Glocal Amazônia: Terra de saberes – A Educação como forma de emancipação e empoderamento

Painel da Glocal discute a educação na formação da criticidade dos indivíduos, para que se tornem capazes de transformar suas vidas e comunidades.

Este painel abordou a importância da educação como instrumento de emancipação e empoderamento pessoal e social. Foram discutidos diversos aspectos da educação que contribuem para o desenvolvimento de indivíduos autônomos, críticos e capazes de transformar suas vidas e comunidades. Através de perspectivas interdisciplinares, o painel explorou como a educação pode romper barreiras, ampliar horizontes e promover mudanças positivas na sociedade. 

Foto: Reprodução/FRAM

Pensar global, agir local: esse é o compromisso da Glocal Experience, evento que foi realizado pela Fundação Rede Amazônica em parceria com a Dream Factory, em Manaus, nos dias 26, 27 e 28 de agosto.

A Glocal Experience Amazônia tem o apoio do Governo do Amazonas, Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Secretaria do Meio Ambiente, Navegam e Parque Mosaico; idealização e operação Dream Factory; e realização Fundação Rede Amazônica.

Confira o vídeo 

Sobre a Glocal Experience Amazônia

A Glocal Experience nasceu em maio de 2022 com sua primeira edição no Rio de Janeiro. O evento retornará à capital carioca no período de 5 a 8 de outubro. Este encontro deverá ser anual e tem a intenção de ser realizado em cada Estado da Amazônia, a exemplo de Boa Vista (RR), que já recebeu uma mini edição do encontro. Em Manaus, terá 70 horas de conteúdo gratuito e sua programação completa está disponível no site do evento.

A Glocal Experience Amazônia tem o apoio do Governo do Amazonas, Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Secretaria do Meio Ambiente, Navegam e Parque Mosaico; idealização e operação Dream Factory; e realização Fundação Rede Amazônica. 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Murucututu: “coruja de óculos” é considerada a maior espécie do gênero na Amazônia

A murucututu ocorre em todas florestas tropicais das américas, mas na Amazônia já se tornou até personagem de canção de ninar.

Leia também

Publicidade