5 mil rifas foram disponibilizadas para venda. “Quem puder colaborar vai estar contribuindo para o crescimento do esporte no Amazonas”, convocou Taveira.Como ajudar?
Quem quiser adquirir a rifa pode entrar em contato com Alex Taveira pelo telefone (92) 98174-1726 ou pelo Facebook. O valor é R$ 5. O sorteio acontece no dia 9 de outubro, às 19h. Os prêmios oferecidos são: dois pacotes de refrigerante; vale-lanche de R$ 50 no Lanche do Edmilson; 1 mês grátis na academia Team Taveira; rodízio para um casal na Pizzaria Di Pietra; e R$ 100 em dinheiro.
Destaque nos tatames, paratleta Alex Taveira é o grande incentivador do parajiu-jítsu no Amazonas. Foto: Reprodução/Amazon Sat
“É uma causa grande. As pessoas vão estar contribuindo pra 12 atletas do Amazonas irem pro Mundial. Estamos fazendo todo o esforço pra ir uma delegação forte”, disse Taveira ao programa Esporte Amazônia, no canal Amazon Sat.Projetos e inclusãoTaveira planeja fundar a Federação Amazonense de Parajiu-jítsu após o Mundial. Também há um movimento para a criação de uma confederação internacional da modalidade no Japão.
Como não há uma federação destinada à modalidade, Alex Taveira sempre competiu entre os lutadores sem deficiência. Ele fará o mesmo com os demais paratletas e até mesmo os inscreveu na Copa Mascarenhas de Jiu-Jítsu, nos dias 17 e 18 de outubro, na Arena Amadeu Teixeira. “O esporte é inclusão, não exclusão. Os atletas que treinam comigo também treinam com pessoas ‘normais’ e vão competir. Estou preparando esses portadores pra lutar na Copa Ajuricaba [Mascarenhas]. Assim como eu consegui me destacar, creio que eles também vão”, exaltou.
Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Nova espécie de peixe única no mundo é descoberta na Amazônia peruana

O IIAP, em coordenação com as autoridades peruanas, implementa medidas de controle para garantir sua conservação efetiva.

Leia também

Publicidade